Categoria: Bem Estar

Incentive a qualidade de vida e o bem-estar para terceira idade

Quem está na terceira idade sofre com o desgaste no próprio corpo e pode necessitar de alguns cuidados especiais a fim de manter a qualidade de vida. A maneira como a pessoa chega a terceira idade está relacionada em 70% aos hábitos cotidianos contra apenas 30% da genética. Dessa forma, consegue-se perceber que os exercícios, alimentação e outros cuidados são os principais responsáveis por prolongar ou encurtar a expectativa de vida e a forma como os últimos anos de vida serão aproveitados.

Visando garantir mais disposição e condições para as pessoas mais experientes cumprirem com a sua rotina, é necessário investir em atividades que proporcionem bem-estar. Elas podem ser bastante variadas e, quando combinadas permitem que se aproveite melhor a terceira idade de forma sã. Confira as sugestões que o SBA Residencial separou especialmente para incentivar quem está na terceira idade a se manter ativo e feliz.

Atividades físicas

As atividades físicas são essenciais para que os movimentos não sejam comprometidos. Com a idade é comum que ocorra a perda de massa muscular, levando a dificuldade de locomoção. Outro problema relacionado a perda muscular está no fato da musculatura não proteger o osso de forma adequada e como esse já se encontra mais fragilizado, pode ser fraturado com facilidade.

Porém, a maior parte das pessoas que está na terceira idade nunca praticou exercícios físicos de alta intensidade e esse não é o momento de se começar. As atividades mais leves são mais indicadas, como a dança natação, hidroginástica, entre outras. Elas ajudarão na movimentação e fortalecimento muscular, além de servirem como atividade lúdica.

Relacionamento com grupos diversos

A interação social é fundamental para melhorar a qualidade de vida e essa não deve ficar restrita apenas a família ou grupos da terceira idade. Quanto maior o número de pessoas e grupos diferentes for possível interagir, melhor será.

Assim, ele pode contribuir com suas experiências de vida e também aprender coisas novas, incentivando a troca de experiências. Isso ajuda a manter a mente saudável e evita que se tenha a sensação de isolamento ou incapacidade.

Um exemplo de atividade que incentiva o relacionamento é o Café Filosófico, realizado no SBA Residencial com o intuito de promover diálogos interessantes e troca de saberes entre os moradores.

Alimentação equilibrada

Ter uma dieta balanceada contribui de diferentes formas com a saúde. Ela vai fornecer todos os nutrientes que o corpo precisa para se manter forte e combater algumas doenças. Além disso, os “alimentos saudáveis” garantem energia e dão mais disposição.

O uso frequente de alimentos industrializados, por outro lado, pode trazer complicações de saúde como aumento da pressão pelo excesso de sal e até mesmo uma desnutrição.

Residência adequada

É bem possível que as pessoas que estão na terceira idade comecem a apresentar algumas restrições, principalmente físicas, e a casa precisa estar adaptada para essa nova realidade. As escadas podem se tornar uma grande barreira, tapetes no chão podem aumentar o rico de quedas, pode ser necessária supervisão constante etc.

Tudo deve ser pensado para atender as necessidades de quem está na terceira idade a fim de que tenha menos dependência e não se sinta constrangido. Um condomínio residencial para terceira idade é uma boa opção por conseguir ofertar tudo isso ao mesmo tempo em que permitem a interação social.

Cuidados com a saúde

Ter um médico presente ajudará a identificar problemas de saúde, proporcionando o melhor tratamento ou agindo de maneira preventiva. Os exames periódicos devem ser feitos com regularidade e, ao menor sinal de problema, um especialista deve ser consultado, uma vez que o organismo nessa fase é menos resistente.

As vacinas também deve estar em dia e sempre que houver campanhas de vacinação, como a da gripe, a dose de imunização deve ser aplicada.

Eventos lúdicos

Esses podem ser os mais variados possíveis como: trabalhos manuais, passeios culturais, jogos interativos, jantares, etc. Todos eles contribuem principalmente com a saúde mental e melhoram a qualidade de vida, elevando a autoestima.

Todas essas atividades e muitas outras que podem ter um fundo recreativo ajudarão a trazer alegria, fazendo com que a agonia e dores sejam esquecidas por um momento. Porém, é comum que muitos não queiram participar de algumas delas, sendo preciso criar incentivos e demonstrar que são capazes de interagir e se divertir.

Com a maior expectativa de vida é preciso fazer com que as pessoas tenham melhor qualidade de vida e não se sintam sozinhos. A interação social e os cuidados com o corpo e a mente ajudarão nesse processo e proporcionarão maior bem-estar.

Para saber como garantir tudo isso a um ente querido, conheça um pouco mais sobre o Residencial SBA, pois ele reúne todas essas qualidades. 

Baixe agora gratuitamente E-book a hora de decidir!

7 dicas de alimentação saudável para os idosos

A expectativa de vida tem crescido nos últimos anos devido a diversos fatores, um deles é a melhora na qualidade de vida. Isso tem sido facilitado pelo acesso ao saneamento básico, avanço da medicina e por uma alimentação apropriada, que traga mais benefícios do que males.

Esses fatores somados garantem que se possa viver por mais anos e na terceira idade tem proporcionado diversos benefícios. Principalmente o que se come deve ser um ponto de atenção durante toda a vida, mas os idosos merecem receber atenção especial a esse assunto.

Algumas dicas podem ajudar a aproveitar melhor a alimentação e proporcionar diversos benefícios.

  1. Faça pequenas refeições ao longo do dia

Após os 50 anos o corpo passa por mudanças hormonais que muitas vezes resultam no ganho de peso. Realizar pequenas refeições a cada 3 horas evita que o corpo estoque gordura, fazendo com que haja elevação de peso.

O ganho de peso pode agravar problemas de saúde como: os riscos de doenças cardíacas, agravar a osteoporose ou dificultar a locomoção.

  1. Invista nos alimentos saudáveis

Com o passar dos anos o corpo perde nutrientes e tem mais dificuldade para absorvê-los, contribuir com a reposição desses é fundamental. Alimentos industrializados devem ser retirados do cardápio e dar lugar as frutas, verduras, grãos e legumes.

Esses possuem uma grande quantidade de nutrientes que fortalecerão o sistema imunológico. A ingestão de alimentos ricos em cálcio como o leite, ajuda a prevenir o enfraquecimento dos ossos e fraturas.

  1. Tenha acompanhamento profissional

Somente um nutricionista ou um profissional de saúde poderá identificar como anda a saúde do idoso, indicando a alimentação apropriada para as suas necessidades. Esse profissional será capaz de elaborar um cardápio balanceado, suprindo as necessidades do organismo.

O menu pode ser elaborado de forma que agrade ao idoso, com alimentos que agradam ao paladar e proporcione a ele melhor qualidade de vida.

  1. Se adapte as restrições físicas

Não são todos os idosos que passam por grandes transformações físicas, entretanto, outros tem perdas dentárias, dificuldade de movimentação, tremores, entre outros. É preciso que a alimentação seja adaptada a esses mudanças do corpo.

A ausência ou restrição de dentição exigirá que os alimentos consumidos sejam preparados de modo que fiquem moles e possam ser ingeridos. A perda de movimento das mãos e tremores, exigirá que muitas vezes as refeições sejam realizadas com colher. Para facilitar que sejam levados do prato a boca, os alimentos mais pastosos são indicados.

O tamanho dos alimentos servidos e a sua forma de preparo são fundamentais para que os idosos possam se alimentar bem.

  1. Participe do preparo dos alimentos

Os idosos costumam ter perda de massa muscular, diminuindo a necessidade de calorias consumidas. Ao mesmo tempo podem surgir problemas de constipação e, esses somados a outros fatores, desencadeiam a falta de apetite.

Ao participar do preparo das refeições é um estímulo, pois os odores e as cores despertam a fome. O ato de cozinhar também permite que se tenha uma ocupação evitando o ócio e permitindo a interação com outras pessoas.

  1. Beba bastante água

A desidratação é um problema bastante comum na terceira idade e que influencia a qualidade de vida. A pele costuma ficar mais ressecada e por isso é preciso hidratá-la, ingerindo muito líquido e com a uso regular de hidratante corporal.

Apesar do líquido ser essencial, não se deve consumir refrigerantes e bebidas industrializadas. O suco natural e chás são permitidos em quantidades moderadas, mas a água continua sendo a melhor bebida.

  1. Reduza o açúcar

O pâncreas começa a produzir uma quantidade menor de insulina com o avanço da idade, fazendo com que o metabolismo da glicose funcione de forma anormal. Ao ingerir grandes quantidades de açúcar o corpo tem maior dificuldade de quebrar essas células, levando a diabetes ou agravando o quadro de quem já possui a doença.

A alimentação apropriada para essa idade requer que o consumo de doces, refrigerantes e outros alimentos que levam açúcar seja feita de forma restritiva.

As dicas de alimentação apropriada para os idosos são válidas para pessoas de qualquer idade, mas nessa fase se tornam fundamentais para garantir qualidade de vida. Portanto, a fim de garantir uma velhice com disposição é preciso estar atento ao cardápio do dia a dia.

Confira o Evento realizado junto com a Nestlé!

SBA aborda Gestão Nutricional em evento da Nestlé

Morador em Foco

Sr. Giorgio é morador do SBA Residencial desde o ano passado e gosta muito de livros, tanto que até escreveu alguns. Sempre que tem um tempinho livre, ele aproveita para ajudar a organizar a Biblioteca da SBA. Veja só o texto que Sr. Giorgio elaborou sobre este projeto:

 

Notícia sobre a Biblioteca da SBA

 

A Biblioteca da SBA está em reforma. Na atual primeira fase, os livros são separados por língua. Em seguida, os livros serão catalogados, e o catálogo estará disponível num computador.

 

Uma grande variedade de assuntos está representada no acervo da Biblioteca; aí vão alguns exemplos.

 

Livros em língua alemã constituem a maior parte do acervo. Aí encontram-se principalmente romances (de autores alemães ou traduzidos), mas há clássicos, como as obras completas de Goethe.

 

Para quem gosta de ver paisagens (montanhas, florestas, arquitetura urbana) há livros que ilustram lugares da Europa, Ásia e Brasil.

A Biblioteca ainda oferece um boa coleção do Geographic Magazine, em português.

 

As pessoas religiosas encontrarão muitas edições da Bíblia, em português.

 

E quem gosta de peixes poderá se divertir com um catálogo com mais de 800 fotos de peixes, todas com a respectiva descrição.

 

Se o gosto do leitor for dirigido para assuntos ferroviários, este leitor poderá encontrar um livro inteiro dedicado a locomotivas a vapor (em alemão, pois todas as locomotivas ilustradas são alemãs).

 

Gosta de fotografia? Pode consultar um livro inteiro que trata de fotografia modernas, em cores.

 

Prefere pinturas? O livro Das große Lexikon der Malerei tem mais de mil ilustrações, com as biografias dos artistas. Ou então livros sobre Cézanne, Goeldi, Hokusai, Miró, entre outros.

 

Balanço Capelania SBA – A importância da Espiritualidade em todas as idades

Capelania da SBA recebe participações especiais

Ao longo do primeiro semestre deste ano, a Capelania da SBA, conduzida pelo Pastor Nino, realizou 16 celebrações aos finais de semana e recebeu diversos grupos de corais, de jovens músicos, de teatro, além de palestrantes e até uma orquestra. As ações são realizadas sempre no primeiro sábado do mês e aos domingos de manhã, a cada quinze dias. Durante esses eventos são abordados temas motivacionais e religiosos, sempre promovendo o otimismo, a reflexão e a alegria através das músicas.

Abaixo segue:

  • Texto elaborado por nosso Capelão, Pastor Nino, que ressalta a importância da espiritualidade.
  • Link com fotos das ações realizadas.

 

A importância da espiritualidade em todas as idades

Capelania na SBA

O interesse sobre a espiritualidade e a religiosidade sempre existiu no curso da história humana, a despeito de diferentes épocas ou culturas. Contudo, apenas recentemente a ciência tem demonstrado interesse em investigar o tema. Estudos e pesquisas demonstram que a faixa etária acima dos 65 anos é aquela com mais contato frente a sua espiritualidade e religiosidade.

O envelhecimento populacional é uma realidade mundial. Em países desenvolvidos, a população idosa (acima de 65 anos) já ultrapassou o número de crianças e estima-se que em 2050 teremos 32% de pessoas idosas, totalizando uma criança para cada dois idosos. Se a questão da finitude parecia longínqua, pouco pensada, na velhice, torna-se mais próxima e até real. A morte de pais, parentes e amigos remete imediatamente à própria morte. O retorno a uma prática religiosa passa a ser mais evidente, sendo por muitos percebida como indispensável. Não é sem razão que muitos consideram a velhice como a etapa em que um balanço da vida é necessário e inevitável”

A prática da Espiritualidade na velhice

Segundo o médico americano Harold Koenig • “Religião é o sistema organizado de crenças, práticas, rituais e símbolos designados para facilitar o acesso ao sagrado (Deus, força maior, verdade suprema …).

  • Religiosidade é o quanto um indivíduo acredita, segue e pratica uma religião. Pode ser organizacional (participação na igreja ou templo religioso) ou não-organizacional (rezar, ler livros, assistir programas religiosos na televisão).
  • Espiritualidade é uma busca pessoal para entender questões relacionadas à vida, ao seu sentido, sobre as relações com o sagrado ou transcendente que podem ou não levar ao desenvolvimento de práticas religiosas ou formações de comunidades religiosas.”

De acordo com a pesquisa promovida pelo Instituto Gallup Internacional em 2005, que envolveu cerca de 50.000 pessoas em 65 países do mundo, mais de um terço dos entrevistados revelaram ser religiosos e os idosos foram aqueles com maior grau de religiosidade (quase 70% declararam-se religiosos, em relação a 60% dos jovens).

Nas celebrações realizadas pela Capelania no SBA Residencial, procuramos desenvolver temas do cotidiano dentro da espiritualidade respeitando o credo e as posições religiosas de cada morador.

Pr. Nino Ribeiro – Junho 2017

 

 

Agradecimentos especiais aos voluntários que participaram das celebrações ao longo do primeiro semestre: Coral Ramá, Orquestra Acordes de Davi, Psicanalista Paulo Bregantim, Jovens da Assembleia de Deus – Brás/SP, Pianista Lucas, Jovens do projeto P-4 Jundiaí e o Grupo Máquina do Riso (com fantoches).

 

Celebrações Capelania 1° Semestre 2017 / Google Photos

Dança ativa a memória e a concentração para quem está na terceira idade

Vai ter uma festa / Que eu vou dançar / até o sapato pedir pra parar

Aí eu paro / Tiro o sapato / e danço o resto da vida.” (Chacal)

Não há nada melhor do que dançar e se divertir na pista de dança até cansar. Quando se está ali, os problemas vão embora, o corpo e a mente ficam mais leve e tudo parece mais simples. Não é à toa que o poeta brasileiro Chacal escreveu os versos acima. Dançar pode ser uma terapia para o resto da vida.

Com a chegada da terceira idade muitas pessoas sentem-se sozinhas e, muitas vezes, surge aquela sensação de serem um verdadeiro peso na vida da família. Apesar de ser um sentimento bastante comum, essas situações podem fazer com que o idoso diminua o convívio social se isole em casa. Isso é algo perigoso e, é muito importante, encontrar maneiras para que não aconteça, mantendo a qualidade de vida de todos.

Neste cenário, a dança surge como uma das melhores formas de manter quem está na terceira idade ativo e integrado na sociedade. Sem contar nos benefícios neurológicos como aumento da concentração e melhora da memória.

A dança como terapia

Com o envelhecimento da população e a melhora na qualidade de vida de quem está na terceira idade, cada vez mais, surgem espaços exclusivos para mantê-los integrados e participativos na sociedade.

Escolas, centros de convívios, oficinas são apenas algumas das opções existentes.

Dentro destes espaços, a dança se destaca como uma das melhores ferramentas de integração. Além de ser uma atividade física, ela pode funcionar como uma terapia capaz de desenvolver diferentes habilidades que acabam ficando de lado ao longo da vida.

No SBA Residencial há um programa de dança sênior. Confira mais no blog do SBA Residencial.

Benefícios da dança para terceira idade

Movimentar o corpo é algo essencial para manter a vitalidade. Contudo, também é preciso manter o cérebro ativo para garantir uma melhor qualidade de vida. Na dança, habilidades como ritmo, equilíbrio e agilidade são trabalhadas constantemente.

Ao ter que memorizar uma coreografia quem tem idade avançada precisa se esforçar em áreas que não são comumente trabalhadas no dia a dia. A noção de espaço é outra habilidade trabalhada, pois é necessário respeitar a área do parceiro e conseguir apresentar os passos memorizados. Além disso, é comum surgirem lembranças e sensações positivas ao ouvirem músicas da juventude que fazem muito bem para os praticantes da dança.

Dançar é bom para o corpo e para alma. Afinal, “mente sana, corpo são”. Conheça mais benefícios desta atividade:

  • Não importa qual seja o ritmo, dançar exige do físico, aumenta o equilíbrio, a flexibilidade e aumenta a força muscular. Ou seja, vale a pena dançar alguns minutos por dia.
  • Praticar a dança significa ter que se arrumar, sair de casa, conhecer pessoas, ter novas conversas e descobertas. Isso é um grande aliado no bem-estar físico e mental, combatendo a solidão e até depressão.
  • Por ser uma atividade física, a dança ajuda a aumentar a capacidade cardiorrespiratória, prevenindo doenças coronárias entre outros problemas recorrentes na terceira idade.
  •  Dormir é tão importante quanto se exercitar. É no momento de descanso que o corpo refaz as energias e se prepara um novo dia. Um dos benefícios de dançar é garantir noites de sono com mais qualidade.
  • Memorizar coreografias, coordenar os passos e sincronizar o ritmo com o parceiro melhora a coordenação motora, a concentração e ajuda a ativar a memória.
  • Com a melhora do condicionamento físico, o aumento da disposição e de outras habilidades, naturalmente a pessoa se sentirá melhor com ele mesmo. Desenvolver a autoestima é importante em qualquer fase da vida, mas na terceira idade faz ainda mais diferença.

Todos estes benefícios podem ser somados ao fato da dança ser uma atividade física de baixo impacto para quem está na terceira idade, podendo ser comparada a caminhada. A diferença está na capacidade de integração social, na exigência do uso e desenvolvimento da memória e no bem-estar que ela desperta.

O SBA Residencial promove diversos eventos com muita música e dança. Os moradores participam de eventos onde assistem diversos tipos de performance de dança; clipes, vídeos e shows de artistas famosos, como o Roberto Carlos; participam de bailes temáticos e dançam ao som da moda de viola.

Além disso, também contam com a Dança Sênior, atividade praticada há quase duas décadas no condomínio e que estimula movimentos físicos para resgatar a rigidez muscular.

Acesse o site do SBA Residencial e conheça todos os benefícios de morar com qualidade, segurança e estrutura, sem abrir mão da sua liberdade.

Baixe Gratuitamente nosso E-book hora de decidir!

 

 

A importância da terceira idade na família e na sociedade

Só quem viveu a experiência sabe o quão bom é crescer com a presença dos avós por perto. Criar esta ligação entre as crianças e quem está na terceira idade é algo que beneficia os dois lados da relação. Os mais experientes têm um papel muito importante na família e para toda a sociedade. Mas, muitas vezes, isso acaba ficando de lado.

Com o avanço da idade, muitas pessoas preferem se recolher em casa evitar o convívio com a família e vizinhos. No entanto, é muito importante que os mais próximos, sejam os amigos ou próprios familiares, ajudem a combater a solidão. Esta atitude pode ser feita de maneira simples e delicada. Um bom exemplo é convidando o avô ou a avó para ajudar nos cuidados com os netos.

Independente da idade, quando participamos de alguma atividade que promove o contato com outras pessoas, sentimos alegria, satisfação e ficamos estimulados a viver, cada vez mais, momentos felizes como os que passamos juntos aos outros. Consequente, a autoestima melhora, assim como o bem-estar e a vontade de nos mantermos ativos.

A relevância da terceira idade para as demais gerações

Se existe uma certeza é a de que a experiência e maturidade só aumentam com o passar do tempo. A terceira idade é a parcela da população que tem uma visão mais ampla da vida, devido a sua enorme bagagem, e que já presenciou diversos acontecimentos no mundo que transformaram a forma de viver das outras gerações.

Manter esta geração ativa na sociedade é garantir a transmissão do conhecimento para os mais jovens, é permitir que os ensinamentos sejam passados entre as gerações e, claro, garantir que a cultura não se perca.

No ambiente familiar isso ganha ainda mais importância, pois é com os avós que os netos aprendem sobre as histórias, as tradições e até mesmo as receitas da família. Sem falar, nos momentos de diversão que ficam gravados para sempre na memória dos dois.

Outro enorme benefício é capacidade da pessoa mais experiente transmitir conhecimentos profissionais para demais gerações. Dessa forma, ele faz um mentoring, ou seja, torna-se um mentor que apoiará o desenvolvimento profissional para os mais jovens.

O SBA Residencial promove essa técnica e convida os alunos do SBA Girassol Pro para que eles conheçam a história profissional dos moradores mais experientes do condomínioA troca entre as gerações faz bem muito bem! Ao transmitir seus conhecimentos e a história de sua carreira, o residente mantém viva a memória e compartilha valores, técnicas e conceitos importantes para quem deseja alcançar o sucesso na profissão que escolheu.

Os benefícios da participação dos avós na vida dos netos

“Avós são pais duas vezes” e “avós são pais com açúcar” são apenas algumas das expressões que deixam bem claro o quanto é grande o carinho e o afeto dos parentes mais velhos com os mais jovens da família. Quem conviveu com os avós na infância sabe a importância dos momentos vividos e o quanto é divertida esta troca entre os pequenos e os avós.

Muitos são os benefícios da participação dos avós na vida dos netos, de acordo com um estudo feito pelo Boston College, nos Estados Unidos, e publicado no site da Revista Crescer, os dois lados deste relacionamento são beneficiados. Para os avós, esta conexão permite o contato com uma geração mais nova, com mais abertura e a descoberta de novas ideias. Já para os netos, os idosos são fonte de conhecimento e sabedoria para toda a vida. Além disso, os pesquisadores também perceberam benefícios para a saúde mental. Dos dois lados, notou-se uma diminuição nos sentimentos de depressão.

Há outros benefícios que também podem ser destacados nesta relação:

  • Cuidar dos netos ajuda aos que estão na terceira idade a terem mais paciência em atividades do simples do cotidiano. O contato com as crianças também os deixam mais afetuosos.
  • Estimula o lado da comunicação emocional entre as duas partes.
  • Ajudam os pais a terem outras visões em relação ao comportamento dos pequenos. Afinal, a experiência dos avós é dobrada quando o assunto é o cuidado dos netos.
  • Os avós são menos críticos que os pais, por isso ajudam a reforçar os pontos positivos das crianças.
  • Os avós são apoios emocionais indispensáveis para os netos, o que pode ser muito importante em momentos de crise entre os pais, por exemplo.

A participação da terceira idade na vida das crianças só tem pontos positivos. Cuidar dos netos também garante aos avós mais vitalidade. Afinal, as crianças em alguns momentos exigem bastante fisicamente e isso é muito positivo para os idosos. Isso significa que a relação pode beneficiar a saúde dos mais velhos diretamente, tanto no aspecto físico quanto nas questões psicológicas.

Garantir a saúde dos mais velhos é muito importante. Porém, mantê-los ativos na sociedade, num ambiente dinâmico e totalmente integrado é fundamental.

Para o SBA Residencial manter o contato entre gerações é indispensável para combater a solidão. Por isso, mantém uma programação repleta de eventos que trazem seus familiares e jovens que buscam orientação profissional dos moradores. Confira mais artigos sobre estes encontros em nosso blog.

Conheça o SBA Residencial, um conceito de moradia ideal para as pessoas da terceira que querem ter o apoio necessário, mas, sem abrir mão da liberdade.

Baixe gratuitamente nosso E-book a hora de decidir!

 

 

Dificuldades enfrentadas pela terceira idade para encontrar uma moradia ideal

O envelhecimento da população brasileira é uma realidade. De acordo com estudos, estima-se que em 2020, o Brasil será o sexto país com no ranking mundial em quantidade de pessoas na terceira idade, com aproximadamente 30 milhões de indivíduos.

Se por um lado isso é um bom sinal, pois significa que as pessoas estão cada vez vivendo por mais tempo, por outro levanta questionamentos importantes em relação à qualidade de vida na terceira idade.

Uma das formas de proporcionar qualidade de vida e bem-estar para a terceira idade é a questão da moradia assistida. Um tema que deve ser levado em consideração, pois é importante que esta geração viva em um local para garantir uma moradia digna e com qualidade.

 

As dificuldades da terceira idade em relação a moradia

 

Cada fase da vida pede determinadas adaptações na forma de viver. Mas, um dos primeiros problemas enfrentados por quem está com a idade avançada em relação à moradia é a perda de autonomia que pode ocasionar dificuldades no dia a dia.

De acordo com estatística do IBGE de 2010, na região Sul do Brasil, 52% dos membros da terceira idade vivem sozinhos. Já na região Sudeste este número é de 50%.

No entanto, ainda hoje, familiares e amigos não veem com bons olhos esta opção de moradia assistida, talvez por falta de informação sobre o quão benéfico pode ser para ambos os envolvidos.

Mesmo existindo um certo desconforto em relação a uma possível mudança, é importante ponderar algumas questões como o fato de quem está na terceira idade não ter mais capacidade de levar uma vida independente.

Os dois pensamentos são equivocados e acabam por ser uma grande dificuldade para a população da terceira idade no que se refere a decisão de onde morar.

A não ser que a pessoa que está na terceira idade esteja passando por um problema grave de saúde, não há porque achar que ele não é capaz de levar uma vida normal. Mesmo quando há necessidade fazer pequenas adaptações para facilitar as tarefas do cotidiano.

Algo bastante comum é convidar – seja o pai, mãe, avó ou avô – para viver com os familiares. Assim como, muitos filhos voltam para casa com o intuito de ficarem mais próximos aos pais.

Esta atitude pode e tem muito valor, contanto que seja algo decidido por todos e que não haja aquele ar de “cuidado”. É fundamental que seja mantido o respeito a autonomia de quem está na terceira idade em relação ao tipo de moradia que ele deseja ter, pois isso afeta diretamente na qualidade de vida de cada indivíduo.

 

Casos de cuidados especiais

 

Algumas doenças e quadros clínicos crônicos fazem com que a terceira idade não possa ser vivida na sua plenitude. Isso significa que em alguns casos quem está na terceira idade necessita de cuidados especiais e que, talvez, não esteja tão apto a levar uma vida completamente independente.

 

Nesta fase existem muitas soluções que garantem uma moradia digna, porém sem abrir mão destes cuidados. Do atendimento e adaptações em casa aos residenciais com assistência completa, é possível encontrar soluções diversas e interessantes para o momento vivido. Mais uma vez, é importante ressaltar que isso não significa abandono ou solidão, mas sim, uma forma de viver a vida com total qualidade, independente das limitações físicas.

 

A importância do convívio social

 

Com a chegada da terceira idade é muito comum que as pessoas se sintam deslocadas ou distantes da realidade dos que estão à volta. Contudo, o convívio social é parte fundamental da qualidade de vida e do bem-estar dos seres humanos, independente da idade.

 

Morar sozinho é uma forma de se mostrar capaz de levar a vida normalmente, mas também exige um esforço para fazer contatos pessoais e convívios. A participação em grupos, cursos e eventos voltados para a terceira idade são apenas algumas das formas de driblar a sensação de solidão.

 

Outra maneira interessante é a de optar por viver em residenciais que garantem uma vida independente, porém sempre perto de pessoas que estão na mesma etapa da vida. Um ambiente como o SBA Residencial é um grande diferencial para aliar uma moradia digna com qualidade de vida.

Neste local, os moradores participam de ,festas com moda de viola onde dançam, socializam e se divertem. Para proporcionar atividades acadêmicas e culturais de modo adaptado, o residencial criou o Programa Maturar – “A faculdade para a terceira idade da SBA”.

Além disso, para atender as necessidades terapêuticas, conta com a visita dos “Patas Therapeutas”, animais que fazem parte da IAA (Interações Assistidas por Animais). O objetivo é trazer momentos felizes que o convívio com cães propicia.

Gostaria de saber mais sobre a vida num residencial com opções modernas de moradia? Então acesse e conheça mais sobre o SBA Residencial e tire todas as suas dúvidas.

 

Baixe aqui nosso E-book a hora de decidir!

Manutenção do Lago e Plantio de Árvores

Cartão Postal da SBA, o Lago, passou por uma manutenção periódica que despertou a curiosidade dos moradores e demais pessoas que costumam passear ao seu redor. No decorrer dos anos, as folhas que caem das árvores transformam-se em matéria orgânica, acumulando-se no fundo do lago. Esses detritos precisam ser retirados através de um desassoreamento que proporciona aumento da oxigenação da água.

Todo esse processo foi realizado pela equipe do SBA Residencial, que trabalhou arduamente durante 5 dias. Durante a semana, foram instalados alguns tanques adaptados para a transferência adequada dos mais de 140 peixes que vivem no lago.

Outro fator interessante que alguns moradores questionaram, foi sobre a procedência da água. William Ávalos, Gerente de Manutenção explicou sobre o tema: “A água do lago vem de uma mina que fica no seu entorno, e esta mina é a fonte responsável pelo seu abastecimento. Todas as precauções necessárias durante esses 5 dias de manutenção foram tomadas, sempre pensando no bem-estar do morador, no cuidado com os peixes e com a natureza”, explica. William destacou ainda que há biólogos contribuindo para que não haja nenhum impacto negativo, tanto para a fauna quanto para a flora local.

Plantio de Árvores

Mais de 100 mudas de árvores frutíferas foram plantadas nas últimas semanas no SBA Residencial. A ação foi realizada a partir de um compromisso ambiental firmado entre a SBA e a CETESB, e que irá contribuir para a renovação da área verde, tão característica da Sociedade.

As espécies frutíferas e tropicais plantadas, preencheram o novo bosque no jardim do Hellner, além da área do Restaurante e da Unidade de Retaguarda Edelweiss.

Confira imagens clicando abaixo.

Manutenção do Lago 02/06/2017 / Google Photos