Categoria: Envelhecimento

Moradia para longevidade é alternativa para qualidade de vida na terceira idade

Com o aumento da população na terceira idade, cresce a procura por opções de moradias que proporcionem qualidade de vida.

 

Segundo uma pesquisa recente do IBGE, a presença de pessoas a partir de 60 anos no total da população foi de 9,8%, em 2005, para 14,3%, em 2015. Esses números tendem a crescer ainda mais, já que o surgimento de novos tratamentos e técnicas médicas podem aumentar a expectativa de vida.

 

Com isso, muitas famílias – especialmente os membros de idade mais avançada – estão em busca de opções de moradia que aliem conforto e segurança no dia a dia.

 

Condomínios como o SBA Residencial estimulam e garantem a qualidade de vida na terceira idade

 

Esse crescimento no número de pessoas a partir de 60 anos tem feito o número de asilos e casas de repouso crescer cada vez mais. Mas muitas pessoas tendem a não enxergar essa solução como a melhor para garantir a qualidade de vida na terceira idade.

 

Um dos principais motivos é o acesso pouco facilitado da família ao membro longevo, já que estas instituições tendem a ter regras específicas de visita.

 

Isso faz com que a grande maioria das pessoas prefira os condomínios residenciais específicos para pessoas da terceira idade, como o SBA Residencial.

 

Acesso facilitado da família, ambiente aconchegante e personalizado, além de infraestrutura médica são algumas das vantagens.

 

Optar por um instituição de longa permanência para a população sênior traz uma série de benefícios. Não só para o morador em si, mas também para toda a sua família. Confira alguns dos principais benefícios dessa solução:

Vínculo familiar garantido e reforçado

 

As pessoas mais velhas frequentemente tornam-se dependentes de seus filhos adultos ou de outros familiares próximos.

 

Essa inversão de papéis pode prejudicar os relacionamentos, já que alguns membros mais jovens podem sofrer com uma rotina de acúmulos entre a vida pessoal e os cuidados com seus entes queridos.

 

Optar por uma instituição como o SBA Residencial proporciona toda essa rotina de cuidados, através do suporte de uma equipe multidisciplinar.

 

Assim, os membros da família tornam-se capazes de garantir que o tempo com seus amados de idade mais avançada seja significativo e de alta qualidade.

 

Essa autonomia proporcionada pela infraestrutura também faz com que estes membros da família restabeleçam o papel de matriarca ou patriarca, gerando um aumento de autoestima.

 

Mais autonomia para o convívio social

 

Seja por questões de mobilidade ou falta de companhia, algumas pessoas de idade mais avançada podem sofrer com a impossibilidade de seguir com suas atividades rotineiras.

 

Mas comunidades como o SBA Residencial oferecem uma ampla variedade de oportunidades para mantê-los entretidos e ativos.

 

Isso pode incluir jogos, atividades físicas, grupos de leitura e de discussão, aulas e palestras que estimulem os moradores de forma social e intelectual.

 

Mais segurança

 

Estruturas como o SBA Residencial proporcionam uma sólida margem de segurança, tanto para seus residentes quanto para seus familiares.

 

Diferentemente de uma moradia convencional, aqui as pessoas com idade mais avançada estão em um ambiente protegido, contando com um ágil sistema de resposta a emergências, o que garante o recebimento de pronto atendimento em caso de quedas ou um possível mal súbito – cenário muito comum para aqueles que permanecem em sua residência sozinhos.

 

Certamente há pessoas da terceira idade que vivem sozinhos e seguem mantendo sua qualidade de vida. Entretanto, certos quadros clínicos, além do próprio avançar da idade, fazem com que muitas pessoas com idade superior a 60 anos vivam em situações inseguras ou não saudáveis.

 

É por isso que os condomínios especiais, como o SBA Residencial, tornam-se a melhor opção para garantir uma rotina de qualidade para a população sênior.

SBA Residencial é solução para qualidade de vida na terceira idade

 

Localizado no Butantã, um dos bairros mais calmos e arborizados de São Paulo, o SBA Residencial é referência em cuidados para terceira idade.

 

Aqui a autonomia e estilo de vida de cada morador são respeitados a cada cuidado. A personalização da residência escolhida é o primeiro grande diferencial. Cada novo morador pode trazer seus móveis e objetos pessoais, o que ajuda a manter a familiaridade com o cotidiano.

Além disso, os moradores são incentivados a manter suas atividades corriqueiras, que eram realizadas fora do condomínio. E a participar de eventos especiais, festas e passeios.

 

Para isso, o SBA Residencial conta com salão de beleza, restaurante, auditório, cafeteria, lago e trilhas. São 27 mil m² de área, o que estimula a prática de exercícios e o convívio social através de atividades das mais variadas.

 

Conheça mais sobre o SBA Residencial e todos os seus benefícios, clique e fale conosco.

Você vai conhecer a verdadeira opção para garantir a qualidade de vida na terceira idade.

 

Baixe também nosso e-book “101 dicas de bem-estar para terceira idade”

Qualidade de vida na terceira idade

Na terceira idade é importante viver bem o dia a dia, desfrutando de momentos felizes e
fazendo adequações necessárias para manter qualidade de vida.
Com o e-book “101 dicas: Bem-estar para a terceira idade” você encontrará sugestões que
tornarão esta fase da vida ainda mais tranquila. Saiba como ficar mais confortável conforme as
alterações climáticas, acompanhando as estações do ano.
A boa qualidade de vida é possível também na vida madura, contanto que haja organização, a
fim de tornar esta época mais equilibrada. É comum a terceira idade seja acometida por
doenças específicas, porém atividades e lazer, sem dispensar os cuidados com a saúde, ajudam
a manter o bem-estar.

Confira este material e saiba como viver a terceira idade com qualidade de vida. Baixe o e-
book aqui.

Por dentro do Estatuto do Idoso: como agir contra abusos financeiros

Trabalhar a educação financeira na terceira idade é algo extremamente importante a ser
feito para a prevenção de práticas abusivas por parte de instituições financeiras e até
familiares.
O Estatuto do Idoso ‒ Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003 ‒ é bem claro quanto a
esse tema. Qualquer ação ou omissão que cause dano ou sofrimento físico ou
psicológico contra essa faixa etária é crime previsto na lei, o que inclui os abusos
financeiros.
O artigo de hoje é um alerta aos familiares e integrantes da terceira idade sobre o que
pode ser considerado crime e o que deve ser feito para inibir essa prática e proteger o
dinheiro de aposentadorias e pensões. Acompanhe.

Exemplos de abusos financeiros

Todos os dias, um considerável número de pessoas mais velhas são alvos de criminosos.
Levantamento da Coordenação-Geral dos Direitos do Idoso, vinculada à Secretaria
Especial de Direitos Humanos (SDH), do governo federal, revela que somente no
primeiro semestre de 2016 foram feitas mais de 8,8 mil denúncias no Disque 100
relatando tentativas de retenção de salários, extorsão e expropriações de bens.
Alguns exemplos desses abusos financeiros:
Fraudes bancárias e de outras instituições financeiras

Um abuso financeiro bem comum sofrido é em relação a empréstimos, por exemplo.
Existem casos em que mais de 70% da aposentadoria fica comprometida por causa de
empréstimos consignados concedidos por instituições financeiras.
Mas a regra é clara: segundo informações do Banco Central, os descontos de créditos
consignados não podem ultrapassar 35% do valor dos salários. Saber isso evita muita
dor de cabeça e a queda significativa da qualidade de vida na terceira idade.

Fique atento, ainda, com telefonemas de instituições (ou farsantes) oferecendo
empréstimos, seguros e cartões de crédito. Muitas dessas pessoas acabam induzindo o
aposentado ao erro, que acaba “aceitando” a oferta mesmo sem saber. É preciso cautela
e muita calma na hora de conversar por telefone, e nunca fornecer dados pessoais. O
mesmo vale para e-mails e mensagens de texto via SMS.

Abuso financeiro por parte de parentes

Infelizmente, essa é uma realidade enfrentada por muitas pessoas de mais idade. A
violência financeira pode estar camuflada em pequenos gestos, mas que causa grandes
prejuízos para o bem-estar da vítima.
Exemplos vão desde a utilização indevida da renda até mesmo a pressão psicológica
para que ele consiga empréstimos para familiares ou terceiros. Isso sem falar em casos
de fraudes de parentes que utilizam cartões de transporte ou de crédito em benefício
próprio.
E muitos desses abusos cometidos acabam tendo a conivência daquele parente mais
velho simplesmente na tentativa de promover a paz e o sossego na família, embora essa
tranquilidade seja apenas aparente. Muitos aposentados se responsabilizam pelas
despesas de toda a casa para terem um bom ambiente familiar.

Falta de contrato de instituições de longa permanência

Outra situação comum que pode configurar violência financeira contra a pessoa de mais
idade é a cometida por instituições de longa permanência, também chamadas de
instituições de longa permanência. Algumas delas agem contra a lei e acabam
sequestrando os recebimentos financeiros dos acolhidos.
Por isso é de extrema importância realizar uma pesquisa aprofundada antes de decidir o
local onde seu ente querido passará a viver. O ideal é que a instituição tenha um
contrato por escrito prevendo toda a proteção legal, valores a serem pagos e garantindo
a total preservação da autonomia da pessoa manifestada por este ou pelo responsável do
mesmo.

Onde procurar ajuda e as penas previstas em lei

A seguir, separamos três artigos do Estatuto do Idoso que ajudam a esclarecer em quais
locais deve-se procurar ajuda em caso de suspeita de prática de abuso financeiro, bem
como as penas para quem comete esse crime.
Art. 19.  Os casos de suspeita ou confirmação de violência praticada contra idosos
serão objeto de notificação compulsória pelos serviços de saúde públicos e privados à
autoridade sanitária, bem como serão obrigatoriamente comunicados por eles a
quaisquer dos seguintes órgãos:
I ‒ Autoridade policial;
II ‒ Ministério Público;
III ‒ Conselho Municipal do Idoso;
IV ‒ Conselho Estadual do Idoso;
V ‒ Conselho Nacional do Idoso.
Art. 102. Apropriar-se de ou desviar bens, proventos, pensão ou qualquer outro
rendimento do idoso, dando-lhes aplicação diversa da de sua finalidade:
Pena – reclusão de 1 (um) a 4 (quatro) anos e multa.
Art. 104. Reter o cartão magnético de conta bancária relativa a benefícios, proventos
ou pensão do idoso, bem como qualquer outro documento com objetivo de assegurar
recebimento ou ressarcimento de dívida:
Pena – detenção de 6 (seis) meses a 2 (dois) anos e multa.
Art. 106. Induzir pessoa idosa sem discernimento de seus atos a outorgar procuração
para fins de administração de bens ou deles dispor livremente:
Pena – reclusão de 2 (dois) a 4 (quatro) anos.
Portanto, fique bem atento quanto a qualquer indício de abuso financeiro que possa ser
praticado contra os membros da terceira idade da sua família. Afinal de contas,
educação financeira nunca é demais e ajuda a proteger o patrimônio de uma vida inteira
de trabalho.
Para mais informações sobre esse e outros temas que envolvem a saúde e o bem-estar da
terceira idade, entre em contato com o SBA Residencial através do Fale Conosco. Há
mais de 150 anos promovendo integração, convivência, qualidade de vida e assistência
social.

Se interessou? baixe também o e-book “Envelhecimento Saudável”

O que é envelhecimento saudável?

Todo mundo fica mais velho, isso é um fato. Porém, muitos vêm o processo de envelhecimento, também chamado de senescência como algo distante. Existem jovens que pensam que não envelhecerão e que isso é algo muito longe de sua realidade atual.

A questão é que o envelhecimento é um processo natural, o qual todos passamos desde que nascemos. A cada dia envelhecemos um pouco mais, porém, nem sempre isso fica tão claro.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS) é considerada uma pessoa idosa, erradamente chamada de velha, quem possua mais de 60 anos. Por conta dessa definição dada a terceira idade, acabou se criando alguns pensamentos errados e que não condizem com a realidade.

A visão que a sociedade tem da terceira idade

Pense em alguém com mais de 60 anos, qual imagem lhe vem à cabeça? É bem provável que tenha imaginado um senhor ou uma senhora com a pele toda enrugada, com a bengala e bem debilitado. Por muitos anos realmente essa foi a imagem que se teve e a realidade de muitas pessoas que chegavam a velhice.

Mas, você consegue imaginar uma pessoa com mais de 60 anos sendo musa fitness? Ou então posando para fotos sensuais? Ou quem sabe trabalhando e carregando peso? Se essas situações lhe parecem estranhas, saiba que hoje são uma verdade.

A sociedade é resistente em mudar a imagem que criou da velhice e insiste em fazer parecer que pessoas com mais de 60 anos sempre serão debilitadas e inativas. Para a maior parte das pessoas elas são aposentadas que ficam em casa, cuidando dos netos e precisam de cuidados especiais.

Porém, poucos se lembram que hoje essas pessoas ajudam no sustento das casas e muitas vezes se mantêm ativos no mercado de trabalho. Para eles a tecnologia também pode ser uma aliada e a terceira idade está presente nas redes sociais e não se intimida com um computador ou smartphone.

É preciso que essa visão ultrapassada seja abandonada para que se possa ver a atual terceira idade da maneira como ela realmente é.

O envelhecimento não é sinal de inutilidade

Mas, então o que muda com o envelhecimento? O envelhecimento deve ser considerado de acordo com as condições físicas de uma pessoa do que com a sua idade. É possível ver pessoas com 70 anos que se mantêm ativas e não tem problemas de saúde. Em contrapartida, existem os jovens sedentários e que desde cedo apresentam sérios problemas.

Envelhecer não é sinônimo de ser inútil, mas sim de ter mais conhecimento para compartilhar!

A pessoa pode muito bem continuar a ter sua autonomia manter-se ativo no mercado do trabalho e ainda cuidar da família.

Quanto maior for o cuidado com o corpo e a mente mais tempo o processo de envelhecimento será adiado. Isso porque envelhecer não é uma questão de idade, mas, de saúde e mentalidade. E para retardar esse processo é possível adotar diversas rotinas:

  • Ter um grupo de convívio que inclui não apenas familiares
  • Praticar atividades físicas que respeitem as limitações do corpo
  • Realizar atividades culturais e de lazer que proporcionem novas experiências e aprendizado
  • Ter o acompanhamento médico
  • Viver em um local que possibilite acesso ao bem-estar, assim como o SBA Residencial faz com os seus moradores.

Essa é uma maneira de demonstrar que eles apenas são pessoas com uma idade cronológica mais avançada, mas, que mantêm todas as suas habilidades.

É claro, que existem casos em que a pessoa pode estar com limitações e debilitada, pois, em algum momento o corpo dá sinais de desgaste. Entretanto, essa não deve ser uma visão generalizada.

Para ajudar a mudar essa imagem negativa, o SBA Residencial contribui de forma positiva. Além de oferecer um excelente espaço para que a terceira idade possa viver bem e ter qualidade de vida, promove a conscientização sobre a velhice.

Quer conhecer um pouco mais de um espaço que se destina a pessoas maduras e que também podem ser jovens mentalmente? Visite o site do SBA Residencial e saiba mais.

Baixe o e-book Envelhecimento Saudável e saiba mais!

Direitos do Idoso e o Estatuto do Idoso

Após passar anos contribuindo com a sociedade, muitas vezes a pessoa mais velha acaba esquecida e desrespeitada. Para evitar esse tipo de problema e até mesmo descriminação, foi criado o Estatuto do Idoso que assegura uma série de direitos a esse grupo.

Porém, se houvesse respeito não seria necessário haver uma lei para regulamentar algumas situações. Seja na rua ou em casa, a terceira idade sempre merece atenção e cuidados e isso é o que a SBA Residencial visa proporcionar para os seus moradores.

A questão é que o Estatuto de idoso permite que de certa forma a terceira idade seja beneficiada e tenha as suas limitações respeitadas. Veja alguns direitos garantidos.

Transporte coletivo

As pessoas com mais de 65 anos podem andar de graça no transporte coletivo, existindo algumas regras para isso. Ingressar nos ônibus municipais, por exemplo, é liberado e basta apresentar um documento para comprovar essa gratuidade. Algumas cidades adotam em conjunto outros métodos, como cartões gratuitos. Além disso, 10% dos assentos devem ser destinados a terceira idade e identificados.

Já no transporte interestadual, a pessoa na terceira idade com renda inferior a dois salários-mínimos podem andar de graça desde que respeitada a ocupação de 2 poltronas por ônibus. Se esse limite for ultrapassado existe um desconto de 50% sobre o valor.

Cultura e lazer

A terceira idade tem o direito de se divertir e ainda garantir um desconto de 50% nas atividades culturais e esportivas. Para usar o benefício é preciso apenas apresentar um documento de identificação.

Abandono e violência

Quem está na terceira idade não pode sofrer maus tratos ou ser abandonado por seus familiares, sem que receba assistência. Além disso, também não pode ser excluída de realizar suas atividades ou ficar afastada do convívio social.

Para garantir esses direitos, quando a família não tem condições de cuidar de forma adéqua da pessoa, pode optar por uma residência da terceira idade. Outra situação que esse tipo de moradia é válida é quando a própria pessoa prefere ficar em um local que receba cuidados, tenha um convívio social e atividades direcionadas.

A escolha do local é de suma importância para que ela não sofra maus tratos e o SBA Residencial tem uma equipe preparada para garantir esses direitos.

Mesmo, assim, a visita da família e amigos é recomendada e bem-vinda, afinal, quem está na terceira idade gosta de receber pessoas nas suas casas. 

Saúde

No Sistema único de Saúde (SUS), a terceira idade têm preferência na hora do atendimento, devendo receber atendimento prioritário. Além disso, eles possuem direito a medicação gratuita para o tratamento de determinadas doenças, como a pressão alta.

Os maiores de 60 anos podem utilizar as farmácias populares, encontrando nelas alguns medicamentos e itens de cuidado gratuitos ou com desconto.

Já em relação aos planos de saúde, não é permitido reajuste de valores pela faixa etária. A última faixa existente é para pessoas com mais de 59 anos, sendo que o único aumento que pode ocorrer é o reajuste anual.

Finanças

O idoso que não tem condições financeiras recebe amparo do governo. Quem nunca trabalhou, possui mais de 65 anos e renda per capita menor que 1/4 do salário-mínimo vigente possui direito ao BPC (Benefício de Prestação Continuada). Ele garante uma remuneração de 1 salário-mínimo mensal.

Outra situação é que quando o idoso não tem condições financeiras de se manter, ele pode solicitar pensão alimentícia para seus descendentes.

Entretanto, quando há uso indevido das finanças e bens do idoso pode haver penalização. Essa penalidade pode ser de 1 a 4 anos de detenção e multa.

Moradia

Outro direito do idoso é a moradia, nesse caso eles possuem cotas de participação nos programas sociais de habitação ou que são realizados com recursos públicos. Pelo menos 3% das ofertas devem ser destinadas a terceira idade.

Apesar de todos esses direitos dos idosos serem garantidos por lei, a sociedade ainda precisa evoluir muito e aprender a respeitar esse grupo. Por isso, o ideal é estar sempre em locais em que se é bem acolhido e fazer com que esses direitos não fiquem apenas no papel.

O SBA Residencial acredita que a terceira idade deve ser respeitada não apenas por conta da lei, mas sim por ter o seu valor. Conheça um pouco mais de tudo o que este condomínio especial proporciona para a terceira idade.

 

Se interessou? Baixe também o e-book “Envelhecimento saudável”

Como organizar melhor a rotina de medicamentos na terceira idade

Mesmo que os membros da terceira idade de sua família façam uso de poucos remédios para o tratamento e o controle de doenças, ter uma rotina de medicamentos bem estabelecida evita sérios problemas que a alta dosagem ou o esquecimento podem acarretar na saúde da terceira idade.

No artigo de hoje daremos dicas preciosas sobre esse tema para que haja uma melhor organização nessa área. Acompanhe.

Faça uso do remédio conforme a prescrição médica

 

É muito importante que a pessoa siga corretamente as instruções médicas na hora de utilizar os medicamentos. Não se deve pular e nem acumular doses e, muito menos, suspender o uso sem a orientação médica, mesmo se a pessoa apresente sinais de melhora.

A automedicação é outro fator que pode ser muito perigoso, principalmente em casos em que ele já faz uso de outros remédios. Por isso é importante passar sempre pela avaliação do médico para que ele oriente quanto a melhor combinação a ser feita. Se ele indicou um medicamento específico, é preciso verificar com ele se é possível adquirir um remédio similar ou genérico.

 

Mantenha a lista dos medicamentos em locais visíveis

 

Uma boa rotina de medicamentos deve conter a lista de todos os remédios em locais visíveis da casa. Deve-se anotar:

  • O nome exato do medicamento;
  • Se ele é genérico ou similar;
  • O motivo do uso de cada medicamento;
  • A dosagem;
  • Os horários corretos;
  • Orientações específicas (como “tomar antes do café da manhã”);
  • O telefone de contato do médico caso haja alguma emergência ou dúvida.

Também considere entregar uma cópia dessa lista a outros membros de confiança da família para que possam lhe ajudar em caso de emergência, de perda da lista ou de ausência.

Outra dica interessante é pensar na melhor forma de organizar os medicamentos. Algumas pessoas utilizam códigos como “manhã”, “tarde” e “noite”, por exemplo, para facilitar o acesso. Caso tenha dúvida, peça auxílio do médico para lhe ajudar nessa organização.

 

Fique ciente das interações medicamentosas e dos efeitos adversos

 

É muito importante conhecer cada efeito que os medicamentos podem produzir e o que a pessoa pode ou não consumir ou fazer durante o uso.

Por exemplo: ele pode consumir bebida alcoólica? Pode dirigir? Pode realizar atividades físicas de intensidade alta? Leia a bula atentamente e também pergunte todos os detalhes ao médico. Também esteja ciente dos efeitos colaterais que podem surgir e como agir nesses casos.

Outra dica importante é não utilizar a internet ou informações de terceiros para esclarecer esse tipo de dúvida. Por isso, não saia do consultório sem respostas.

 

Atualize as prescrições com o médico

 

Essa dica é muito importante para manter a saúde e a segurança da pessoa mais velha em dia. No tratamento e controle de determinadas doenças, vez ou outra será necessário aumentar ou diminuir a dose de alguns medicamentos para não comprometer a saúde da pessoa.

Por isso é muito importante que ele se consulte periodicamente para que o médico avalie e atualize o atual estado do paciente, certificando-se que todos os medicamentos estão na dosagem certa. Alguns deles, inclusive, podem deixar de ser tomados por um tempo, de acordo com o quadro do paciente.

 

Utilize o alarme do celular para lembrar os horários dos medicamentos

 

Para os adeptos da tecnologia, uma forma bem simples para não esquecer os horários certos de cada remédio é programando o alarme dos celulares. Neles é possível digitar o nome de cada um a ser tomado, facilitando ainda mais a organização da rotina dos medicamentos. Afinal, nem sempre eles são tomados em horários convencionais, sendo que em muitos casos será preciso despertar nas madrugadas para dar o medicamento.

Tendo cuidado e seguindo corretamente todas as dicas, rapidamente a rotina de medicamentos se tornará um hábito já incluso no dia a dia, contribuindo para a saúde, o bem-estar e a tranquilidade de toda a família.

 

O SBA Residencial há mais de 150 anos atua na área de moradia assistida para a terceira idade. Aqui você não se preocupa com a rotina da medicação, pois são todas ministradas pela equipe de enfermagem. Para mais informações, entre em contato e venha conhecer o que mais podemos oferecer.

Baixe também o e-book “Envelhecimento Saudável”

Dicas para prevenir fraturas na terceira idade

Os cuidados preventivos para evitar a incidência de fraturas na terceira idade são formas de diminuir estatísticas preocupantes no Brasil.

Segundo dados divulgados em 2014 pelo Ministério da Saúde, o SUS (Sistema Único de Saúde) registra mais de R$ 51 milhões por ano com o tratamento de fraturas. E 75% das lesões sofridas por pessoas acima dos 60 anos são de origem doméstica.

Se a queda é um problema comum, as formas de preveni-la também são, e vão desde os cuidados com a saúde dos idosos, até a mudança e adaptação de alguns cômodos e objetos da casa onde eles vivem.

Portanto, o artigo de hoje tem como objetivo lhe orientar sobre os cuidados preventivos que você pode tomar para prevenir fraturas e lesões nos integrantes da terceira idade de sua família.

 

Cuide da saúde do idoso e oriente-o a se cuidar

 

Antes de tudo, a saúde do idoso precisa estar em dia para que ele tenha uma qualidade de vida melhor e se sinta mais disposto e com mais força para se movimentar.

Saúde em dia não significa necessariamente a cura de doenças, mas o devido controle delas, garantindo a manutenção do bem-estar.

Por isso, alguns cuidados preventivos com a saúde devem ser observados, tais como:

  • A realização de exames de rotina para verificar a saúde dos olhos, dos ossos e as taxas de vitaminas e ferro no organismo, evitando-se anemias, fraquezas musculares e ósseas e problemas de visão que podem ocasionar acidentes domésticos;
  • Ter uma alimentação adequada e com a suplementação correta – indicada por um médico, caso seja necessário;
  • Realizar atividades físicas para garantir o equilíbrio corporal e a força muscular para se locomover adequadamente;
  • Dar uma atenção especial ao uso dos medicamentos. O ideal é ter recipientes próprios para prepará-los e armazená-los com antecedência, evitando-se a ingestão de doses erradas;
  • Orientar o idoso para que ele use roupas leves, confortáveis, evite o uso somente de meias e que alguém sempre verifique se os sapatos são corretos, sem cadarço, sem saltos e sola de borracha.

 

Disponibilize equipamentos de auxílio

 

Os idosos que necessitarem de auxílio para locomoção devem ser prontamente atendidos. Portanto, avalie a necessidade do uso de bengalas, cadeiras de rodas e andadores.

Também considere adquirir um equipamento chamado “pegador de objetos para idosos”. Com um preço acessível, ele permite que o idoso alcance objetos em lugares altos (prevenindo a subida em cadeiras e escadas), objetos no chão (prevenindo movimentos bruscos de coluna) e objetos distantes.

Instale equipamentos que contribuem para a segurança na casa

 

Muitas quedas e consequentes fraturas podem ser prevenidas com algumas instalações na casa onde vive o idoso, para que ele se sinta mais protegido e independente para a realização de suas atividades cotidianas.

Algumas dicas:

  • Instale corrimãos nas paredes da casa e também nas escadas para facilitar a locomoção do idoso e servir como uma ajuda caso ele se desequilibre por algum motivo;
  • Conserte os desníveis no chão ou nas escadas;
  • Troque ou acrescente rampas nas escadas;
  • Coloque luzes com sensor de movimento para que o idoso possa se locomover com segurança à noite;
  • Instale torneiras com alavanca na cozinha para facilitar o manuseio;
  • Instale trancas que abrem por dentro e por fora, além de maçanetas de alavanca;
  • Eleve a altura do vaso sanitário com assentos específicos de alturas variadas;
  • Instale barras de apoio laterais nos banheiros;
  • Coloque piso antiderrapante, principalmente no box do banheiro;
  • Adapte o quarto do idoso para o primeiro andar da casa, caso ela tenha mais de um andar.

Adapte a decoração da casa

 

A decoração da casa deve estar condizente com a segurança e a facilidade de locomoção de todos os moradores, principalmente as crianças e os idosos.

Em relação ao piso, evite tapetes e carpetes, principalmente próximos a escadas.

No quarto, verifique se a cama do idoso está na altura correta, ou seja, se ele consegue se sentar na beirada e tocar os pés no solo com facilidade. Também deixe uma luminária na cabeceira da cama, de fácil acesso para ligá-la.

Quanto aos armários, eles devem ficar numa altura que facilite o acesso, tendo gavetas fáceis de serem abertas. De preferência utilize pratos de plástico e copos inquebráveis. Troque as panelas pelas de alças nas duas laterais para distribuir o peso.

Por último, evite fios soltos e espalhados pela casa e mantenha o piso limpo e bem seco.

Ficando atento e colocando em prática esses cuidados preventivos, você zelará pela saúde e o bem-estar do idoso, prevenindo quedas e possíveis fraturas que possam limitar a qualidade de vida deles.

 

Quer saber mais como viver melhor a terceira idade? Baixe agora o nosso e-book “Hora de Decidir”, tire todas as suas dúvidas e veja como é possível viver com mais segurança e qualidade de vida.

 

Continuar trabalhando na terceira idade é saudável, mas requer cuidados

Continuar trabalhando na terceira idade é saudável, mas requer cuidados

Se por muito tempo o pensamento de que pessoas mais velhas deveriam ficar em casa, hoje, o
trabalho na terceira idade é mais comum do que se imagina e traz grandes benefícios. Muitos
aposentados retornam para o mercado de trabalho e os motivos que levam a isso são diversos.

Existem os que retornam porque precisam complementar a renda e os que não querem ficar
parados.

Não importa qual a razão, isso não fará nenhum mal, pelo contrário, pode trazer uma série de
ganhos.

Confira os principais benefícios:

Vantagens do trabalho na terceira idade

O trabalho na terceira idade não tem apenas a ver com a conquista de uma remuneração, mas
em ter uma vida mais saudável. Ao trabalhar, a pessoa exercita sua criatividade e capacidade
de decisão.

Manter a mente ativa

A melhor maneira de evitar doenças degenerativas mentais é manter o cérebro em
funcionamento e o exercitando com frequência. O trabalho permite que se mantenha uma
linha de raciocínio e que exercícios mentais sejam praticados de forma constante.

Relacionamento interpessoal

O trabalho na terceira idade ajuda a afastar a solidão e a manter um vínculo próximo com
colegas e amigos. O relacionamento diário ajuda a criar laços e a melhorar o convívio com as
pessoas.

É bastante comum na terceira idade que a pessoa fique mais resistente e não aceite opiniões.
Por conta da hierarquia e regras das empresas, terá de lidar com essa situação e tornar o
convívio mais amigável.

Valorização pessoal

Ao perceber que pode contribuir muito com o aprendizado, principalmente dos mais novos, os
idosos se sentem mais valorizados. Eles possuem uma ampla experiência de vida e essa
contribui para o crescimento das organizações e demais profissionais.

A pessoa passa a se sentir mais útil, fazendo uma atividade que de alguma forma está
contribuindo com a sociedade. O resultado é a valorização pessoal e melhora da autoestima.

Menor impacto no estilo de vida

Se a pessoa trabalhou a vida inteira e sente prazer nisso, não é porque se aposentou que
precisa parar. Muitos que optam por esse caminho acabam se sentindo deprimidos e sem
utilidade.

Se a rotina sempre incluiu o trabalho e isso faz bem, não importa a idade, o trabalho ajudará.

Pode-se diminuir o ritmo se preciso, mas, não alterar a rotina para algo monótono e sem
ocupação.

Quais cuidados tomar para trabalhar e ter uma vida saudável?

Os benefícios e ganhos são recompensadores, entretanto, é preciso ter um pouco mais de
atenção em relação ao trabalho na terceira idade. Isso se deve ao fato do corpo passar por
mudanças, estando um pouco mais debilitado para realizar algumas ações.

Os problemas ocasionados pelo trabalho na terceira idade, no geral estão relacionados a
questões físicas. O envelhecimento propicia o surgimento de problemas osteomusculares se
não receber a devida atenção as atividades realizadas podem intensificar o quadro.

Os distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (DORT) também chamados de lesões
por esforço repetitivo (LER) são os mais comuns. Eles surgem em decorrência da repetição de
movimentos de forma frequente e sem que haja intervalos para descanso.

Para prevenir esse problema, o ideal é que haja pausas regulares a cada cerca de 50 minutos
de atividades. Nesses intervalos é recomendado levantar ou mudar de posição para que o
corpo não se acostume.

Fazer alongamentos e ginástica laboral ajuda a trabalhar tendões e músculos, evitando a
sobrecarga e estafa. Porém, a mente também deve receber cuidados, garantindo um tempo de
descanso e descontração.

O trabalho na terceira idade garante uma grande quantidade de benefícios, fazendo com que a
pessoa continue ativa e se sinta valorizada. Se adotadas as medidas para prevenir doenças, é
possível exercer a profissão por longos anos e garantir qualidade de vida.

No SBA Residencial, a rotina diária é continuada, ou seja, você mantém sua qualidade de vida
realizando todas as tarefas normalmente. Conheça tudo o que podemos oferecer.

 

Confira outras formas de envelhecer de forma saudável!

 

Envelhecimento, bem-estar e vida saudável

À medida que vamos envelhecendo, a tendência é nos tornarmos mais reflexivos e filosóficos do que quando éramos mais jovens. É um processo natural de avaliação das nossas realizações e também dos nossos fracassos.

Quando falamos em envelhecimento, bem-estar e vida saudável, nem sempre parece que esses três termos se encaixam. Isso porque a satisfação que a pessoa na terceira idade sente na vida é diferente da ideia social estereotipada pela sociedade, de que a pessoa que envelheceu torna-se alguém desinteressado e preso ao passado.

Não é papel da sociedade escolher o significado dos anos vividos por alguém; cabe à própria pessoa que envelheceu dar sentido à passagem dos anos em sua vida.

Nesse sentido, é preciso compreender o que significa de fato um envelhecimento saudável, para garantir a terceira idade o respeito à sua individualidade e, ao mesmo tempo, sua integração à sociedade.

A combinação dos três elementos

O envelhecer de modo saudável pode ser percebido de maneiras diferentes por cada indivíduo. Uma pessoa mais velha pode trazer diversas questões que considera relevantes nesse processo. Por isso, adotar comportamentos saudáveis significa contar com uma verdadeira rede de apoio.

A combinação entre os três elementos: envelhecimento, bem-estar e vida saudável deve ser trabalhado diariamente na vida dos membros da terceira idade. Nesse sentido, um envelhecimento saudável assume um conceito mais amplo que a ausência de doença. É um processo de adaptação às mudanças que ocorrem ao longo da vida, de modo a permitir que a terceira idade mantenha seu bem-estar físico, mental e social.

Manter-se ativo vai além da capacidade física e da força de trabalho, mas também significa uma participação na sociedade, incluindo aqui questões políticas e as demais relacionadas à vida em comunidade.

Quais características e atividades a terceira idade precisa manter para envelhecer de forma saudável?

 

Um envelhecimento saudável passa pela criação de bons hábitos, que podem se concentrar em algumas características e atividades, tais como:

  • Adoção de comportamentos saudáveis: ter uma boa higiene pessoal e uma alimentação equilibrada, por exemplo, além de fazer bem para a saúde na terceira idade, é um mecanismo que promove o bem-estar mental.
  • Manter-se ativo: praticar atividades físicas orientadas e também sair da rotina com passeios ao ar livre e o desenvolvimento de atividades prazerosas em comunidade.
  • Manter a saúde em dia: ter um acompanhamento médico no sentido de prevenção, tratamento e controle de doenças.
  • Desenvolver uma mente positiva: ter sentimentos positivos e olhar o lado bom da vida, mesmo em meio às circunstâncias adversas, ajuda a pessoa mais velha a ter um equilíbrio mental e a ser menos ansioso em relação às dificuldades da vida. E uma boa maneira de desenvolver essa mente positiva diz respeito à próxima dica.
  • Contar com uma rede de apoio social: participar de terapias e atividades em grupo (como pet terapia, musicoterapia e festividades) são muito eficazes para manter um equilíbrio mental das pessoas, integrando-as de maneira ativa na sociedade ao mesmo tempo em que preserva sua autonomia e independência. Afinal, nesses espaços é possível compartilhar angústias, tristezas, amores, alegrias, afetos e saberes, reduzindo sentimentos como insegurança, medo, depressão e a tristeza por conta de algumas situações familiares, como a perda de entes queridos.

Outro fator muito importante é a escolha da moradia na terceira idade, que deve ser adequada e levar em consideração alguns fatores:

  • A manutenção do convívio familiar;
  • O convívio com pessoas da mesma idade;
  • Assistência médica e psicológica próximas do local de moradia;
  • Atividades de lazer nas proximidades da residência;
  • Autossuficiência (um local que valorize e incentive a autonomia e individualidade);
  • Acesso a conhecimento, incluindo aqui o uso de tecnologias;
  • Segurança interna e externa.

Envelhecimento com bem-estar e uma vida saudável não se constroem da noite para o dia, mas é um processo que traz tantos resultados positivos a curto, médio e longo prazo que vale a pena a criação de pequenos hábitos dentro da rotina.

Por isso, converse com sua família e criem juntos um planejamento nesse sentido. E caso já existam membros da terceira idade nela, comece hoje mesmo a ajudá-los e a incentivá-los. Todos só têm a ganhar!

Para te ajudar nesse sentido, o SBA Residencial oferece muitas informações sobre o universo da terceira idade para você e sua família. Entre em contato conosco!

 

Baixe nosso e-book “Hora de decidir”

A qualidade de vida para quem está na terceira idade

O processo de envelhecimento apresenta-se de maneiras diferentes para cada um. Alguns não aceitam a chegada da idade e tendem a não conviver bem com o processo natural de desgaste do corpo e da mente. Mas há quem aceite e aprenda a lidar com o envelhecimento da melhor maneira possível, desafiando-se a cada momento, buscando aprender e alcançar o bem-estar e a qualidade de vida diariamente. 

 

Como a sociedade encara o envelhecimento 

 

Uma vez que a própria sociedade tende a reprimir e desvalorizar o ser humano conforme este envelhece, é fundamental que o indivíduo pare e analise como lida com o próprio envelhecimento e com o das pessoas que o cercam.  

 

Tornou-se tão comum considerar quem está na terceira idade como alguém incapaz e com memória fraca. Entretanto, esquecemos que são eles os indivíduos que carregam a maior bagagem e experiência de vida, sabedoria e ensinamentos! 

 

Quem está na terceira idade não precisa e nem deve ser destinado a uma vida de inatividade e dependência. É preciso criar alternativas e espaços voltados para práticas da terceira idade, como atividades físicaslazer e alimentação 

 

Sair e socializar é o melhor remédio 

 

Para manter seus moradores ativos, o SBA Residencial promove passeios em grupo em locais como o Pico do Jaraguá, Sala São Paulo e a Igreja da Gruta. Outra atividade bacana são os Chás Filosóficos para trocar ideias e experiências. Este é um evento que foca no exercício do livre pensamento e este evento está na grade de atividades do dia a dia dos moradores. 

 

Oferecer todo o suporte e apoio necessário é imprescindível, mas sem deixar de respeitar o espaço e a individualidade, incentivando a busca pela própria essência e personalidade. Principalmente quando se trata de questões estéticas; o importante é deixar claro a importância de aceitar o curso natural da vida e aproveitar a beleza mais madura, deixando de se importar com padrões inatingíveis nesta idade.  

 

 

O envelhecimento bem-sucedido 

 

Para falar sobre um envelhecimento bem-sucedido, podemos entender que é aquele em que a pessoa aceita a chegada da terceira idade e aprende a viver com ela da melhor maneira possível, buscando manter o controle sobre sua vida de acordo com suas escolhas pessoais. Quando o indivíduo tem autonomia sobre a própria vida e tomada de decisões, é possível manter a essência e a personalidade vivas, proporcionando a liberdade que cada um precisa durante essa etapa. 

 

Mesmo que uma pessoa precise de cuidados especiais, deve-se preservar o seu próprio espaço e estilo de vida, permitindo que a mesma detenha o controle da sua rotina, na medida do possível. Proporcionar melhorias e qualidade de vida para essas pessoas, oferecendo-lhes oportunidades de exercitarem mente e corpo, atividades de lazer e interação social são essenciais para ajudá-los a viver plenamente essa fase da vida. 

 

Existem alguns pontos que são extremamente importantes para proporcionar conforto e segurança durante o envelhecimento do ser humano, e que cabe à parcela jovem da sociedade garantir aos seus entes queridos. Alguns desses pontos são: 

 

  • Autonomia e independência; 
  • Segurança financeira; 
  • Companhia de familiares e amigos; 
  • Vida social e lazer; 
  • Prática de atividade física. 

 

O SBA Residencial e a qualidade de vida como prioridade 

 

O SBA Residencial tem como foco oferecer toda a estrutura e cuidados que o público da terceira idade precisa. Além de dispormos de atendimento médico 24 horas por dia, contando com especialistas de diversas áreas, oferecemos também um cardápio de alimentação saudável sob orientação de nutricionistas, espaços para prática de atividades físicas de acordo com a necessidade de cada morador, sob cuidados de profissionais extremamente capacitados, ambientes de leitura e lazer, programações culturais e atividades de interação entre nossos moradores. 

O SBA Residencial – Sociedade Beneficente Alemã, está localizado no bairro do Butantã em São Paulo, onde há mais de 150 anos vem trabalhando com atenção à saúde, carinho, conforto e segurança, fundamentais para viver plenamente essa etapa da vida.  

 

Baixe nosso e-book a hora de decidir