Mês: maio 2017

O Perigo das quedas em uma idade mais avançada

O número de idosos está crescendo a cada ano e o aumento da expectativa de vida reflete essa realidade. Mesmo possuindo uma melhor qualidade de vida, existe um problema que continua preocupando médicos e familiares: o perigo das quedas.

Qualquer pessoa está sujeita a cair, porém, as que possuem mais de 60 anos vão necessitar de uma atenção. Com o passar da idade, os ossos perdem cálcio e isso faz com que as fraturas ocorram mais frequentemente, assim como a osteoporose.

Devido à perda da massa óssea, qualquer impacto, por menor que seja, pode ocasionar a fratura dos ossos. Em alguns casos o quadro é tão grave que pode levar o paciente a morte. Em outros vai afetar a qualidade de vida, resultando na dificuldade de locomoção.

Por isso, não apenas os idosos, mas as pessoas ao seu redor precisam estar atentas aos fatores de risco.

Os números do perigo das quedas

O assunto é tão grave que existem diversos levantamento sobre ele. Não é difícil perceber que os números são bastante assustadores. Veja alguns deles.

  • 70% das quedas ocorrem no local de residência;
  • Cerca de 30% dos idosos caem pelo menos uma vez por ano e o caso volta a ser recorrente com 50% desse público, sendo que 2/3 volta a cair em um intervalo de 6 meses;
  • Quem sofreu uma queda tem entre 60% a 70% de chance de cair no ano seguinte;
  • As mulheres são as que mais sofrem farturas após um tombo. Cerca de 40% delas vão enfrentar o problema. Entre os homens esse número cai para 28%.
  • Após a queda é comum que ocorra algum tipo de lesão entre 40% a 60% dos casos. As lesões graves correspondem entre 5% e 6% desse total.
  • A fratura do fêmur é uma que traz grande preocupação. 30% dos idosos que fraturam esse osso morrem em um ano.
  • Segundo levantamento realizado em 2014, somente o SUS (Sistema Único de Saúde) tem um gasto anual de mais de R$ 51 milhões tratando fraturas resultantes de quedas.
  • Os custos do SUS com o tratamento de osteoporose chega a R$ 24,77 milhões por ano. Além de ser mais barato poderia prevenir casos graves de farturas.

Como prevenir as quedas

Sabendo dos números e que as quedas podem levar a complicações na vida dos idosos, é preciso preveni-las. Alguns cuidados simples no dia a dia já podem fazer toda a diferença, mas não se pode deixar os idosos responsáveis por todo eles.

  • Sempre deixe uma luz acessa durante a noite. O idoso pode querer se levantar para ir ao banheiro e até chegar ao interruptor pode tropeçar a cair. É preciso garantir uma iluminação mínima para que ele possa se movimentar com mais segurança.
  • O piso deve ser antiderrapante, evitando que escorregões aconteçam. Encerar o piso é algo proibido, pois fica muito mais fácil de deslizar e o resultado ser uma fratura grave.
  • O banheiro deve ser todo adaptado com barras de ferro. Ao lado do vaso coloque uma para que a pessoa possa sentar e levantar contando com um apoio. No chuveiro também é preciso ter barras, assim o idoso pode se apoiar enquanto se limpa. Nos casos em que se está mais debilitado, somente as barras não são suficientes. Sendo assim, tenha uma cadeira dentro do box, mas garanta que ela não escorregue.
  • Os ambientes devem estar livres de obstáculos. Tapetes podem ser um verdadeiro perigo, pois uma simples dobra pode resultar em um tropeção. Além disso, quando não possuem uma base aderente derrapam e levam a queda. Os fios devem estar fora da passagem, se possível os prenda rente a parede para não se tornarem um obstáculo.
  • A cama deve ter uma altura adequada, assim não exigirá esforço ao levantar e deitar.
  • Em locais que haja escada, elas precisam ter corrimão dos dois lados. Além disso, os degraus devem ser largos, baixos e ter faixas antiderrapantes.
  • O idoso precisa escolher um calçado que além de confortável tenha uma sola antiderrapante. Assim poderá transitar com mais segurança em diversos locais.
  • É necessário praticar exercícios para fortalecer a musculatura e garantir maior noção de espaço. Conhecendo melhor o próprio corpo o idoso identificará os seus limites.

Entretanto, por mais que se adote todos esses cuidados o perigo das quedas continua a existir, uma vez que nem todas as casas podem ser adaptadas. Entretanto, quando se mora em uma residência para idosos todos os ambientes são ajustados para atender bem aos seus moradores e garantir segurança.

 

Clique aqui e baixe nosso E-book hora de decidir!

Pet Terapia – como o contato com animais transforma o cotidiano dos idosos

Conviver com um animal de estimação nos torna tão felizes e ativos que ele pode contribuir, e muito, para a melhoria da nossa rotina diária, inclusive em relação à qualidade de vida na terceira idade. Afinal de contas, quem não gostaria de ter um companheiro leal, carinhoso e protetor ao seu lado durante a vida.

Pois saiba que a terapia com animais já é utilizada ao redor do mundo e no post de hoje você conhecerá mais sobre ela e quais os benefícios para a saúde física e mental dos idosos. Acompanhe.

 

Pet Terapia em idosos

A terapia com a utilização de animais já existe há algum tempo no Brasil. Nos anos 1950, a psiquiatra brasileira Nise da Silveira já relatava todos os benefícios da interação entre os pacientes esquizofrênicos e os gatos e cães adotados pela instituição em que trabalhava, servindo como um complemento ao tratamento oferecido.

Na prática, a chamada TAA (Terapia Assistida por Animais) é realizada por profissionais especializados e trata-se de um método que utiliza interações entre animais e humanos nas sessões, através de cuidados e brincadeiras, tanto para fins de lazer, descontração e até no auxílio em tratamentos de saúde.

De um modo geral, todos os idosos podem se beneficiar desse tipo de terapia, com algumas exceções, como alergia a pelo de animais, problemas respiratórios ou fobia de bichos ‒, mas nesse último caso, existe um tratamento específico utilizando os animais para trabalhar esse medo em idosos e trazer resultados satisfatórios.

 

O animal ideal para Pet Terapia

Os animais mais comuns que são utilizados em sessões de pet terapia são os cães e os cavalos, por apresentarem um comportamento mais dócil. Ainda assim, peixes, coelhos, aves, gatos e jabutis também podem ser utilizados.

Quanto aos cães, eles precisam apresentar algumas características, tais como:

  • Personalidade leal e nobre;
  • Atléticos, com força e energia para o trabalho;
  • Que saibam obedecer às ordens rapidamente;
  • Afetuosos;
  • Que não sejam extremamente independentes.

Nesse sentido, algumas raças se destacam, como Collie, Retriever e algumas variedades de cães pastores. Isso porque eles conseguem se adaptar a uma vida caseira e, ao mesmo tempo, serem ativos e dispostos. Todos os animais passam por um treinamento específico antes do convívio com os idosos.

 

Benefícios da terapia com animais na qualidade de vida na terceira idade

 

Conheça a seguir as principais vantagens da Pet Terapia em idosos:

 

Benefícios sociais

  • Motivação.
  • Segurança.
  • Socialização.
  • Alívio do tédio.
  • Convivência.
  • Comunicação.
  • Sentimento de utilidade.

Benefícios físicos

  • Aumento da mobilidade causado pelos exercícios e estímulos variados.
  • Bem-estar generalizado.
  • Melhoria das funções físicas e da fala.
  • Reduz o estado de dor.

Benefícios no tratamento de doenças

  • Estudos indicam que a Pet Terapia diminui os impactos do Mal de Alzheimer, por conta do alívio do stress que a interação entre o idoso e o animal pode causar.
  • Diminuição das dores, do desconforto e do desgaste emocional em pacientes em tratamento de câncer.
  • Pesquisas indicam que a Pet Terapia ajuda na redução das taxas de colesterol e triglicérides, diminuindo, dessa forma, os riscos de doenças cardíacas.
  • Melhora o quadro de depressão em idosos.
  • Auxilia no tratamento de paralisias, como na reabilitação de idosos vítimas de derrames, acidentes ou portadores de paralisia cerebral. A interação com os animais pode auxiliar no tratamento fisioterápico, tanto na parte motora quanto emocional.

Benefícios mentais e emocionais

  • Estimula a memória por causa dos exercícios e práticas de cuidado, alimentação e higiene dos animais.
  • Sentimento de amor incondicional, alegria e espontaneidade.
  • Reduz o sentimento de solidão e ansiedade.
  • Causa relaxamento e troca de afeto.
  • Estabelece vínculo e aumento de confiança com o próprio ser humano, através da convivência com os participantes da terapia.

 

Mesmo que os idosos que fazem parte da sua família estejam saudáveis, considerem juntos a realização da terapia com animais por todos os benefícios citados. Afinal, a vida na terceira idade deve ser igualmente feliz e realizada, e a convivência com os animais pode ser essencial para essa trajetória.

Clique aqui e baixe o nosso E-book hora de dicidir!

 

 

razões para ir para um refúgio na velhice

Refúgio para a velhice: razões para escolher onde morar nesta fase da vida

Chega um tempo em que precisamos tomar decisões importantes em relação ao futuro da nossa família, seja mantendo ou aumentando a qualidade de vida dos familiares, principalmente em relação à vida na terceira idade.

O Estatuto do Idoso é bastante claro em relação a isso, mais precisamente em seu artigo 3º: “É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária”.

Sendo assim, a moradia mais adequada para a terceira idade deve levar em conta alguns fatores. Neste post, listamos alguns deles:

 

  1. Convivência com pessoas da mesma idade

É claro que os idosos também precisam conviver com pessoas de diferentes idades, mas o fato é que estar próximo de pessoas da mesma geração também é muito importante, pois permite a troca de experiências e a construção de laços de amizade e apoio entre eles.

 

  1. Convívio familiar

Mesmo que o idoso decida viver sozinho em casa ou em um lugar específico de acolhimento de pessoas da terceira idade, o fato é que o convívio familiar continua sendo muito importante para o envelhecimento saudável.

Afinal de contas, mesmo quando uma nova família se forma, com a presença de filhos, netos e bisnetos, o idoso nunca deixa de fazer parte dela ‒ e estar presente durante essa fase da chegada de novos integrantes na família faz com que o idoso não tenha o sentimento de abandono.

 

  1. Assistência

Infelizmente, vez ou outra deparamo-nos com notícias terríveis na mídia envolvendo casos de maus tratos e abandono de idosos.

Esse é um alerta para que a família, em comum acordo com o idoso ‒ caso ele opte por morar em outro ambiente ‒ escolha um lugar seguro, de boa reputação e que preste a devida assistência a ele, seja médica, psicológica, nutricional e o que mais for necessário.

 

  1. Autossuficiência – auto -suficiência

A menos que o idoso não tenha condições de saúde para tal, ele precisa residir em um ambiente que valorize e incentive a sua autonomia, ou seja, a capacidade de tomar decisões e de gerenciar-se. Com isso, ele terá maior independência para realizar suas atividades diárias, sem depender tanto da ajuda de terceiros.

Portanto, pesquisem juntos um local que tenha essa característica, seja na casa de parentes, morando sozinho ou residindo em condomínios para a terceira idade

 

  1. Atividades de lazer

Residir em um local que ofereça ou que tenha atividades de lazer nas proximidades é uma característica que deve ser levada em consideração ao escolher um condomínio residencial para se viver na terceira idade.

Lugares verdes que propiciam a realização de atividades físicas ao ar livre, como caminhada, corrida e yoga, por exemplo, são excelentes não só para a saúde física, mas também para a saúde mental, diminuindo o risco do aparecimento ou do agravamento de doenças.

Considere, ainda, lugares que contam com outras atividades de lazer e estímulo à criatividade e ao raciocínio, como os que oferecem cursos e festividades em geral.

 

  1. Acesso ao conhecimento

Escolher um local que não proporcione um sentimento de isolamento em relação ao mundo também é importante para a qualidade de vida na terceira idade.

O ideal é que ele continue tendo acesso a livros, revistas, televisão, rádio, internet, ou seja, ferramentas que ele mais tenha afinidade e interesse para continuar informado sobre o mundo em que vive. Também considere o acesso à arte, à música e à cultura.

Continuar informado sobre o mundo o ajudará em muitos sentidos, inclusive, em suas relações sociais e pessoais.

 

  1. Segurança

Não adianta levar em consideração todos os fatores acima citados se o condomínio onde o idoso for residir não oferecer segurança, tanto interna quanto externa. Por isso, é importante escolher um lugar tranquilo, com boa vizinhança e assegurar que a própria moradia também ofereça segurança e acessibilidade ao idoso.

Na terceira idade deve-se manter os padrões de qualidade de vida que todos nós precisamos. Por isso, leve em consideração todos esses fatores e avalie bem se o idoso terá um envelhecimento feliz convivendo com sua família e, acima de tudo, com a presença e a convivência das pessoas queridas.

 

Clique aqui e baixe nosso E-book Hora de decidir idosos e qualidade de vida!

cta_e-book_hora_de_decidir_sba_residencial_baixe_aqui_sem_baixe_aqui

Mês das Mães tem início com homenagens ao som de Beatles

O mês das mães começou de forma muito especial para os moradores do SBA Residencial. Uma surpresa foi preparada com muito carinho pela equipe de Hospitalidade, que decorou o auditório com discos, posters e muitos corações. As canções mais famosas da banda Beatles foram tocadas pelo filho da moradora Sra. Silvia, o carismático Carlos, que interpretou Paul McCartney, e por um amigo que representou “John Lennon”. Ao final do evento todas as moradoras tiraram fotos em um cenário diferente e degustaram de deliciosos quitutes.

Confira o álbum de fotos clicando na foto abaixo!

Dia das Mães 2017 – Especial Beatles / Google Photos

Dia da Polônia é celebrado na SBA

Mais uma celebração de nacionalidade compôs o repertório de eventos comemorativos do SBA Residencial. Seguindo a tradição, o gerente de hospitalidade, Alexandre Souza, prestou uma homenagem aos moradores poloneses Bárbara Marja Sieradzka, Christine Peters e Dawid Cukier.

O dia da Polônia celebra a Constituição Polonesa de 3 de maio de 1791, considerada a primeira moderna constituição nacional codificada da Europa, assim como a segunda mais antiga no mundo. Alexandre falou um pouco sobre a história da Polônia e destacou algumas curiosidades.

Foram exibidos dois vídeos da série de reportagens da TV RBS, afiliada rede globo do Rio Grande do Sul, intitulados “Gaúchos na Polônia”, no qual uma equipe de reportagem acompanha a turnê de um grupo de dança no país europeu, mostrando um pouco da cultura polonesa, suas belezas, a história, a culinária e a percepção dos dançarinos gaúchos. O evento seguiu com a execução do hino nacional e a entrega de flores para os moradores homenageados. Parabéns, Polônia!!

Confira os vídeos aqui neste link: Gaúchos na Polônia

As fotos do evento podem ser conferidas clicando na primeira foto abaixo.

Dia da Polônia / Google Photos

Diálogos do Chá Filosófico

E lá se foram 14 edições do projeto que é um sucesso na SBA: o Chá Filosófico.

Os temas abordados nas últimas duas edições foram Frustração e Angústia.

O projeto aborda sempre questões reflexivas sobre a vida, o sentido do envelhecimento, além de questões comportamentais e sentimentais. Conduzido pela psicóloga Daniela Bernardes, a roda de conversa conta com moradores fiéis, que não perdem uma edição. Mas também, há novos integrantes do grupo que são acolhidos quando chegam, como é o caso do Sr. Antonio Paim, que participou pela primeira vez na edição de março e comentou o quanto o meio acadêmico é composto por frustrações. Sr. Paim é filósofo, historiador, foi professor universitário e já escreveu diversos livros e artigos.

Durante o chá, são exibidos alguns vídeos e são lidos poemas e textos interessantes, pertinentes aos temas escolhidos. “O intuito do projeto é promover a ressignificação de emoções e das experiências de vida”, destaca a psicóloga.

Confira algumas imagens clicando na foto abaixo.

Chá Filosófico – Frustração 27/03/17 / Google Photos

Dia do Reino Unido

A Rainha Elizabeth II completou 91 anos no dia 21 de abril, e esta data norteia as comemorações do Reino Unido (Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte), um feriado importante para estes países e também para as duas moradoras de origem britânica homenageadas pela SBA: Sra. Marguerite Wechsler e Sra. Judith Simas Magalhães.

Durante a abertura do evento, Alexandre de Souza, contou um pouco da história da Rainha Elizabeth e em seguida, mostrou um vídeo com belíssimas imagens dos pontos turísticos britânicos.

Fechando o evento, a cozinha do SBA Residencial preparou para o almoço ítens populares no Reino Unido: “fish and chips” (peixe e batatas fritas) e uma torta inglesa.

To the Queen! (Um brinde à Rainha!) E parabéns às nossas moradoras britânicas!

Clique na foto abaixo e acesso o álbum.

Dia do Reino Unido / Google Photos

Páscoa na SBA

Nas semanas que antecederam a Páscoa, a Terapeuta Ocupacional Melina, realizou diversas atividades com os moradores do SBA residencial, como pintura em ovos, desenhos de símbolos da páscoa e elaboração de objetos decorativos.

As voluntárias do setor de festividades também decoraram a instituição com coelhinhos e arranjos florais, criando um clima festivo e alegre.

Além de todas essas ações, também foi preparado com muito carinho, um chá de Páscoa para todos os moradores, independente da religião que seguem. Neste evento são servidos diversos quitutes, quiches, salgados, colombas pascais, café, chá, chocolates e muita doçura.

Toda equipe se mobiliza para servir os moradores e proporcionar uma tarde alegre e agradável.

Confira as imagens da festa no álbum abaixo!

Chá de Páscoa / Google Photos

Pessach 2017 – Páscoa Judaica

Pessach significa Passagem e traz consigo a mensagem de liberdade que está no cerne desta celebração. Este ano foi realizada a 4ª edição do evento que já se tornou uma tradição no SBA Residencial.

“É um momento de convivência e troca dentro do nosso residencial e este ano parece que ficou ainda mais natural para todos. Moradores, familiares, voluntários, convidados e o staff saíram energizados, foi uma noite em família!”, destaca Vivian Manasse Leite, diretora da SBA.

Participações especiais também integraram a celebração, como a apresentação de canções tradicionais, interpretadas por Sonia Oppenheim, filha da nossa querida moradora Hanna Brandt. Sonia conduziu a cerimônia com uma narrativa sensível e interessante, explicando o significado da data e dos muitos símbolos que a compõem.

A celebração do Pessach na SBA também contou com o apoio de voluntários, que ajudaram na montagem das mesas e durante todo o evento.

O Pessach recebeu, não apenas os familiares dos nossos moradores de religião judaica, mas também moradores interessados, colaboradores, integrantes da diretoria e familiares, judeus e não-judeus, todos juntos, sentados à mesa, para saborear um jantar delicioso e celebrar a esperança e a liberdade para todos!

Clique na foto abaixo para acessar o álbum!

Pessach 2017 / Google Photos

 

  • 1
  • 2