Mês: março 2017

Já pensou em morar com seus amigos quando estiverem em uma idade avançada? Envelheça junto com seus amigos

Já pensou em morar com seus amigos quando estiverem em uma idade avançada?

Na infância, uma das maiores alegrias era aproveitar o tempo com os amigos, com muitas brincadeiras e diversão. A vontade de uma criança é de nunca ter que desgrudar da turma de amigos, em nenhum momento. Com o passar dos anos, muitos mudam de escola, bairro ou cidade e naturalmente, os acontecimentos da vida vão afastando uns dos outros e diminuindo o convívio.

Durante os momentos corridos da vida adulta, quando a rotina de trabalho consome quase o tempo todo, e a semana parece não ter dias suficientes, muitos acabam ficando longos períodos sem encontrar os melhores amigos. Depois da aposentadoria, com a chegada da terceira idade, é que se percebe o quanto é fundamental ter as pessoas queridas por perto.

Amizade é sinônimo de bons momentos, risadas, histórias inesquecíveis e dias de alegria, independentemente da fase da vida em que você está. Você já parou para pensar na possibilidade de morar junto e envelhecer com os seus amigos? Pois é, muitas pessoas têm optado por viver em comunidade e eliminar de vez a ideia de se sentir sozinho.

Se interessou pela ideia? Descubra agora as vantagens de morar com os seus amigos na terceira idade.

Qualidade de vida

A solidão é um dos sentimentos mais relacionados à terceira idade. São muitos os motivos que podem fazer com que os idosos se sintam sozinhos nas suas casas e isso pode trazer graves consequências.

Morar com os amigos é uma solução excelente para aqueles que não querem viver só, mas, que também não querem abrir mão da independência. Viver em comunidade estimula a realização de novas atividades, experimentar novas ideias e, claro, garante momentos de muita diversão. Afinal, não há porque não aproveitar esta fase da vida.

Conheça novas pessoas

Esqueça aquela ideia de “estou velho para isso”. Pois, a verdade é que é sempre importante conhecer novas pessoas. Ao morar com os amigos, é natural que a casa tenha sempre movimento com as visitas e atividades de cada um. Naturalmente, você vai conhecendo os amigos dos amigos e ampliando sua rede sem sequer perceber.

Apesar de ser uma questão quase óbvia, fazer novos amigos melhora o humor, ajuda a criar novas histórias e espanta a tão temida solidão.

Novas experiências

Por mais que você seja amigo de uma pessoa há anos, cada um de nós tem hábitos, gostos e estilos diferentes. Quando passamos a morar com alguém, descobrimos mais sobre a pessoa e somos apresentados a novidades interessantes.

Há quanto tempo você não experimenta um prato que nunca havia comido? Descobre um cantor fantástico? Conhece um diretor de filmes surpreendente? Morar com os amigos na terceira idade é uma das melhores maneiras de viver novas experiências.

Repúblicas para idosos

Para muitas pessoas o conceito de república está totalmente relacionado à juventude. Afinal, esta forma de viver é algo muito comum quando estamos nos últimos anos da escola ou no inesquecível período de faculdade.

Quem já viveu em república, provavelmente guarda boas lembranças e memórias deste período tão especial da vida. No entanto, na época a imaturidade podia ser um ponto negativo da experiência. Porém, na terceira idade isso já não é assim. A maturidade só tem a beneficiar a experiência de vida em comunidade.  Além disso, não é preciso seguir o modelo tradicional para viver junto com os amigos. Uma sugestão interessante é optarem por um mesmo residencial, com toda infraestrutura necessária e todo um programa de atividades que vai deixar a vida ainda mais interessante.

Viver em comunidade

A princípio a ideia de viver com os amigos pode não parecer algo positivo na terceira idade. Nesta altura da vida é normal que já tenhamos o nosso espaço, nossos hábitos e até mesmo aquelas pequenas ‘manias’. No entanto, estar cercado de pessoas queridas ajuda a evitar sentimentos como a solidão, problemas como a depressão, além de garantir mais segurança.  Estar rodeado de amigos significa se sentir sempre protegido.

Quer saber mais como viver melhor a terceira idade? Baixe agora o nosso e-book “Hora de Decidir” e tire todas as usas dúvidas e veja como é possível ter qualidade de vida na melhor idade.

Baixe agora o E-book

O que o futuro guarda para as diferentes gerações

O que o futuro guarda para as diferentes gerações

A forma como vivemos é influenciada por fatores como valores, finanças, idade, cultura, profissão, entre outros. O estilo de vida tem mudado nos últimos tempos, e o que achávamos ser comportamento de determinadas faixas etárias, hoje tem se mostrado divergente. Os mais jovens estão mais tradicionais, e as pessoas mais experientes estão se integrando mais com novidades tecnológicas.

Entretanto, algo não muda: ninguém pensa muito na velhice. Qual futuro aguarda estas gerações tão distintas? Primeiramente, vamos conhecer um pouco sobre cada uma delas:

  • Silenciosa, também conhecida como Veteranos ou Tradicionais – formada por pessoas que nasceram entre 1925 e 1945 e viveram na época da Segunda Guerra Mundial. Por terem visto grandes crises econômicas, apresentam uma postura mais rígida e aceitam regras. Valorizam, principalmente, a família, o trabalho e os bons costumes. Muitos já se encontram aposentados e preferem uma vida estável e tranquila.
  • Baby Boomers – o termo pode ser traduzido livremente como “explosão de bebês”, já que houve um aumento demográfico assim que os soldados voltaram para suas casas após a guerra. Essa geração nasceu após o fim da Segunda Guerra Mundial e atualmente seus membros estão com mais de 50 anos, e gostam de emprego fixo e estabilidade. Este grupo tem pensado mais em seu futuro, optando por moradias alternativas, onde possam viver com tranquilidade e conforto, buscando fugir da solidão ou receber cuidados especiais.
  • Geração X – Compreende os nascidos entre 1961 e 1979. Essa geração tem mais preparo acadêmico e experiências internacionais. Tem como principais características a busca por seus direitos, o consumismo e a ruptura com as gerações anteriores. As pessoas desta geração viveram eventos, como a Guerra Fria, a queda do muro de Berlim, aparecimento da AIDS e a popularização dos computadores pessoais.
  • Y ou geração Internet – é composta por quem nasceu entre 1980 e 2000 e está sempre conectado, já que cresceram em meio à era da informação e dos avanços tecnológicos. São individualistas, dinâmicos, gostam de desafios, empregam mais energia em suas tarefas e pensam mais em investir na própria qualificação.

Estilo de vida

O lugar ideal para viver já é uma preocupação dos mais jovens, conforme pesquisa realizada pela consultoria Nielsen, em que mais da metade das gerações Z e Y (52% e 54%, respectivamente) preferem morar em uma cidade grande. Entretanto, nem todos querem se afastar dos bairros residenciais, para morar em ambientes mais urbanos e acham que os bairros residenciais são o melhor lugar para se viver. Já os Veteranos preferem uma vida rural.

O estudo aponta ainda, que as gerações X e Y almejam comprar casa (21% e 22%, respectivamente), casar e ter filhos (11% e 13%, respectivamente). Cerca de metade dos mais jovens economiza dinheiro mensalmente, mas não sentem segurança sobre seu futuro financeiro. Os Veteranos, que já passaram por estas experiências, preferem focar na saúde (71%), passar mais tempo com suas famílias (50%) e viajar (36%).

Não fuja do inevitável: pense no amanhã

Mesmo que agora a velhice pareça tão distante, as gerações mais novas devem pensar nesta fase. A vida passa muito rápido, e os anos são consumidos por tantos acontecimentos que, sem perceber, as décadas passam e mudamos bastante. Os interesses e as necessidades se transformam, e nós começamos a nos despedir de entes queridos e amigos.

A doença pode chegar, ou algumas limitações físicas se instalam no corpo. Nesse momento devemos escolher um local para viver da melhor maneira. Uma opção é morar em um condomínio próprio para idosos, como o SBA Residencial, que promove eventos sociais e culturais que espantam a tristeza e proporcionam integração social.

 

Gostaria de saber mais informações sobre como viver bem sua velhice ou quer achar um local bacana para alguém que como você ama viver com alegria sua melhor fase? Baixe Agora nosso e-book, e tenha mais informações!

cta_e-book_hora_de_decidir_sba_residencial_baixe_aqui_sem_baixe_aqui

Crianças na SBA

É o terceiro ano que o Colégio Gimbernau visita os moradores do SBA Residencial com o objetivo de promover a interação entre crianças e idosos. Essa ação já se transformou em um projeto intitulado “Entre Gerações” que busca contribuir para que o aluno aprenda a ser mais solidário e cidadão, através desta troca tão rica com os mais velhos, como explica Simone, a diretora do colégio.

No dia 10 de março, os 25 alunos do ensino fundamental, com idades entre 8 e 9 anos, cantaram e interpretaram algumas canções acompanhados da professora Camila. Após essa introdução, cada aluno pegou seu kit para produzir ikebanas com os moradores. Eles explicaram o significado de cada item que compõe o arranjo, ao mesmo tempo que construíram juntos o resultado final.

“As ikebanas são flores vivas, de diferentes famílias de plantas, que servem para decorar, e também simbolizam a terra e o céu. Ah, e precisa colocar água para elas crescerem!”, conta Marco Antonio, de 8 anos. “Eu entreguei o arranjo para um morador que é escritor! Ele falou para mim que escreveu o livro Deuses da Biologia. Muito legal!”, destaca com encantamento, o aluno Lucas Benigni, de 8 anos.

Já a aluna Rafaela, se emocionou muito ao conversar com a moradora Sra. Diva. “Ela me contou que cuidou de 4 netos e que fazia bolo!”.

Para a moradora Sra. Yole, o momento de hoje foi muito especial: “Onde tem criança, tudo é perfeito, pleno. Eles preenchem o ambiente e com sabedoria pois são muito espertos! Onde há criança, há esperança”, conclui a moradora com brilho nos olhos.

Os alunos ainda visitaram os idosos mais debilitados que não puderam se locomover até o auditório.

Foi uma tarde muito agradável e cheia de emoção.

Confira as imagens deste “Encontro de Gerações”!

 

Encontro de Gerações / Google Photos

Bailinho de Carnaval no SBA Girassol Kids

O ano começou com muitas novidades no Centro de Educação Infantil da SBA localizado no distrito do Grajaú/SP. O SBA Girassol Kids atende 65 crianças de 3 a 6 anos que estão divididas em três turmas nesse ano. As crianças iniciantes já passaram por uma semana de adaptação para se acostumarem com a rotina, com as professoras, com o novo ambiente e com os novos coleguinhas de sala.

A proposta de trabalho para os próximos meses, contempla um projeto pedagógico com um tema norteador sobre a diversidade cultural e a sua influência na infância. As crianças aprenderão sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo, a África e participarão de oficinas de artes para conhecer suas variações. Nos próximos boletins falaremos mais sobre esses projetos.

No último mês, todos festejaram o Carnaval e aprenderam sobre a origem desta festa popular e suas tradições, além de dançarem muito no bailinho de carnaval organizado carinhosamente pelos colaboradores. Teve música, batucada, fantasias, danças, brincadeiras típicas e muita alegria.

Confira como foi esta festança clicando na primeira foto abaixo.

Carnaval no SBA Girassol Kids – 2017 / Google Photos

Inauguração da Orquestra Jovem Mozarteum no Clube Hebraica

Imagine o privilégio dos moradores do SBA Residencial para idosos que assistiram, em primeira mão, à apresentação do concerto de inauguração da Orquestra Jovem Mozarteum, realizada no Clube Hebraica.

Com direção artística de Sabine Lovatelli e regência do Maestro Carlos Moreno, a iniciativa tem por objetivo valorizar os talentos do Brasil, ampliando oportunidades para que a juventude brasileira coloque seus dons em prática e se destaque cada vez mais na área musical.

“Os jovens são muito criativos e cheios de energia. Foi revigorante! Adorei nosso passeio, aliás amo todos os passeios que a SBA promove!”, destaca a moradora.

Confira como foi o evento! Clique abaixo e acesse o álbum de fotos.

Passeio Clube Hebraica / Google Photos

 

Dia Internacional das Mulheres na SBA

Mais do que rosas recebidas na entrada do restaurante, todas as moradoras receberam carinho e abraços calorosos da equipe de hospitalidade do SBA Residencial para idosos. Os colaboradores fizeram questão de almoçar com as moradoras, parabenizando-as por serem mulheres fortes, guerreiras e cheias de determinação. São tantas histórias de vida na SBA, e aos poucos, iremos compartilhar por aqui, alguns exemplos incríveis de pessoas que moram no Residencial e compartilham seus saberes e suas lições de vida.

Ação do Dia da Mulher – 2017 / Google Photos

Palestra sobre Saúde da Mulher para colaboradoras da SBA

Duas palestras foram realizadas para as colaboradoras no Dia Internacional da Mulher: Fisioterapia na Saúde da Mulher e a Importância da Atividade Física.

Amanda Oliveira é a Fisioterapeuta Uroproctológica da SBA que conduziu a primeira palestra do evento, de forma descontraída e interativa. Assuntos de grande importância despertaram o interesse do público presente, com temas como: incontinência urinária, gestação, pré e pós-parto, constipação e disfunções sexuais.

Já o segundo tema foi conduzido em parceria com a Academia Body Sense, e o instrutor Thor que tirou dúvidas e mostrou algumas curiosidades sobre alimentação e malhação.

Ao final da ação, um delicioso café da tarde foi oferecido a todas as participantes.

O evento foi organizado pelo RH da SBA e contou com a abertura do Gerente Geral, Thomas Polisaitis.

Veja as fotos clicando abaixo.

Palestra Dia da Mulher / Google Photos

Sessão Voluntariado Netflix

“The Crown” é reconhecida pela crítica por ser uma das melhores séries já produzidas. O cenário é impecável e a história é abordada de forma envolvente e provocativa, com assuntos interessantíssimos. “The Crown” se passa no ano de 1947 e o ponto de partida é o casamento de Elizabeth II, até então princesa, e Philip Mountbatten, antes de herdar a coroa, aos 25 anos de idade, devido à morte de seu pai, o rei George VI.

Pensando em proporcionar conteúdos cada vez mais instigantes para os moradores, a equipe de voluntários da SBA, convidou um grupo para assistir nas tardes de sábado, os capítulos desta série na sala de convivência do residencial, um lugar aconchegante e confortável. O voluntário Silvio, que acompanhou a exibição do primeiro capítulo, relata que todos ficaram concentrados e felizes com a nova proposta. “O fato do conteúdo ser histórico, despertou o interesse dos presentes, e o ambiente agradável e aconchegante com a estrutura adequada, também contribuiu para criar maior envolvimento no grupo, o que faz com que a próxima sessão já esteja sendo esperada pelos moradores”, ressalta Silvio.

Sessão voluntariado Netflix V2

Terceira geração sairá do hospital e irá para a um mundo conectado

Terceira geração sairá do hospital e irá para a um mundo conectado

Quando se pensa na terceira geração logo se tem a imagem de idosos debilitados e na cama dos hospitais, mas isso tem mudado muito. Se pensarmos, 50 anos atrás, dizer que uma pessoa chegaria até os 80 anos chegava a ser um absurdo. Isso era um fato raro, sendo que a estimativa de vida era bem menor.

Para se ter uma ideia, segundo levantamento do IBGE, em 1991, apenas 7,5% da população brasileira tinha mais de 60 anos. Em 2015, a expectativa de vida já havia aumentando, passando a ser de 75,5 anos. O crescimento da população idosa não parará de crescer, segundo projeções da OMS, até 2025 será cerca de 32 milhões de pessoas com mais de 60 anos no Brasil.

Isso leva o país a ter uma população de pessoas velhas, mas não significa que elas são incapazes. Pelo contrário, com o avanço da medicina, as pessoas se tornaram mais saudáveis e com disposição para continuar a sua rotina, independentemente da idade.

Hoje é difícil imaginar uma senhora de 60 anos debilitada que fica em casa fazendo tricô. O que vemos é a terceira geração bem-disposta, trabalhando, praticando exercícios e conectada com o mundo.

O fim do preconceito com a terceira geração

A gerontofobia é o preconceito com os mais velhos, sendo ela bastante comum, porém, esse cenário começa a apresentar mudanças. A chamada geração “Baby Boomers” foi responsável por promover diversas mudanças sociais, como os direitos das mulheres.

O que acontece é que essa geração envelheceu e hoje estão se tornando idosos, mas não perderam o seu poder de influência e de transformar o mundo. Apesar de já terem uma idade considerada por alguns, avançada, tem atitudes e pensamentos modernos.

Eles se adaptaram ao mundo tecnológico e apesar das diferenças, aprenderam a se relacionar com as gerações mais novas. Em muitos casos, tornaram-se uma inspiração, e exatamente isso que está sendo usado para acabar com o preconceito contra os idosos.

Os aposentados estão voltando ao mercado de trabalho e conseguindo acompanhar as novas gerações, e as salas de aula têm mais pessoas com idades superiores a 60 anos. Isso desfez aquele tabu de que os “velhos” eram inválidos e improdutivos, demonstrando que fazem parte da sociedade e ainda têm muito a contribuir.

Os idosos do futuro

Os idosos mudaram e o mundo também, por isso, quando se pensa no futuro é preciso conseguir estabelecer qual será o papel deles e de que maneira viverão. A geração Baby Boomers já está promovendo essa mudança! Hoje eles querem se manter ativos por mais tempo e garantir a sua independência.

A geração X, apesar de ser mais resistente, precisou se adaptar a um mundo de tecnologias surgidas após ela e deverá aproveitar os frutos plantados pelos seus antecessores. Porém, ela já deve ter muitas das características que serão observadas na velhice das gerações Y e Z.

A questão é pensar que a geração X já está entrando na terceira idade, o que parecia uma realidade distante, está cada vez mais próxima. Os nascidos na década de 60, hoje já possuem cerca de 50 e poucos anos, um passo para o que antes era considerado “velho”.

Eles querem sua autonomia e não abrem mão de sua independência, porém, não querem ficar sozinhos. Com os filhos crescidos e morando fora, por mais que continuem a trabalhar, muitas vezes se sentem “abandonados” e sem companhia, por isso tem feito da tecnologia a sua aliada.

As redes sociais e aplicativos que permitem interações, são cada vez mais usado por esse grupo, mas isso não tem sido suficiente. A falta de contato humano é uma grande barreira a ser superada, assim esse grupo encontrou uma alternativa até pouco tempo não imaginada.

As residências para idosos tem se mostrado uma boa saída para quem busca superar a solidão e para quem não quer dar trabalho para a família. Nesses condomínios especialmente dedicado aos idosos, é possível ter sua casa, ou quarto individual, garantindo a sua independência e fazendo novas amizades

O que se sabe é que a terceira idade do futuro não abrirá mão da interação humana e procurará se aproximar mais das pessoas. Porém, a tecnologia estará presente e será usada para se conectar com o mundo e abrir um universo de novas possibilidades.

E você, como se imagina quando chegar na terceira idade? O que estará fazendo e onde morará? Compartilhe as suas expectativas com a gente. E baixe nosso e-book hora de decidir gratuitamente!

cta_e-book_hora_de_decidir_sba_residencial_baixe_aqui_sem_baixe_aqui

Escolha o lugar ideal para morar quando ficar idoso

Escolha o lugar ideal para morar quando ficar idoso

Com as atuais mudanças nas regras de aposentadoria, muitas pessoas começaram a pensar como será a vida quando ficarem idosas. A principal questão sobre o assunto, gira em torno de quanto tempo terá que se trabalhar para receber os benefícios do INSS , e se a pessoa terá condições de exercer uma profissão até esse momento chegar.

Isso tem motivado muitos a pensarem na vida na terceira idade. Entretanto existem diversos outros pontos que precisam ser analisados. O principal deles é onde morar quando alcançar uma idade mais avançada.

Muitos sonham em pegar a aposentadoria e mudar para uma cidade tranquila ou perto do mar para aproveitar essa fase da vida. Mas a dúvida que fica é: será que terei condições de morar sozinho ou com outro idoso?

Com a perspectiva de vida crescendo cada dia mais, é bem mais provável que as atuais e futuras gerações, comecem a desenvolver alguns problemas de saúde e não consigam se cuidar sozinhas. Pode ser que nos primeiros anos após parar de trabalhar, esteja tudo indo bem, mas o que acontecerá quando começarem os esquecimentos e a falta de controle sobre o próprio corpo?

Morar sozinho

Morar sozinho pode ser uma opção, mas para realizar as atividades diárias como limpar a casa e cozinhar, será preciso ter uma boa saúde. O idoso precisa pensar em toda a infraestrutura de apoio que necessitará para seguir com a sua rotina.

Mesmo que opte por morar com a esposa ou marido, ainda assim, as tarefas parecem ir ficando mais difíceis a cada dia. Mesmo com essas implicações, muita gente ainda pretende morar sozinho para garantir que terá mais liberdade.

Ficar na casa dos filhos

Quem tem ou pretende ter filhos, quando ficar idoso terá a possibilidade de ir morar com eles, entretanto, essa pode não ser a melhor opção. O que observamos é que as gerações têm cada vez menos tempo para dedicar-se à família.

Isso acontece porque hoje, não são apenas os homens que trabalham fora, mas também as mulheres, e assim sobra pouco tempo. Enquanto a geração “Baby Boomers” tinha um grande apego com a família, isso foi se perdendo com as gerações X e Y. Esses últimos são desapegados de relações e não fazem a mesma coisa por muito tempo, como cuidar dos pais.

Para quem faz parte dessas gerações, morar com os filhos não é uma opção, pois se buscou a independência e possivelmente os seus descendentes farão o mesmo e serão ainda mais despreocupados com a família. Sem falar na perda de privacidade de ambos os lados.

Residência para idosos

Quando se fala em residência para idosos automaticamente é feita a associação com asilos, o que causa repulsa na maioria das pessoas. Os asilos são associados com a imagem de que os idosos não recebem atenção e ficam em péssimas condições, abrigados em uma casa porque a família não quis mais cuidar deles. A verdade é que essa imagem está distorcida e é preciso quebrar esse paradigma cultural que existe na sociedade brasileira de que moradia para idosos é sinônimo de abandono e exclusão. Pelo contrário, as instituições hoje tratam muito bem as pessoas idosas, oferecendo serviços assistenciais completos.

Ainda assim, a maioria das pessoas não querem perder a sua liberdade indo para casas de repouso, e isso não precisa acontecer. Hoje, existem residências para idosos que oferecem todo o conforto e privacidade que se precisa e ainda contam com um suporte médico.

Essa tem se mostrado uma alternativa muito boa para quem já está na terceira idade e provavelmente vai continuar agradando as futuras gerações. Nas residências para idosos é possível ter o seu quarto, casa ou apartamento individual e total liberdade. Esses locais inclusive já vêm sendo chamados de “repúblicas”, fazendo uma associação com as moradias universitárias por conta da interação humana.

Nesses espaços, para quem já está na velhice, permite ter contato com outras pessoas de sua geração que moram no mesmo local, permitindo o convívio e evitando a solidão, comum da idade avançada. As residências para idosos costumam promover atividades para manter as pessoas ocupadas e entretidas e possuem infraestrutura completa para acompanhar e tratar diversas enfermidades.

A residência para idosos tem se mostrado uma boa opção para quem já está planejando o futuro após a aposentadoria, por garantir liberdade e todos os cuidados e atenção que se precisa nessa fase da vida. Quem ainda não pensou sobre o assunto deve começar a refletir antes que a velhice chegue.

Quer saber um pouco mais sobre como funciona a residência para idosos? Então conheça o SBA Residencial.

  • 1
  • 2