Categoria: Bem Estar

Benefícios e gratuidades para terceira idade

Pessoas com 60 anos ou mais já passam a integrar o grupo da terceira idade no Brasil. E como sabemos, essa faixa etária passa a contar com vários direitos, como a isenção de pagamento de algumas taxas ou descontos, por exemplo, tudo para garantir a elas um envelhecimento saudável, com respeito e sem grandes preocupações.

Porém, mesmo com o Estatuto do Idoso em vigor desde 2003 (Lei nº 10.741/2003), muitas pessoas mais velhas e familiares não têm ideia de tudo o que essa lei garante. Portanto, no post de hoje separamos 7 benefícios e gratuidades, que vão além do conhecido atendimento preferencial junto aos órgãos públicos e privados:

1. Desconto em eventos culturais

Maiores de 60 anos têm direito a pelo menos 50% de desconto em eventos esportivos, culturais, artísticos e de lazer. As regras variam de acordo com cada município e estado, mas em geral, basta apresentar um documento de identidade na bilheteria dos locais.

2. Transporte urbano gratuito

Esse benefício é para pessoas com mais de 65 anos, sendo que em alguns municípios valem a partir de 60 anos para mulheres. Este benefício diz respeito ao direito a transporte urbano e semiurbano gratuito, tanto em ônibus quanto em trem ou metrô.

Além disso, pessoas mais velhas que dirigem seus veículos têm direito a 5% das vagas dos estacionamentos públicos e privados exclusivos para maiores de 60 anos. A autorização especial para esse estacionamento deve ser solicitada junto ao órgão executivo de trânsito do município.

3. Transporte interestadual

Para viagens interestaduais, as frotas de ônibus, trem ou metrô devem reservar duas vagas em cada veículo para o transporte gratuito de pessoas acima de 60 anos que tenham renda igual ou inferior a dois salários mínimos. Caso essas vagas já tenha sido preenchida, a pessoa mais velha tem direito a desconto de 50% no preço das passagens.

É preciso apresentar um documento com foto e comprovante de renda no guichê de venda de passagens da empresa. Caso não tenha como comprovar a renda, deve requerer a gratuidade junto à assistência social do município.

4. Isenção de Imposto de Renda em alguns casos

Portadores de algumas doenças (como Aids, câncer, Mal de Parkinson, cardiopatia, etc.) e que recebem pensões e aposentadorias têm direito à isenção do Imposto de Renda sobre esses rendimentos.

Nesse caso, deve-se comprovar à fonte pagadora que tem a doença apresentando laudo emitido por serviço médico oficial e, dessa forma, a fonte pagadora deve parar de reter o imposto na fonte.

Todas as regras e a lista completa das doenças que asseguram essa isenção estão no site da Receita Federal.

5. Isenção do IPTU

Esse benefício vale para alguns municípios brasileiros, por isso deve-se consultar a prefeitura de cada cidade. Em São Paulo, por exemplo, tem direito os aposentados, pensionistas e beneficiários de renda mensal vitalícia, desde que não tenham outro imóvel no município, que utilizem o imóvel como residência e que tenham renda de até três salários mínimos mensais.

6. Prioridade em processos judiciais

Pessoas com mais de 60 anos que são parte em processos ou procedimentos judiciais devem ter prioridade em qualquer instância. Nesse caso, o advogado deve fazer um requerimento pedindo a prioridade na tramitação.

É preciso ficar muito atento quanto a esse direito, principalmente se o processo estiver ligado a recebimento de dinheiro, por exemplo. Não é incomum os direitos de pessoas com mais idade serem feridos em casos como esse.

7. Plano de saúde sem reajuste

O Estatuto do Idoso diz que não pode haver aumento do valor do plano de saúde quando a pessoa completar 60 anos, exceto os permitidos pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) a cada ano.

Para contratos posteriores a 2003, os aumentos são feitos por faixa de idade até a pessoa completar 59 anos. Depois dos 60, o valor não pode mais subir. Para contratos até 2003, as operadoras cobram valores maiores para a terceira idade, mas segundo entendimento do STJ, a regra também vale para estes contratos e, nesse caso, deve-se entrar com ação judicial para obter o direito a pagar valor menor e receber os valores pagos a mais de volta.

Esses foram apenas alguns exemplos de benefícios e gratuidades para os idosos assegurados no Estatuto do Idoso. Então, não deixe de ficar por dentro das notícias sobre esse assunto e fazer valer os direitos dos membros da terceira idade de sua família e comunidade.

Para te ajudar, o SBA Residencial oferece muitas informações sobre o universo da terceira idade para você e sua família. Acesse agora mesmo o nosso site!

 

Baixe também o e-book “Pet Terapia”e veja como o convívio com animais ajuda na fase da terceira idade

Atividades físicas: como a terceira idade pode prevenir a perda de massa magra?

É natural do processo de envelhecimento que as pessoas sofram a diminuição da massa muscular de forma natural, o que, segundo especialistas, começa a ocorrer a partir dos 30 anos de idade. Mas essa situação pode trazer sérias consequências em indivíduos sedentários, ou seja, que não realizam atividades físicas em suas rotinas.

O post de hoje vai falar sobre esse assunto e você vai descobrir quais as medidas a serem tomadas para que o processo de envelhecimento saudável seja feito da melhor forma possível em relação ao nosso corpo. Acompanhe!

A Sarcopenia e suas consequências

Sarcopenia nada mais é do que a perda de massa muscular ­– também chamada de massa magra. E ainda temos outro quadro relacionado à Sarcopenia: a chamada Obesidade Sarcopênica, que é a perda de massa muscular em pessoas obesas.

Perder massa magra é inevitável ao longo da vida, mas sem as atividades físicas para se evitar a grande perda, ocorre também a diminuição da ativação das fibras musculares. Isso significa que por mais que você tenha músculos em boa quantidade não será o suficiente porque eles não funcionarão adequadamente.

A Sarcopenia pode prejudicar e muito a saúde na terceira idade, pois altera o metabolismo, diminui a mobilidade e aumenta o risco de quedas, sem falar no risco de doenças. E a solução para evitar essa grande perda de massa é simples: atividades físicas e alimentação equilibrada, dois dos principais pilares de um envelhecimento saudável.

Atividades físicas

Como dissemos anteriormente, os exercícios físicos são essenciais para se diminuir os efeitos da Sarcopenia durante o processo de envelhecimento saudável.

Nesse sentido, a melhor maneira de se obter bons resultados é a introdução de exercícios com carga extra, também conhecidos como exercícios de força. Muitas pessoas pensam que apenas atividades aeróbicas, como caminhada e hidroginástica, são suficientes, mas não é verdade.

Atividades de sobrecarga, como a musculação, por exemplo, são essenciais para diminuir a velocidade das perdas musculares. E aliado a esse tipo de atividade, o idoso precisa fazer exercícios também voltados à coordenação motora, ao equilíbrio, destreza e agilidade.

É importante lembrar que antes de realizar qualquer atividade física deve-se passar por uma avaliação médica para que o profissional possa indicar qual exercício será melhor para a sua saúde. De qualquer forma, sempre haverá atividades a serem feitas, independentemente da situação do indivíduo.

Alimentação equilibrada e moradia adequada

O baixo peso corporal ou a desnutrição no idoso geralmente está associada à alimentação fraca, sem a ingestão calórica, proteica ou a combinação das duas. A forte perda de massa muscular também pode estar associada à depressão, ao uso de muitos medicamentos, ao decréscimo dos sentidos (como o paladar e o olfato), à má saúde bucal, doenças crônicas e outras alterações que podem dificultar a alimentação.

Além disso, causas sociais também podem levar a uma má alimentação e consequente aumento da Sarcopenia, como a vida solitária e recursos limitados, como dinheiro, falta de transporte e a consequente dificuldade de locomoção. Nesse sentido, é imprescindível que o idoso viva em local adequado, cercado de segurança, cuidados e convívio social.

É fundamental que, além das atividades físicas, o idoso também seja acompanhado por um nutricionista para que desenvolva uma alimentação equilibrada. Isso é muito importante porque somente um profissional saberá reintroduzir corretamente a quantidade de alimentos certos para que o idoso retorne ao seu peso ideal.

Todas essas informações nos levam a concluir que a nossa composição corporal certamente mudará com o tempo; mas existem medidas que devem ser tomadas o quanto antes para a construção de uma vida mais feliz e equilibrada. E isso é perfeitamente possível!

Falando nesse tema, o SBA Residencial – Sociedade Beneficente Alemã – apoia o processo de envelhecimento saudável de seus residentes e oferece a eles atividades físicas supervisionadas por uma equipe de profissionais, como fisioterapeutas. Dessa forma, os moradores são estimulados a participar de atividades semanais, que podem ser conferidas aqui.

Se você quer conhecer mais sobre todos os projetos que desenvolvemos no SBA Residencial, entre agora mesmo em nosso site e conheça nossos materiais!

Veja dicas de passeios culturais para a terceira idade baixando nosso conteúdo gratuitamente!

 

Moradia para longevidade é alternativa para qualidade de vida na terceira idade

Com o aumento da população na terceira idade, cresce a procura por opções de moradias que proporcionem qualidade de vida.

 

Segundo uma pesquisa recente do IBGE, a presença de pessoas a partir de 60 anos no total da população foi de 9,8%, em 2005, para 14,3%, em 2015. Esses números tendem a crescer ainda mais, já que o surgimento de novos tratamentos e técnicas médicas podem aumentar a expectativa de vida.

 

Com isso, muitas famílias – especialmente os membros de idade mais avançada – estão em busca de opções de moradia que aliem conforto e segurança no dia a dia.

 

Condomínios como o SBA Residencial estimulam e garantem a qualidade de vida na terceira idade

 

Esse crescimento no número de pessoas a partir de 60 anos tem feito o número de asilos e casas de repouso crescer cada vez mais. Mas muitas pessoas tendem a não enxergar essa solução como a melhor para garantir a qualidade de vida na terceira idade.

 

Um dos principais motivos é o acesso pouco facilitado da família ao membro longevo, já que estas instituições tendem a ter regras específicas de visita.

 

Isso faz com que a grande maioria das pessoas prefira os condomínios residenciais específicos para pessoas da terceira idade, como o SBA Residencial.

 

Acesso facilitado da família, ambiente aconchegante e personalizado, além de infraestrutura médica são algumas das vantagens.

 

Optar por um instituição de longa permanência para a população sênior traz uma série de benefícios. Não só para o morador em si, mas também para toda a sua família. Confira alguns dos principais benefícios dessa solução:

Vínculo familiar garantido e reforçado

 

As pessoas mais velhas frequentemente tornam-se dependentes de seus filhos adultos ou de outros familiares próximos.

 

Essa inversão de papéis pode prejudicar os relacionamentos, já que alguns membros mais jovens podem sofrer com uma rotina de acúmulos entre a vida pessoal e os cuidados com seus entes queridos.

 

Optar por uma instituição como o SBA Residencial proporciona toda essa rotina de cuidados, através do suporte de uma equipe multidisciplinar.

 

Assim, os membros da família tornam-se capazes de garantir que o tempo com seus amados de idade mais avançada seja significativo e de alta qualidade.

 

Essa autonomia proporcionada pela infraestrutura também faz com que estes membros da família restabeleçam o papel de matriarca ou patriarca, gerando um aumento de autoestima.

 

Mais autonomia para o convívio social

 

Seja por questões de mobilidade ou falta de companhia, algumas pessoas de idade mais avançada podem sofrer com a impossibilidade de seguir com suas atividades rotineiras.

 

Mas comunidades como o SBA Residencial oferecem uma ampla variedade de oportunidades para mantê-los entretidos e ativos.

 

Isso pode incluir jogos, atividades físicas, grupos de leitura e de discussão, aulas e palestras que estimulem os moradores de forma social e intelectual.

 

Mais segurança

 

Estruturas como o SBA Residencial proporcionam uma sólida margem de segurança, tanto para seus residentes quanto para seus familiares.

 

Diferentemente de uma moradia convencional, aqui as pessoas com idade mais avançada estão em um ambiente protegido, contando com um ágil sistema de resposta a emergências, o que garante o recebimento de pronto atendimento em caso de quedas ou um possível mal súbito – cenário muito comum para aqueles que permanecem em sua residência sozinhos.

 

Certamente há pessoas da terceira idade que vivem sozinhos e seguem mantendo sua qualidade de vida. Entretanto, certos quadros clínicos, além do próprio avançar da idade, fazem com que muitas pessoas com idade superior a 60 anos vivam em situações inseguras ou não saudáveis.

 

É por isso que os condomínios especiais, como o SBA Residencial, tornam-se a melhor opção para garantir uma rotina de qualidade para a população sênior.

SBA Residencial é solução para qualidade de vida na terceira idade

 

Localizado no Butantã, um dos bairros mais calmos e arborizados de São Paulo, o SBA Residencial é referência em cuidados para terceira idade.

 

Aqui a autonomia e estilo de vida de cada morador são respeitados a cada cuidado. A personalização da residência escolhida é o primeiro grande diferencial. Cada novo morador pode trazer seus móveis e objetos pessoais, o que ajuda a manter a familiaridade com o cotidiano.

Além disso, os moradores são incentivados a manter suas atividades corriqueiras, que eram realizadas fora do condomínio. E a participar de eventos especiais, festas e passeios.

 

Para isso, o SBA Residencial conta com salão de beleza, restaurante, auditório, cafeteria, lago e trilhas. São 27 mil m² de área, o que estimula a prática de exercícios e o convívio social através de atividades das mais variadas.

 

Conheça mais sobre o SBA Residencial e todos os seus benefícios, clique e fale conosco.

Você vai conhecer a verdadeira opção para garantir a qualidade de vida na terceira idade.

 

Baixe também nosso e-book “101 dicas de bem-estar para terceira idade”

Qualidade de vida na terceira idade

Na terceira idade é importante viver bem o dia a dia, desfrutando de momentos felizes e
fazendo adequações necessárias para manter qualidade de vida.
Com o e-book “101 dicas: Bem-estar para a terceira idade” você encontrará sugestões que
tornarão esta fase da vida ainda mais tranquila. Saiba como ficar mais confortável conforme as
alterações climáticas, acompanhando as estações do ano.
A boa qualidade de vida é possível também na vida madura, contanto que haja organização, a
fim de tornar esta época mais equilibrada. É comum a terceira idade seja acometida por
doenças específicas, porém atividades e lazer, sem dispensar os cuidados com a saúde, ajudam
a manter o bem-estar.

Confira este material e saiba como viver a terceira idade com qualidade de vida. Baixe o e-
book aqui.

Autonomia e independência na terceira idade

Pessoas mais velhas precisam seguir com a sua vida normalmente, mantendo a sua independência. Porém, para que isso ocorra é preciso se adaptar à nova realidade, isso porque com o passar dos anos, o corpo muda e passa a exigir mais atenção.

A grande questão é: o que fazer para garantir que ela possa ter a autonomia e independência que necessita? A primeira coisa é entender a diferença entre esses dois conceitos.

A autonomia permite que a pessoa faça escolhas, decidindo sobre os fatos de sua vida. Por exemplo, ele pode optar por morar em um condomínio para quem está na terceira idade.

Porém, a autonomia pode ficar prejudicada se a pessoa tiver alguma doença que influencia suas capacidades mentais, como o Alzheimer. Nesse caso, ele perde parte ou totalmente a sua independência, sendo que decisões importantes precisam ser tomadas por outras pessoas.

Já a independência está ligada, até mesmo, ao fato de se executar determinadas atividades simples, como tomar banho sozinho ou fazer atividades físicas.

 

O amadurecimento e a perda da independência

 

Com o passar dos anos, é comum que as pessoas percam parte de suas capacidades, sendo que o impacto delas variam de uma pessoa para outra. Com 80 anos é possível que uma pessoa esteja com a saúde física e mental igual a quando tinha 50 anos. Já em outros casos, uma pessoa de 60 anos pode estar bastante debilitada, com dificuldade de locomoção e com as suas capacidades mentais reduzidas.

A idade cronológica é apenas um fator que influenciará na qualidade de vida, sendo que o convívio social, estilo de vida e condições econômicas podem ter um grande peso. Por conta disso, deve-se diagnosticar precocemente condições que levem a falta de autonomia e independência.

A Avaliação Geriátrica Ampla (AGA) pode auxiliar, fazendo um amplo estudo sobre diversos aspectos da vida das pessoas mais velhas. Isso ajudará a entender as suas condições de saúde e auxiliará a ter uma melhor qualidade de vida. Os profissionais de saúde, com base nas informações coletadas, conseguem fazer com que se mantenha a autonomia por um maior tempo possível.

Dessa forma, é possível estimular a pessoa com atividades voltadas as suas necessidades e preservar sua integridade física e mental.

 

Como garantir uma boa qualidade de vida mesmo com limitações

 

Além do acompanhamento profissional, existem outros fatores que podem contribuir para que a terceira idade permaneça independente.

Realizar atividades cotidianas – É preciso que a pessoa realize as suas atividades, como lavar uma louça, tomar banho, pendurar as roupas, etc. Se ele possui capacidade para fazer as atividades, mas a todo momento fica restrito, aos poucos ele perde essa habilidade e consequentemente a sua independência.

Podem haver limitações, por conta disso, é preciso ter uma infraestrutura que atenda a necessidade da terceira idade, como banheiros com barras laterais, casas com fácil acesso, entre outros.

Ter refeições equilibradas – A saúde física e mental está relacionada com alimentação, sendo preciso ter um cardápio elaborado por um nutricionista. Quando se reúne determinados grupos de alimentos, o corpo ganha mais energia, as células se mantém saudáveis e os benefícios são notados no dia a dia.

Estimular a autonomia e independência – As atividades físicas podem ser de grande valia para manter as atividades motoras. A pessoa que mantém o corpo ativo consegue realizar as suas tarefas com mais facilidade. O SBA residencial oferece aos moradores atividades físicas diárias acompanhadas de fisioterapeutas e passeios promovendo o convívio social.

Garantir o convívio social – Interagir com outras pessoas garante que o cérebro continue ativo, preservando a memória e retardando o surgimento de doenças. Com atividades em grupos, a pessoa passa a ter opções e consegue fazer escolhas.

Mesmo que um pouco debilitadas, as pessoas podem manter a sua autonomia e independência se estiverem em um local adequado e com acompanhamento profissional.

O SBA Residencial oferece toda a infraestrutura para quem está na terceira idade possa se sentir acolhido e ter uma excelente qualidade de vida. Entre em contato conosco e saiba mais!

 Baixe também o e-book “Envelhecimento Saudável”

 

Por dentro do Estatuto do Idoso: como agir contra abusos financeiros

Trabalhar a educação financeira na terceira idade é algo extremamente importante a ser
feito para a prevenção de práticas abusivas por parte de instituições financeiras e até
familiares.
O Estatuto do Idoso ‒ Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003 ‒ é bem claro quanto a
esse tema. Qualquer ação ou omissão que cause dano ou sofrimento físico ou
psicológico contra essa faixa etária é crime previsto na lei, o que inclui os abusos
financeiros.
O artigo de hoje é um alerta aos familiares e integrantes da terceira idade sobre o que
pode ser considerado crime e o que deve ser feito para inibir essa prática e proteger o
dinheiro de aposentadorias e pensões. Acompanhe.

Exemplos de abusos financeiros

Todos os dias, um considerável número de pessoas mais velhas são alvos de criminosos.
Levantamento da Coordenação-Geral dos Direitos do Idoso, vinculada à Secretaria
Especial de Direitos Humanos (SDH), do governo federal, revela que somente no
primeiro semestre de 2016 foram feitas mais de 8,8 mil denúncias no Disque 100
relatando tentativas de retenção de salários, extorsão e expropriações de bens.
Alguns exemplos desses abusos financeiros:
Fraudes bancárias e de outras instituições financeiras

Um abuso financeiro bem comum sofrido é em relação a empréstimos, por exemplo.
Existem casos em que mais de 70% da aposentadoria fica comprometida por causa de
empréstimos consignados concedidos por instituições financeiras.
Mas a regra é clara: segundo informações do Banco Central, os descontos de créditos
consignados não podem ultrapassar 35% do valor dos salários. Saber isso evita muita
dor de cabeça e a queda significativa da qualidade de vida na terceira idade.

Fique atento, ainda, com telefonemas de instituições (ou farsantes) oferecendo
empréstimos, seguros e cartões de crédito. Muitas dessas pessoas acabam induzindo o
aposentado ao erro, que acaba “aceitando” a oferta mesmo sem saber. É preciso cautela
e muita calma na hora de conversar por telefone, e nunca fornecer dados pessoais. O
mesmo vale para e-mails e mensagens de texto via SMS.

Abuso financeiro por parte de parentes

Infelizmente, essa é uma realidade enfrentada por muitas pessoas de mais idade. A
violência financeira pode estar camuflada em pequenos gestos, mas que causa grandes
prejuízos para o bem-estar da vítima.
Exemplos vão desde a utilização indevida da renda até mesmo a pressão psicológica
para que ele consiga empréstimos para familiares ou terceiros. Isso sem falar em casos
de fraudes de parentes que utilizam cartões de transporte ou de crédito em benefício
próprio.
E muitos desses abusos cometidos acabam tendo a conivência daquele parente mais
velho simplesmente na tentativa de promover a paz e o sossego na família, embora essa
tranquilidade seja apenas aparente. Muitos aposentados se responsabilizam pelas
despesas de toda a casa para terem um bom ambiente familiar.

Falta de contrato de instituições de longa permanência

Outra situação comum que pode configurar violência financeira contra a pessoa de mais
idade é a cometida por instituições de longa permanência, também chamadas de
instituições de longa permanência. Algumas delas agem contra a lei e acabam
sequestrando os recebimentos financeiros dos acolhidos.
Por isso é de extrema importância realizar uma pesquisa aprofundada antes de decidir o
local onde seu ente querido passará a viver. O ideal é que a instituição tenha um
contrato por escrito prevendo toda a proteção legal, valores a serem pagos e garantindo
a total preservação da autonomia da pessoa manifestada por este ou pelo responsável do
mesmo.

Onde procurar ajuda e as penas previstas em lei

A seguir, separamos três artigos do Estatuto do Idoso que ajudam a esclarecer em quais
locais deve-se procurar ajuda em caso de suspeita de prática de abuso financeiro, bem
como as penas para quem comete esse crime.
Art. 19.  Os casos de suspeita ou confirmação de violência praticada contra idosos
serão objeto de notificação compulsória pelos serviços de saúde públicos e privados à
autoridade sanitária, bem como serão obrigatoriamente comunicados por eles a
quaisquer dos seguintes órgãos:
I ‒ Autoridade policial;
II ‒ Ministério Público;
III ‒ Conselho Municipal do Idoso;
IV ‒ Conselho Estadual do Idoso;
V ‒ Conselho Nacional do Idoso.
Art. 102. Apropriar-se de ou desviar bens, proventos, pensão ou qualquer outro
rendimento do idoso, dando-lhes aplicação diversa da de sua finalidade:
Pena – reclusão de 1 (um) a 4 (quatro) anos e multa.
Art. 104. Reter o cartão magnético de conta bancária relativa a benefícios, proventos
ou pensão do idoso, bem como qualquer outro documento com objetivo de assegurar
recebimento ou ressarcimento de dívida:
Pena – detenção de 6 (seis) meses a 2 (dois) anos e multa.
Art. 106. Induzir pessoa idosa sem discernimento de seus atos a outorgar procuração
para fins de administração de bens ou deles dispor livremente:
Pena – reclusão de 2 (dois) a 4 (quatro) anos.
Portanto, fique bem atento quanto a qualquer indício de abuso financeiro que possa ser
praticado contra os membros da terceira idade da sua família. Afinal de contas,
educação financeira nunca é demais e ajuda a proteger o patrimônio de uma vida inteira
de trabalho.
Para mais informações sobre esse e outros temas que envolvem a saúde e o bem-estar da
terceira idade, entre em contato com o SBA Residencial através do Fale Conosco. Há
mais de 150 anos promovendo integração, convivência, qualidade de vida e assistência
social.

Se interessou? baixe também o e-book “Envelhecimento Saudável”

O que é envelhecimento saudável?

Todo mundo fica mais velho, isso é um fato. Porém, muitos vêm o processo de envelhecimento, também chamado de senescência como algo distante. Existem jovens que pensam que não envelhecerão e que isso é algo muito longe de sua realidade atual.

A questão é que o envelhecimento é um processo natural, o qual todos passamos desde que nascemos. A cada dia envelhecemos um pouco mais, porém, nem sempre isso fica tão claro.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS) é considerada uma pessoa idosa, erradamente chamada de velha, quem possua mais de 60 anos. Por conta dessa definição dada a terceira idade, acabou se criando alguns pensamentos errados e que não condizem com a realidade.

A visão que a sociedade tem da terceira idade

Pense em alguém com mais de 60 anos, qual imagem lhe vem à cabeça? É bem provável que tenha imaginado um senhor ou uma senhora com a pele toda enrugada, com a bengala e bem debilitado. Por muitos anos realmente essa foi a imagem que se teve e a realidade de muitas pessoas que chegavam a velhice.

Mas, você consegue imaginar uma pessoa com mais de 60 anos sendo musa fitness? Ou então posando para fotos sensuais? Ou quem sabe trabalhando e carregando peso? Se essas situações lhe parecem estranhas, saiba que hoje são uma verdade.

A sociedade é resistente em mudar a imagem que criou da velhice e insiste em fazer parecer que pessoas com mais de 60 anos sempre serão debilitadas e inativas. Para a maior parte das pessoas elas são aposentadas que ficam em casa, cuidando dos netos e precisam de cuidados especiais.

Porém, poucos se lembram que hoje essas pessoas ajudam no sustento das casas e muitas vezes se mantêm ativos no mercado de trabalho. Para eles a tecnologia também pode ser uma aliada e a terceira idade está presente nas redes sociais e não se intimida com um computador ou smartphone.

É preciso que essa visão ultrapassada seja abandonada para que se possa ver a atual terceira idade da maneira como ela realmente é.

O envelhecimento não é sinal de inutilidade

Mas, então o que muda com o envelhecimento? O envelhecimento deve ser considerado de acordo com as condições físicas de uma pessoa do que com a sua idade. É possível ver pessoas com 70 anos que se mantêm ativas e não tem problemas de saúde. Em contrapartida, existem os jovens sedentários e que desde cedo apresentam sérios problemas.

Envelhecer não é sinônimo de ser inútil, mas sim de ter mais conhecimento para compartilhar!

A pessoa pode muito bem continuar a ter sua autonomia manter-se ativo no mercado do trabalho e ainda cuidar da família.

Quanto maior for o cuidado com o corpo e a mente mais tempo o processo de envelhecimento será adiado. Isso porque envelhecer não é uma questão de idade, mas, de saúde e mentalidade. E para retardar esse processo é possível adotar diversas rotinas:

  • Ter um grupo de convívio que inclui não apenas familiares
  • Praticar atividades físicas que respeitem as limitações do corpo
  • Realizar atividades culturais e de lazer que proporcionem novas experiências e aprendizado
  • Ter o acompanhamento médico
  • Viver em um local que possibilite acesso ao bem-estar, assim como o SBA Residencial faz com os seus moradores.

Essa é uma maneira de demonstrar que eles apenas são pessoas com uma idade cronológica mais avançada, mas, que mantêm todas as suas habilidades.

É claro, que existem casos em que a pessoa pode estar com limitações e debilitada, pois, em algum momento o corpo dá sinais de desgaste. Entretanto, essa não deve ser uma visão generalizada.

Para ajudar a mudar essa imagem negativa, o SBA Residencial contribui de forma positiva. Além de oferecer um excelente espaço para que a terceira idade possa viver bem e ter qualidade de vida, promove a conscientização sobre a velhice.

Quer conhecer um pouco mais de um espaço que se destina a pessoas maduras e que também podem ser jovens mentalmente? Visite o site do SBA Residencial e saiba mais.

Baixe o e-book Envelhecimento Saudável e saiba mais!