Mês: agosto 2017

Programa de Jovens Aprendizes da SBA

O Aprendiz Legal é um programa nacional de aprendizagem voltado para a preparação e inserção de jovens no mundo do trabalho, que se apoia na Lei 10.097/2000, a Lei da Aprendizagem. A Lei determina que empresas de médio e grande porte contratem jovens de 14 a 24 anos, para capacitação profissional (prática e teórica), cumprindo cotas que variam de 5% a 15% do número de funcionários efetivos qualificados.

Na Sociedade Beneficente Alemã o programa foi implantado em julho de 2012, em parceria com o CIEE (Centro de Integração Empresa Escola), e a Gerente de Recursos Humanos da SBA, Simone Ferreira, explica seu objetivo: “O programa de aprendizagem na SBA vai além de cumprir cotas, nosso objetivo é incluir o jovem na rotina de trabalho da SBA e também no dia-dia do idoso. Essa inserção é muito rica, pois o jovem é beneficiado, aprendendo a trabalhar e aprendendo com as histórias e experiências de nossos idosos , e estes também são beneficiados com essa convivência e troca de experiências”.

Simone destaca ainda que já passaram pela instituição 37 aprendizes que realizam cursos no CIEE. “A parceria com o CIEE é muito boa, pois os jovens recebem a teoria em cursos semanais e aplicam aqui a prática deste conteúdo, além de ser uma relação muito dinâmica com o CIEE, pois se o jovem falta no curso, perde um dia de salário aqui, e se não tem um bom comportamento aqui ou lá, nos falamos e fazemos um trabalho de orientação em conjunto”.

No SBA Residencial existe o cuidado de acompanhar este aprendiz para que ele comece a desenvolver suas habilidades e descobrir seus talentos, e a área de RH observa se ele se identifica e gosta do setor que está locado, e ainda, no programa da SBA existe a possibilidade deste jovem trabalhar em mais de uma área, de acordo com suas aptidões e desempenho durante estes dois anos conosco.

Um ponto muito importante para todos da SBA é que este aprendiz também aprenda, além do seu trabalho diário, a ter atitudes e comportamentos adequados no ambiente de trabalho e na vida.

 Abaixo seguem algumas fotos de uma das ações do programa onde se abordou o tema da Gestão Financeira.

Confira!!

Reunião Aprendizes 13/07/2017 / Google Photos

 

Dia dos Avós no SBA Residencial

Gratidão, carinho e amor foram alguns dos sentimentos expressos nas mensagens escritas por netos e filhos de moradores para o café da tarde especial do Dia dos Avós. Os netos e filhos dos moradores foram convidados a escreverem uma mensagem para ser lida durante o evento em homenagem ao Dia dos Avós. O que era para ser uma simples entrega, se tornou um momento inesquecível, regado de muita emoção e nostalgia. Ao som do nosso Musicoterapeuta, Wilson Fabro, os moradores foram recepcionados no restaurante e um café da tarde especial foi servido pela equipe da SBA. Na abertura do evento o Gerente Geral, Sr. Thomas Polisaitis, deu as boas-vindas e parabenizou a todos os avós pelo seu dia. Depois desse momento, o Gerente de Hospitalidade, Alexandre de Souza, destacou a importância do trabalho com música (link e-book musicoterapia) que é realizado na SBA a cada 15 dias, aos domingos, apresentando e agradecendo ao musicoterapeuta Wilson. Ao final da abertura, a Terapeuta Ocupacional Melina leu uma poesia escrita pela nossa psicóloga, Daniela Bernardes, especialmente para homenagear aos moradores. (segue abaixo texto na íntegra).

O ponto alto do evento foi o momento de entrega e leitura das mensagens dos familiares pela equipe de Hospitalidade. Eram desenhos coloridos, cartas com fotografias, e-mails com poesias, e até vídeos preparados para a ação, e muitas mensagens que mostraram carinho, gratidão, admiração, saudades, e muito respeito. É unânime que o papel dos avós tem grande importância na vida das pessoas, pois eles representam uma referência familiar, uma fonte de histórias, relatos e aprendizados que influenciam nosso desenvolvimento social e intelectual. Além disso, os avós representam uma forma diferente de amor em relação aos pais. Para muitos, avós são fontes de doçura, de sabedoria, de lembranças, de conselhos, de conforto, de simplicidade e de Amor.

Parabéns vovôs e vovós pelo seu dia!

 

Rugas

 

E lá se vão os anos e com eles vem as rugas.

Aquelas que queremos negar a todo custo, mas que chegam mesmo assim.

Será que a vida passa e isso não terá fim?

Findam-se os dias, as horas e os minutos.

Pensamos no tempo, na esperança e no futuro.

Será que temos a chance de parar os segundos?

Que pergunta difícil saber os porquês, saber a hora de parar andar e crescer.

Só vocês sabem as respostas a nos dizer.

Têm nos olhos a chama de cair, levantar e crescer.

Tem na história a maturidade e nelas o poder.

As rugas são falas, palavras, momentos.

São elas que escondem a vida, o calor e o movimento.

Remetem a sorte, a força da sabedoria.

Que só aqueles que a percebem terão nas mãos alegria!

A vocês devemos a vida, a percepção e seu legado.

E por isso deixamos aqui nossa admiração por todo aprendizado!

Daniela Bernardes.

 

Confira as fotos do evento.

https://photos.app.goo.gl/S7fZvTsd1C3Dzz3X2

 

 

Coral Canto Encanto destaca histórias das músicas

O Coral Canto Encanto composto por cantores, pianista e maestrina, veio ao SBA Residencial celebrar uma tarde agradável de Sábado com os moradores. Além da generosidade de nos trazer a música, os integrantes interagiram ao final da apresentação, espalhando abraços, sorrisos e mensagens positivas.

O repertório contemplou MPB e músicas antigas, que antes de serem cantadas pelo grupo, eram explicadas pela Maestrina que contou as histórias e respondeu às perguntas dos moradores que se interessavam pelos relatos.

O morador Sr. Paulo, se interessou pela letra e história da canção Caju Cajuína de Caetano Veloso. Leia abaixo mais informações sobre a música.

Reiteramos nossos agradecimentos a Sra. Gudrun e ao Coral Canto Encanto por sua generosidade em celebrar conosco.

Letra de Caju Cajuína

Caetano Veloso

Existirmos: a que será que se destina?
Pois quando tu me deste a rosa pequenina
Vi que és um homem lindo e que se acaso a sina
Do menino infeliz não se nos ilumina
Tampouco turva-se a lágrima nordestina
Apenas a matéria vida era tão fina
E éramos olharmo-nos intacta retina
A cajuína cristalina em Teresina

 

Caetano conta a história de ‘Cajuína’ no Altas Horas e relembra Torquato

A história não é segredo, mas ainda são poucos os que sabem da verdadeira história da música Cajuína, composição de Caetano Veloso. E instigado pelo apresentador Serginho Groisman, o cantor acabou contando como surgiu a letra da composição, uma das mais lindas de Caetano.

A letra foi escrita após a morte do poeta piauiense Torquato Neto. Caetano conta que rodava o Brasil em turnê, e ao passar por Teresina, algum tempo depois que Torquato tirou a própria vida, recebeu a visita do pai do poeta piauiense, Dr. Heli da Rocha.

“Torquato era muito meu amigo e parceiro, letrista do Tropicalismo. Estava até com Chico Buarque em Salvador, fazendo um show que virou disco, no dia da morte de Torquarto. Ele também era muito amigo de Chico, ficaram muito próximos no período pré-Tropicalista. A gente ficou abalado, triste, mas eu não chorei no dia”, conta Caetano. Ele relata ainda, que anos depois da morte de Torquato, ao ver o pai de Torquato, desabou em choro. “Ele me levou para a casa dele, onde estava sozinho. Torquato era filho único e a mulher dele (Dona Heli), estava hospitalizada. A casa era cheia de fotografias de Torquato nas paredes. Ficamos os dois sozinhos, ele me consolando. Ele pegou na geladeira uma cajuína, botou em dois copos e não falamos nada. Ficamos os dois chorando. Ele foi no jardim, colheu uma rosa menina e me trouxe. E cada coisa que ele fazia eu chorava. Fui para outra cidade do Nordeste, e no hotel escrevi essa música”.

Confira as fotos do evento clicando na primeira imagem abaixo.

https://photos.app.goo.gl/fLIqHFToLIqIA7vs2

Passeios da Hospitalidade – Templo Zu Lai

A apenas 20 minutos de carro da sede da SBA, está o tranquilo Templo Budista Zu Lai, na cidade de Cotia, um dos destinos favoritos dos moradores que participam dos Passeios promovidos  pela equipe de Hospitalidade do SBA Residencial. O Templo é o maior santuário da religião oriental na América Latina e sua arquitetura lembra muito os clássicos palácios chineses, cercado por um jardim com esculturas em pedra sabão, fonte d´água e lindas arvores cerejeiras que compõem o paisagismo do local.

Logo na entrada, os visitantes se deparam com uma enorme estátua sorridente de Buda, que também aparece adornado no salão principal. Aos domingos, a partir das 10h, é possível acompanhar uma cerimônia com mantras (palavras sagradas) em chinês e o Templo atrai também os não-budistas que visitam para saborear pratos vegetarianos do restaurante, ou para conhecer o Museu de arte oriental, a cafeteria, a livraria ou realizar alguns dos cursos oferecidos como ikebana, tai chi chuan, chinês, culinária vegetariana e meditação.

No último dia 20 de julho, a Assistente Social da SBA, a Malu, acompanhou o grupo e relatou o quanto a visita foi especial para o morador Sr. Alberto. “Foi muito gratificante proporcionar essa alegria para o Seu Alberto, em especial, pois ele ficou encantado com a grandiosidade do Templo, e ele não acreditava que estava diante de algo tão majestoso, e essa vivência despertou nele um sentimento muito positivo, porque ele disse que momentos como este fazem a vida valer a pena”, destaca Malu emocionada.

A Assistente Social também destacou que todos prestaram muita atenção na visita guiada e fizeram os pedidos diante do altar. “Acompanhar o grupo e percebê-los maravilhados é muito satisfatório, e além disso tudo, incentivá-los a se voltarem para si, e para o lado espiritual, também é muito importante”, ressalta Malu.

Os passeios da Hospitalidade são realizados a cada 15 dias e mais informações podem ser obtidas pelo telefone: (11) 3724-9770/9771

https://photos.app.goo.gl/3rAJuLMqTqB6CKkF3

 

  • 1
  • 2