Agenda do Morador: Grupos de Memória

No SBA Residencial, o treinamento de memória foi implantado para incentivar os moradores com algum déficit de memória a desenvolver métodos para lembrar e aumentar o poder de vocabulário perdido com o passar dos anos. Melina Cristina de Souza, terapeuta ocupacional, explica como é feito esse trabalho: “Através de atividades que exijam raciocínio lógico, uso da memória imediata, memória longa e agilidade no pensar, os participantes são incentivados a exercitar o armazenamento de informações. ”

A atividade utiliza jogos populares como cruzadinhas e caça-palavras. Uma brincadeira eficaz e divertida é bastante apreciada: define-se um tema e uma letra que os participantes devem considerar para fornecer palavras inéditas no jogo, até esgotarem-se as possibilidades. O exercício torna-se um desafio que promove grande interação entre os participantes e rende boas risadas nas tardes de sexta-feira.

Para os moradores que falam alemão, há um grupo de treinamento de memória naquele idioma, conduzido pela voluntária Mechtild Zander (Meggy) desde 2002. Esse grupo, que tem em média 8 participantes bem motivados e animados, com idades entre 80 e 100 anos, teve início na SBA em 1999 com a antiga voluntária Cornelia Benesch. O método que a voluntária aprendeu na Alemanha teve muita procura popular na década de 90, culminando até com campeonatos de memória.

“O tamanho do nosso grupo é bom, porque os exercícios são realizados em primeiro lugar verbalmente e assim cada um dos moradores consegue participar. A língua e cultura alemãs dão muitas possibilidades para jogos com palavras e números, bem como jogos de memória com poemas, canções e provérbios que trazem lembranças da infância. A aula é organizada com diferentes exercícios, nos quais nós treinamos a concentração, o conhecimento, a memorização, a imaginação e a criatividade. No fim de cada aula os participantes podem levar tarefas de casa e trazer para a próxima aula”, conta Meggy Zander.

Mas por quê devemos fazer um treinamento de memória? Meggy explica que o cérebro é como um músculo e nós precisamos treiná-lo regularmente. Mesmo na idade avançada, nós podemos aumentar ainda a capacidade cerebral. O cérebro pode funcionar um pouco mais devagar, porque a distribuição das substancias químicas neurotransmissoras produzidas por nosso corpo está mais lenta. Mas a capacidade de aprender fica mantida até uma idade avançada. Em contrapartida, sem estímulos o cérebro atrofia, como acontece com um músculo do corpo.

A orientadora voluntária lista os principais benefícios da atividade:

– aumenta a concentração e a motivação;

– aumenta a capacidade de memorizar em três etapas: aprender, gravar e achar;

– treina a memória de curto e médio prazo (inteligência fluida), aumentando assim a  agilidade para processar novas informações e a duração da presença desta informação no  cérebro;

– treina e aumenta a precisão, a decisão e a criatividade.

Você quer treinar sua memória? Na próxima semana lembre-se de ler nosso boletim e visitar nosso blog, onde publicaremos ótimas dicas de Meggy Zander!

 

 

Share