Autor: Comunicação SBA

Saiba como Passeios Culturais são importantes para qualidade de vida

A vida da pessoa na terceira idade precisa continuar e, mesmo que ele ainda trabalhe e tenha
uma rotina agitada, os bons momentos de lazer precisam fazer parte do dia a dia. As opções
são muitas e o SBA Residencial incentiva e organiza passeios para seus moradores.
Há diversos benefícios mentais, emocionais e físicos que as pessoas da terceira idade têm ao
saírem de casa e passarem bons momentos caminhando pela cidade.
Com o e-book “Dicas de Passeios Culturais na Terceira Idade” você terá acesso a um
verdadeiro guia sobre parques, museus, jardins, aquários e exposições, entre outras atividades
incríveis. Baixe aqui este material exclusivo sobre o assunto!

 

A qualidade de vida para quem está na terceira idade

O processo de envelhecimento se apresenta de maneiras diferentes para cada um. Alguns não aceitam a chegada da idade e tendem a não conviver bem com o processo natural de desgaste do corpo e da mente. Mas há quem aceite e aprenda a lidar com o envelhecimento da melhor maneira possível, desafiando-se a cada momento, buscando aprender e alcançar o bem-estar e a qualidade de vida diariamente.

 

Como a sociedade encara o envelhecimento

 

Uma vez que a própria sociedade tende a reprimir e desvalorizar o ser humano conforme este envelhece, é fundamental que o indivíduo pare e analise como lida com o próprio envelhecimento e com o das pessoas que o cercam.

 

Tornou-se tão comum considerar quem está na terceira idade como alguém incapaz e com memória fraca. Entretanto, esquecemos que são eles os indivíduos que carregam a maior bagagem e experiência de vida, sabedoria e ensinamentos!

 

Quem está na terceira idade não precisa e nem deve ser destinado a uma vida de inatividade e dependência. É preciso criar alternativas e espaços voltados para práticas da terceira idade, como atividades físicas, lazer e alimentação.

 

Sair e socializar é o melhor remédio

 

Para manter seus moradores ativos, o SBA Residencial promove passeios em grupo em locais como o Pico do Jaraguá, Sala São Paulo e a Igreja da Gruta. Outra atividade bacana são os Chás Filosóficos para trocar ideias e experiências. Este é um evento que foca no exercício do livre pensamento e está na grade de atividades do dia a dia dos moradores.

 

Oferecer todo o suporte e apoio necessário é imprescindível, mas sem deixar de respeitar o espaço e a individualidade, incentivando a busca pela própria essência e personalidade.

 

Ao tratar de questões estéticas, o importante é deixar claro a importância de aceitar o curso natural da vida e aproveitar a beleza mais madura, deixando de se importar com padrões inatingíveis nesta idade.

 

 

O envelhecimento bem-sucedido

 

Para falar sobre um envelhecimento bem-sucedido, podemos entender que é aquele em que a pessoa aceita a chegada da terceira idade e aprende a viver com ela da melhor maneira possível, buscando manter o controle sobre sua vida de acordo com suas escolhas pessoais. Quando o indivíduo tem autonomia sobre a própria vida e tomada de decisões, é possível manter a essência e a personalidade vivas, proporcionando a liberdade que cada um precisa durante essa etapa.

 

Mesmo que uma pessoa precise de cuidados especiais, deve-se preservar o seu próprio espaço e estilo de vida, permitindo que a mesma detenha o controle da sua rotina, na medida do possível. Proporcionar melhorias e qualidade de vida para essas pessoas, oferecendo-lhes oportunidades de exercitarem mente e corpo, atividades de lazer e interação social são essenciais para ajudá-los a viver plenamente essa fase da vida.

 

Existem alguns pontos que são extremamente importantes para proporcionar conforto e segurança durante o envelhecimento do ser humano, e que cabe à parcela jovem da sociedade garantir aos seus entes queridos. Alguns desses pontos são:

 

  • Autonomia e independência;
  • Segurança financeira;
  • Companhia de familiares e amigos;
  • Vida social e lazer;
  • Prática de atividade física.

 

O SBA Residencial e a qualidade de vida como prioridade

 

O SBA Residencial tem como foco oferecer toda a estrutura e cuidados que o público da terceira idade precisa. Além de dispormos de atendimento médico 24 horas por dia, contando com especialistas de diversas áreas, oferecemos também um cardápio de alimentação saudável sob orientação de nutricionistas, espaços para prática de atividades físicas de acordo com a necessidade de cada morador e sob cuidados de profissionais extremamente capacitados, ambientes de leitura e lazer, programações culturais e atividades de interação entre nossos moradores.

 

O SBA Residencial, localizado no bairro do Butantã em São Paulo, onde há mais de 150 anos vem trabalhando com atenção à saúde, carinho, conforto e segurança, fundamentais para viver plenamente essa etapa da vida. Acesse o portal da SBA para conhecer mais sobre nossas instalações e saber porque somos a escolha mais confiável para cuidar de quem você ama.

 

Baixe também o e-book 101 dicas de bem-estar para a terceira idade

Saiba como a Pet Terapia proporciona qualidade de vida

O contato com animais, mesmo que domésticos, permite uma aproximação com a natureza e pode despertar alguns instintos naturais como o de proteção e lealdade. O SBA Residencial incentiva o contato dos pets com seus moradores, o que acaba melhorando a sua autoestima.

O bem-estar proporcionado pela convivência com os animais é tão importante que tem sido usado em terapia, conhecida também como Pet Terapia ou Terapia Assistida por Animais (TAA), que visa melhorar a qualidade de vida.

Gostou do tema? Baixe aqui este material exclusivo sobre o assunto: Pet Terapia – Terapia com animais ajudam no convívio da Terceira Idade”.

 

Moradia para longevidade é alternativa para qualidade de vida na terceira idade

Com o aumento da população na terceira idade, cresce a procura por opções de moradias que proporcionem qualidade de vida.

 

Segundo uma pesquisa recente do IBGE, a presença de pessoas a partir de 60 anos no total da população foi de 9,8%, em 2005, para 14,3%, em 2015. Esses números tendem a crescer ainda mais, já que o surgimento de novos tratamentos e técnicas médicas podem aumentar a expectativa de vida.

 

Com isso, muitas famílias – especialmente os membros de idade mais avançada – estão em busca de opções de moradia que aliem conforto e segurança no dia a dia.

 

Condomínios como o SBA Residencial estimulam e garantem a qualidade de vida na terceira idade

 

Esse crescimento no número de pessoas a partir de 60 anos tem feito o número de asilos e casas de repouso crescer cada vez mais. Mas muitas pessoas tendem a não enxergar essa solução como a melhor para garantir a qualidade de vida na terceira idade.

 

Um dos principais motivos é o acesso pouco facilitado da família ao membro longevo, já que estas instituições tendem a ter regras específicas de visita.

 

Isso faz com que a grande maioria das pessoas prefira os condomínios residenciais específicos para pessoas da terceira idade, como o SBA Residencial.

 

Acesso facilitado da família, ambiente aconchegante e personalizado, além de infraestrutura médica são algumas das vantagens.

 

Optar por um instituição de longa permanência para a população sênior traz uma série de benefícios. Não só para o morador em si, mas também para toda a sua família. Confira alguns dos principais benefícios dessa solução:

Vínculo familiar garantido e reforçado

 

As pessoas mais velhas frequentemente tornam-se dependentes de seus filhos adultos ou de outros familiares próximos.

 

Essa inversão de papéis pode prejudicar os relacionamentos, já que alguns membros mais jovens podem sofrer com uma rotina de acúmulos entre a vida pessoal e os cuidados com seus entes queridos.

 

Optar por uma instituição como o SBA Residencial proporciona toda essa rotina de cuidados, através do suporte de uma equipe multidisciplinar.

 

Assim, os membros da família tornam-se capazes de garantir que o tempo com seus amados de idade mais avançada seja significativo e de alta qualidade.

 

Essa autonomia proporcionada pela infraestrutura também faz com que estes membros da família restabeleçam o papel de matriarca ou patriarca, gerando um aumento de autoestima.

 

Mais autonomia para o convívio social

 

Seja por questões de mobilidade ou falta de companhia, algumas pessoas de idade mais avançada podem sofrer com a impossibilidade de seguir com suas atividades rotineiras.

 

Mas comunidades como o SBA Residencial oferecem uma ampla variedade de oportunidades para mantê-los entretidos e ativos.

 

Isso pode incluir jogos, atividades físicas, grupos de leitura e de discussão, aulas e palestras que estimulem os moradores de forma social e intelectual.

 

Mais segurança

 

Estruturas como o SBA Residencial proporcionam uma sólida margem de segurança, tanto para seus residentes quanto para seus familiares.

 

Diferentemente de uma moradia convencional, aqui as pessoas com idade mais avançada estão em um ambiente protegido, contando com um ágil sistema de resposta a emergências, o que garante o recebimento de pronto atendimento em caso de quedas ou um possível mal súbito – cenário muito comum para aqueles que permanecem em sua residência sozinhos.

 

Certamente há pessoas da terceira idade que vivem sozinhos e seguem mantendo sua qualidade de vida. Entretanto, certos quadros clínicos, além do próprio avançar da idade, fazem com que muitas pessoas com idade superior a 60 anos vivam em situações inseguras ou não saudáveis.

 

É por isso que os condomínios especiais, como o SBA Residencial, tornam-se a melhor opção para garantir uma rotina de qualidade para a população sênior.

SBA Residencial é solução para qualidade de vida na terceira idade

 

Localizado no Butantã, um dos bairros mais calmos e arborizados de São Paulo, o SBA Residencial é referência em cuidados para terceira idade.

 

Aqui a autonomia e estilo de vida de cada morador são respeitados a cada cuidado. A personalização da residência escolhida é o primeiro grande diferencial. Cada novo morador pode trazer seus móveis e objetos pessoais, o que ajuda a manter a familiaridade com o cotidiano.

Além disso, os moradores são incentivados a manter suas atividades corriqueiras, que eram realizadas fora do condomínio. E a participar de eventos especiais, festas e passeios.

 

Para isso, o SBA Residencial conta com salão de beleza, restaurante, auditório, cafeteria, lago e trilhas. São 27 mil m² de área, o que estimula a prática de exercícios e o convívio social através de atividades das mais variadas.

 

Conheça mais sobre o SBA Residencial e todos os seus benefícios, clique e fale conosco.

Você vai conhecer a verdadeira opção para garantir a qualidade de vida na terceira idade.

 

Baixe também nosso e-book “101 dicas de bem-estar para terceira idade”

Conheça alguns cuidados que devemos ter com a saúde na terceira idade

Conheça alguns cuidados que devemos ter com a saúde na terceira idade

Envelhecer não é sinônimo de ficar doente. Hoje em dia existem pessoas que chegam à terceira idade com a saúde perfeita. Porém, não se pode negar que nessa fase da vida os cuidados devem ser redobrados, uma vez que o corpo está um pouco mais debilitado.

É preciso que a atenção não seja dada apenas à saúde física, mas se estenda para a mental. O bem-estar vai influenciar diretamente na qualidade de vida. Os cuidados devem estar presentes no dia a dia para que se tenha um resultado positivo.

Quando estão com a mente sã, as pessoas mais velhas conseguem ficar responsáveis pela maior parte desses cuidados, mas, mesmo assim, é recomendável o acompanhamento de um profissional ou familiar. Se está preocupado em garantir que um ente querido continue saudável, veja as dicas abaixo.

Se atente aos medicamentos

Organize os medicamentos com orientações para que a pessoa mais velha possa tomar todos eles de forma correta. Se alguém dá a medicação, é preciso se atentar para que não haja atrasos ou esquecimentos.

Cuide da alimentação

Com a idade, a vontade de se alimentar diminui, mas nem por isso se pode descuidar das refeições. Sirva alimentos ricos em nutrientes e preferencialmente em horários fixos, isso faz com que a pessoa siga uma rotina para se alimentar.

Estimule a atividade física

O sedentarismo na terceira idade fará com que os músculos fiquem enfraquecidos e a possibilidade de uma fratura óssea aumente. É necessário estimular a prática de atividades físicas, sempre respeitando os gostos da pessoa. Os exercícios em grupo ou os que proporcionem lazer, como dança ou caminhadas, costumam ser muito bem aceitos.

Conheça sobre as doenças existentes

No caso de alguma doença, é preciso que o cuidador ou responsável saiba sobre ela. Não basta apenas ter conhecimento sobre a sua existência, é necessário entender quais são os sintomas, as causas e como lidar. Isso garantirá que o paciente seja tratado de forma adequada e socorrido corretamente caso necessário.

Acompanhe seu ente querido durante consultas médicas

Além de se manter informado sobre a saúde do seu ente querido, o acompanhante acaba tendo um papel fundamental nas consultas médicas. Ele ficará responsável por levar os exames e relatar o histórico, garantindo um atendimento mais completo. Além disso, poderá fazer questionamentos que muitas vezes os pacientes não se atentam, mas que são essenciais.

Incentive a vida social

Ficar isolado dentro de casa ou conviver com poucas pessoas pode levar a solidão e até mesmo a depressão. É preciso incentivar a pessoa a se relacionar, buscar novas amizades e fazer atividades em grupos. Existem atividades voltadas para a terceira idade que tem o objetivo de proporcionar lazer, interação social e que respeitam os limites de cada indivíduo.

Cuide do aparelho auditivo e óculos

Se houver a necessidade de uso de aparelhos auditivos ou óculos, cuide para que eles sigam as recomendações médicas. A perda da visão e audição além de dificultarem a comunicação, faz com que as tarefas cotidianas fiquem ainda mais difíceis.

Trate-o como um adulto

Não é porque a pessoa está mais velha, que voltou a ser criança. Isso precisa estar muito claro para quem convive com ele. Usar palavras no diminutivo como “abre a boquinha” e “é hora do banhinho” farão com que ele se sinta incapaz. Trate-o como um adulto que tem uma história de vida e que precisa de cuidados como qualquer pessoa.

Cuide da saúde bucal

Muita gente lembra de levar a pessoa mais velha ao médico, mas acaba se esquecendo do dentista. Principalmente nessa fase da vida, os dentes ficam mais fracos e podem cair, sendo preciso redobrar a atenção.

Como garantir os cuidados especiais?

Nem sempre é possível monitorá-los o tempo todo, já que, para isso, é preciso contar com a ajuda de profissionais. Contratar um enfermeiro para cuidar da pessoa em casa pode ter um custo alto e interferir na rotina da família.

Optar por uma residência para terceira idade pode ser uma ótima alternativa, pois nesses locais eles têm liberdade e são assistidos em tempo integral. O SBA é especializado em cuidados com a terceira idade, propiciando um ambiente adequado para moradia e atividades diárias.

O condomínio tem a preocupação de manter e respeitar o ritmo e a história de vida de cada morador. Ouvir, entender, socializar e cuidar é o que o SBA Residencial proporciona.

Mesmo sabendo que o morador está recebendo cuidados especiais, o acompanhamento familiar é fundamental, mas a preocupação diminui. Dessa forma, toda a família pode viver melhor e fazer com que a pessoa se sinta útil e saudável.

Você gostou deste artigo? Compartilhe em suas redes sociais e entre em contato conosco para contar o que achou.

Qualidade de vida na terceira idade

Na terceira idade é importante viver bem o dia a dia, desfrutando de momentos felizes e
fazendo adequações necessárias para manter qualidade de vida.
Com o e-book “101 dicas: Bem-estar para a terceira idade” você encontrará sugestões que
tornarão esta fase da vida ainda mais tranquila. Saiba como ficar mais confortável conforme as
alterações climáticas, acompanhando as estações do ano.
A boa qualidade de vida é possível também na vida madura, contanto que haja organização, a
fim de tornar esta época mais equilibrada. É comum a terceira idade seja acometida por
doenças específicas, porém atividades e lazer, sem dispensar os cuidados com a saúde, ajudam
a manter o bem-estar.

Confira este material e saiba como viver a terceira idade com qualidade de vida. Baixe o e-
book aqui.

Autonomia e independência na terceira idade

Pessoas mais velhas precisam seguir com a sua vida normalmente, mantendo a sua independência. Porém, para que isso ocorra é preciso se adaptar à nova realidade, isso porque com o passar dos anos, o corpo muda e passa a exigir mais atenção.

A grande questão é: o que fazer para garantir que ela possa ter a autonomia e independência que necessita? A primeira coisa é entender a diferença entre esses dois conceitos.

A autonomia permite que a pessoa faça escolhas, decidindo sobre os fatos de sua vida. Por exemplo, ele pode optar por morar em um condomínio para quem está na terceira idade.

Porém, a autonomia pode ficar prejudicada se a pessoa tiver alguma doença que influencia suas capacidades mentais, como o Alzheimer. Nesse caso, ele perde parte ou totalmente a sua independência, sendo que decisões importantes precisam ser tomadas por outras pessoas.

Já a independência está ligada, até mesmo, ao fato de se executar determinadas atividades simples, como tomar banho sozinho ou fazer atividades físicas.

 

O amadurecimento e a perda da independência

 

Com o passar dos anos, é comum que as pessoas percam parte de suas capacidades, sendo que o impacto delas variam de uma pessoa para outra. Com 80 anos é possível que uma pessoa esteja com a saúde física e mental igual a quando tinha 50 anos. Já em outros casos, uma pessoa de 60 anos pode estar bastante debilitada, com dificuldade de locomoção e com as suas capacidades mentais reduzidas.

A idade cronológica é apenas um fator que influenciará na qualidade de vida, sendo que o convívio social, estilo de vida e condições econômicas podem ter um grande peso. Por conta disso, deve-se diagnosticar precocemente condições que levem a falta de autonomia e independência.

A Avaliação Geriátrica Ampla (AGA) pode auxiliar, fazendo um amplo estudo sobre diversos aspectos da vida das pessoas mais velhas. Isso ajudará a entender as suas condições de saúde e auxiliará a ter uma melhor qualidade de vida. Os profissionais de saúde, com base nas informações coletadas, conseguem fazer com que se mantenha a autonomia por um maior tempo possível.

Dessa forma, é possível estimular a pessoa com atividades voltadas as suas necessidades e preservar sua integridade física e mental.

 

Como garantir uma boa qualidade de vida mesmo com limitações

 

Além do acompanhamento profissional, existem outros fatores que podem contribuir para que a terceira idade permaneça independente.

Realizar atividades cotidianas – É preciso que a pessoa realize as suas atividades, como lavar uma louça, tomar banho, pendurar as roupas, etc. Se ele possui capacidade para fazer as atividades, mas a todo momento fica restrito, aos poucos ele perde essa habilidade e consequentemente a sua independência.

Podem haver limitações, por conta disso, é preciso ter uma infraestrutura que atenda a necessidade da terceira idade, como banheiros com barras laterais, casas com fácil acesso, entre outros.

Ter refeições equilibradas – A saúde física e mental está relacionada com alimentação, sendo preciso ter um cardápio elaborado por um nutricionista. Quando se reúne determinados grupos de alimentos, o corpo ganha mais energia, as células se mantém saudáveis e os benefícios são notados no dia a dia.

Estimular a autonomia e independência – As atividades físicas podem ser de grande valia para manter as atividades motoras. A pessoa que mantém o corpo ativo consegue realizar as suas tarefas com mais facilidade. O SBA residencial oferece aos moradores atividades físicas diárias acompanhadas de fisioterapeutas e passeios promovendo o convívio social.

Garantir o convívio social – Interagir com outras pessoas garante que o cérebro continue ativo, preservando a memória e retardando o surgimento de doenças. Com atividades em grupos, a pessoa passa a ter opções e consegue fazer escolhas.

Mesmo que um pouco debilitadas, as pessoas podem manter a sua autonomia e independência se estiverem em um local adequado e com acompanhamento profissional.

O SBA Residencial oferece toda a infraestrutura para quem está na terceira idade possa se sentir acolhido e ter uma excelente qualidade de vida. Entre em contato conosco e saiba mais!

 Baixe também o e-book “Envelhecimento Saudável”

 

Por dentro do Estatuto do Idoso: como agir contra abusos financeiros

Trabalhar a educação financeira na terceira idade é algo extremamente importante a ser
feito para a prevenção de práticas abusivas por parte de instituições financeiras e até
familiares.
O Estatuto do Idoso ‒ Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003 ‒ é bem claro quanto a
esse tema. Qualquer ação ou omissão que cause dano ou sofrimento físico ou
psicológico contra essa faixa etária é crime previsto na lei, o que inclui os abusos
financeiros.
O artigo de hoje é um alerta aos familiares e integrantes da terceira idade sobre o que
pode ser considerado crime e o que deve ser feito para inibir essa prática e proteger o
dinheiro de aposentadorias e pensões. Acompanhe.

Exemplos de abusos financeiros

Todos os dias, um considerável número de pessoas mais velhas são alvos de criminosos.
Levantamento da Coordenação-Geral dos Direitos do Idoso, vinculada à Secretaria
Especial de Direitos Humanos (SDH), do governo federal, revela que somente no
primeiro semestre de 2016 foram feitas mais de 8,8 mil denúncias no Disque 100
relatando tentativas de retenção de salários, extorsão e expropriações de bens.
Alguns exemplos desses abusos financeiros:
Fraudes bancárias e de outras instituições financeiras

Um abuso financeiro bem comum sofrido é em relação a empréstimos, por exemplo.
Existem casos em que mais de 70% da aposentadoria fica comprometida por causa de
empréstimos consignados concedidos por instituições financeiras.
Mas a regra é clara: segundo informações do Banco Central, os descontos de créditos
consignados não podem ultrapassar 35% do valor dos salários. Saber isso evita muita
dor de cabeça e a queda significativa da qualidade de vida na terceira idade.

Fique atento, ainda, com telefonemas de instituições (ou farsantes) oferecendo
empréstimos, seguros e cartões de crédito. Muitas dessas pessoas acabam induzindo o
aposentado ao erro, que acaba “aceitando” a oferta mesmo sem saber. É preciso cautela
e muita calma na hora de conversar por telefone, e nunca fornecer dados pessoais. O
mesmo vale para e-mails e mensagens de texto via SMS.

Abuso financeiro por parte de parentes

Infelizmente, essa é uma realidade enfrentada por muitas pessoas de mais idade. A
violência financeira pode estar camuflada em pequenos gestos, mas que causa grandes
prejuízos para o bem-estar da vítima.
Exemplos vão desde a utilização indevida da renda até mesmo a pressão psicológica
para que ele consiga empréstimos para familiares ou terceiros. Isso sem falar em casos
de fraudes de parentes que utilizam cartões de transporte ou de crédito em benefício
próprio.
E muitos desses abusos cometidos acabam tendo a conivência daquele parente mais
velho simplesmente na tentativa de promover a paz e o sossego na família, embora essa
tranquilidade seja apenas aparente. Muitos aposentados se responsabilizam pelas
despesas de toda a casa para terem um bom ambiente familiar.

Falta de contrato de instituições de longa permanência

Outra situação comum que pode configurar violência financeira contra a pessoa de mais
idade é a cometida por instituições de longa permanência, também chamadas de
instituições de longa permanência. Algumas delas agem contra a lei e acabam
sequestrando os recebimentos financeiros dos acolhidos.
Por isso é de extrema importância realizar uma pesquisa aprofundada antes de decidir o
local onde seu ente querido passará a viver. O ideal é que a instituição tenha um
contrato por escrito prevendo toda a proteção legal, valores a serem pagos e garantindo
a total preservação da autonomia da pessoa manifestada por este ou pelo responsável do
mesmo.

Onde procurar ajuda e as penas previstas em lei

A seguir, separamos três artigos do Estatuto do Idoso que ajudam a esclarecer em quais
locais deve-se procurar ajuda em caso de suspeita de prática de abuso financeiro, bem
como as penas para quem comete esse crime.
Art. 19.  Os casos de suspeita ou confirmação de violência praticada contra idosos
serão objeto de notificação compulsória pelos serviços de saúde públicos e privados à
autoridade sanitária, bem como serão obrigatoriamente comunicados por eles a
quaisquer dos seguintes órgãos:
I ‒ Autoridade policial;
II ‒ Ministério Público;
III ‒ Conselho Municipal do Idoso;
IV ‒ Conselho Estadual do Idoso;
V ‒ Conselho Nacional do Idoso.
Art. 102. Apropriar-se de ou desviar bens, proventos, pensão ou qualquer outro
rendimento do idoso, dando-lhes aplicação diversa da de sua finalidade:
Pena – reclusão de 1 (um) a 4 (quatro) anos e multa.
Art. 104. Reter o cartão magnético de conta bancária relativa a benefícios, proventos
ou pensão do idoso, bem como qualquer outro documento com objetivo de assegurar
recebimento ou ressarcimento de dívida:
Pena – detenção de 6 (seis) meses a 2 (dois) anos e multa.
Art. 106. Induzir pessoa idosa sem discernimento de seus atos a outorgar procuração
para fins de administração de bens ou deles dispor livremente:
Pena – reclusão de 2 (dois) a 4 (quatro) anos.
Portanto, fique bem atento quanto a qualquer indício de abuso financeiro que possa ser
praticado contra os membros da terceira idade da sua família. Afinal de contas,
educação financeira nunca é demais e ajuda a proteger o patrimônio de uma vida inteira
de trabalho.
Para mais informações sobre esse e outros temas que envolvem a saúde e o bem-estar da
terceira idade, entre em contato com o SBA Residencial através do Fale Conosco. Há
mais de 150 anos promovendo integração, convivência, qualidade de vida e assistência
social.

Se interessou? baixe também o e-book “Envelhecimento Saudável”

Os direitos dos idosos e os deveres da sociedade

Os integrantes da terceira idade, ou seja, as pessoas com mais de 60 anos, possuem os mesmos direitos que todos os cidadãos, acrescidos de alguns específicos por conta da fase especial de vida em que se encontram.

O Estatuto do Idoso (Lei nº 10.741/2003) especifica os cuidados que todos nós, como sociedade e também os familiares, devemos ter para garantir uma proteção e segurança especial. Afinal, as pessoas precisam se sentir amadas, acolhidas e com a autonomia preservada para realizarem suas atividades e garantirem seu bem-estar.

No artigo de hoje vamos citar alguns exemplos dos direitos na terceira idade e os deveres da sociedade, baseados e interpretados perante a lei.

Os nossos deveres como sociedade

Em primeiro lugar, vamos falar sobre os nossos deveres para garantir a qualidade de vida para os membros da terceira idade.

Cuidar de pais que estão na terceira idade, mesmo que eles vivam sozinhos, em uma instituição de longa permanência ou na casa de algum familiar, é uma responsabilidade dos filhos. Se esse é o seu caso e se tiver irmãos, então passa a ser responsabilidade de todos vocês garantirem o bem-estar físico e mental deles. Pode não ser uma tarefa fácil, principalmente quando cada um dos filhos já tenha suas respectivas famílias. Nesse e em todos os outros casos, a chave do sucesso é a comunicação.

A comunicação deve ser aberta entre todos os irmãos, ou seja, nada deve ser decidido ou feito sem todos serem informados. É preciso decidir como as despesas serão divididas, as tarefas repartidas e como oferecer apoio emocional das pessoas que estão na terceira idade na família. Esse é mais que um dever, é um gesto de gratidão e solidariedade.

Ao Estado, compete assegurar tudo o que for necessário para que a terceira idade tenha acesso à alimentação adequada, ao lazer, à educação, à previdência social e a outros benefícios, além da garantia de que todos os direitos sejam plenamente respeitados.

E é dever de todos, de forma igual, a não submissão das pessoas idosas a situações de constrangimento, abuso ou violência de qualquer espécie. Incumbe a cada um e a todos o respeito, o cuidado e a garantia da segurança na terceira idade, para que vivam essa fase da vida com respeito, dignidade e felicidade.

Os direitos assegurados no Estatuto do Idoso

Vamos elencar abaixo os principais direitos na terceira idade que estão assegurados em lei:

  • A terceira idade têm o direito de ser cuidada e atendida pela própria família, em detrimento à internação em uma instituição de longa permanência (com exceção de quem não possui ou carece de condições de manutenção da própria sobrevivência).
  • Direito de receber gratuitamente do poder público medicamentos e outros recursos referentes ao tratamento de saúde.
  • A terceira idade têm o direito de não ser discriminada nos planos de saúde pela cobrança de valores diferenciados por conta da idade (isto é, as operadoras não podem continuar reajustando o valor dos planos em idosos por conta da idade).
  • Eles têm prioridade no atendimento em qualquer órgão público ou privado que preste atendimento à população.
  • Direito ao acesso à assistência social e à rede pública de saúde.
  • A terceira idade têm direito à prioridade no recebimento da restituição do Imposto de Renda. Além disso, caso seja portador de alguma doença grave, tem direito à isenção (consulte a lista das doenças no site da Receita Federal).
  • Em alguns municípios, como São Paulo, quem está na terceira idade também têm direito à isenção do IPTU.
  • Em caso de concurso público, o primeiro critério de desempate deverá ser a idade, sendo beneficiadas as pessoas com idade mais avançada.
  • A terceira idade têm direito a desconto de pelo menos 50% nos ingressos de espetáculos, shows, cinema e qualquer outra apresentação artística, além de eventos esportivos.
  • Eles também têm prioridade na aquisição da casa própria nos programas habitacionais do governo.
  • Quanto ao serviço de transporte coletivo urbano e semiurbano, têm direito à gratuidade. Em viagens interestaduais, duas vagas gratuitas são garantidas e, depois de preenchidas, será garantido o desconto de pelo menos 50% no valor da passagem para quem possua renda de até dois salários-mínimos.
  • 5% das vagas em estacionamentos públicos e privados devem ser reservadas para motoristas idosos, com localização de fácil acesso.
  • A terceira idade têm o direito de receber pensão alimentícia da família (filhos, netos etc.) caso não tenha condições de se sustentar. Caso a família também não tenha condições, é assegurado o benefício mensal de um salário-mínimo, nos termos da Lei Orgânica da Assistência Social (Loas).

Todos esses direitos da terceira idade e os deveres da sociedade devem ser colocados diariamente em prática, até mesmo nos pequenos gestos. Então, comece analisando a situação de sua própria família: seus entes queridos da terceira idade estão com os direitos plenamente seguros? Eles estão felizes, saudáveis e ativos? Se ainda falta algum ponto a ser corrigido, comece a mudança hoje mesmo!

Para te ajudar, o SBA Residencial oferece muitas informações sobre o universo da terceira idade para você e sua família. Baixe este material especialmente criado e saiba mais sobre como lidar com a importante decisão de optar por uma instituição de longa permanência.

O que é envelhecimento saudável?

Todo mundo fica mais velho, isso é um fato. Porém, muitos vêm o processo de envelhecimento, também chamado de senescência como algo distante. Existem jovens que pensam que não envelhecerão e que isso é algo muito longe de sua realidade atual.

A questão é que o envelhecimento é um processo natural, o qual todos passamos desde que nascemos. A cada dia envelhecemos um pouco mais, porém, nem sempre isso fica tão claro.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS) é considerada uma pessoa idosa, erradamente chamada de velha, quem possua mais de 60 anos. Por conta dessa definição dada a terceira idade, acabou se criando alguns pensamentos errados e que não condizem com a realidade.

A visão que a sociedade tem da terceira idade

Pense em alguém com mais de 60 anos, qual imagem lhe vem à cabeça? É bem provável que tenha imaginado um senhor ou uma senhora com a pele toda enrugada, com a bengala e bem debilitado. Por muitos anos realmente essa foi a imagem que se teve e a realidade de muitas pessoas que chegavam a velhice.

Mas, você consegue imaginar uma pessoa com mais de 60 anos sendo musa fitness? Ou então posando para fotos sensuais? Ou quem sabe trabalhando e carregando peso? Se essas situações lhe parecem estranhas, saiba que hoje são uma verdade.

A sociedade é resistente em mudar a imagem que criou da velhice e insiste em fazer parecer que pessoas com mais de 60 anos sempre serão debilitadas e inativas. Para a maior parte das pessoas elas são aposentadas que ficam em casa, cuidando dos netos e precisam de cuidados especiais.

Porém, poucos se lembram que hoje essas pessoas ajudam no sustento das casas e muitas vezes se mantêm ativos no mercado de trabalho. Para eles a tecnologia também pode ser uma aliada e a terceira idade está presente nas redes sociais e não se intimida com um computador ou smartphone.

É preciso que essa visão ultrapassada seja abandonada para que se possa ver a atual terceira idade da maneira como ela realmente é.

O envelhecimento não é sinal de inutilidade

Mas, então o que muda com o envelhecimento? O envelhecimento deve ser considerado de acordo com as condições físicas de uma pessoa do que com a sua idade. É possível ver pessoas com 70 anos que se mantêm ativas e não tem problemas de saúde. Em contrapartida, existem os jovens sedentários e que desde cedo apresentam sérios problemas.

Envelhecer não é sinônimo de ser inútil, mas sim de ter mais conhecimento para compartilhar!

A pessoa pode muito bem continuar a ter sua autonomia manter-se ativo no mercado do trabalho e ainda cuidar da família.

Quanto maior for o cuidado com o corpo e a mente mais tempo o processo de envelhecimento será adiado. Isso porque envelhecer não é uma questão de idade, mas, de saúde e mentalidade. E para retardar esse processo é possível adotar diversas rotinas:

  • Ter um grupo de convívio que inclui não apenas familiares
  • Praticar atividades físicas que respeitem as limitações do corpo
  • Realizar atividades culturais e de lazer que proporcionem novas experiências e aprendizado
  • Ter o acompanhamento médico
  • Viver em um local que possibilite acesso ao bem-estar, assim como o SBA Residencial faz com os seus moradores.

Essa é uma maneira de demonstrar que eles apenas são pessoas com uma idade cronológica mais avançada, mas, que mantêm todas as suas habilidades.

É claro, que existem casos em que a pessoa pode estar com limitações e debilitada, pois, em algum momento o corpo dá sinais de desgaste. Entretanto, essa não deve ser uma visão generalizada.

Para ajudar a mudar essa imagem negativa, o SBA Residencial contribui de forma positiva. Além de oferecer um excelente espaço para que a terceira idade possa viver bem e ter qualidade de vida, promove a conscientização sobre a velhice.

Quer conhecer um pouco mais de um espaço que se destina a pessoas maduras e que também podem ser jovens mentalmente? Visite o site do SBA Residencial e saiba mais.

Baixe o e-book Envelhecimento Saudável e saiba mais!