Categoria: Envelhecimento

Dia dos Avós no SBA Residencial

Gratidão, carinho e amor foram alguns dos sentimentos expressos nas mensagens escritas por netos e filhos de moradores para o café da tarde especial do Dia dos Avós. Os netos e filhos dos moradores foram convidados a escreverem uma mensagem para ser lida durante o evento em homenagem ao Dia dos Avós. O que era para ser uma simples entrega, se tornou um momento inesquecível, regado de muita emoção e nostalgia. Ao som do nosso Musicoterapeuta, Wilson Fabro, os moradores foram recepcionados no restaurante e um café da tarde especial foi servido pela equipe da SBA. Na abertura do evento o Gerente Geral, Sr. Thomas Polisaitis, deu as boas-vindas e parabenizou a todos os avós pelo seu dia. Depois desse momento, o Gerente de Hospitalidade, Alexandre de Souza, destacou a importância do trabalho com música (link e-book musicoterapia) que é realizado na SBA a cada 15 dias, aos domingos, apresentando e agradecendo ao musicoterapeuta Wilson. Ao final da abertura, a Terapeuta Ocupacional Melina leu uma poesia escrita pela nossa psicóloga, Daniela Bernardes, especialmente para homenagear aos moradores. (segue abaixo texto na íntegra).

O ponto alto do evento foi o momento de entrega e leitura das mensagens dos familiares pela equipe de Hospitalidade. Eram desenhos coloridos, cartas com fotografias, e-mails com poesias, e até vídeos preparados para a ação, e muitas mensagens que mostraram carinho, gratidão, admiração, saudades, e muito respeito. É unânime que o papel dos avós tem grande importância na vida das pessoas, pois eles representam uma referência familiar, uma fonte de histórias, relatos e aprendizados que influenciam nosso desenvolvimento social e intelectual. Além disso, os avós representam uma forma diferente de amor em relação aos pais. Para muitos, avós são fontes de doçura, de sabedoria, de lembranças, de conselhos, de conforto, de simplicidade e de Amor.

Parabéns vovôs e vovós pelo seu dia!

 

Rugas

 

E lá se vão os anos e com eles vem as rugas.

Aquelas que queremos negar a todo custo, mas que chegam mesmo assim.

Será que a vida passa e isso não terá fim?

Findam-se os dias, as horas e os minutos.

Pensamos no tempo, na esperança e no futuro.

Será que temos a chance de parar os segundos?

Que pergunta difícil saber os porquês, saber a hora de parar andar e crescer.

Só vocês sabem as respostas a nos dizer.

Têm nos olhos a chama de cair, levantar e crescer.

Tem na história a maturidade e nelas o poder.

As rugas são falas, palavras, momentos.

São elas que escondem a vida, o calor e o movimento.

Remetem a sorte, a força da sabedoria.

Que só aqueles que a percebem terão nas mãos alegria!

A vocês devemos a vida, a percepção e seu legado.

E por isso deixamos aqui nossa admiração por todo aprendizado!

Daniela Bernardes.

 

Confira as fotos do evento.

https://photos.app.goo.gl/S7fZvTsd1C3Dzz3X2

 

 

Coral Canto Encanto destaca histórias das músicas

O Coral Canto Encanto composto por cantores, pianista e maestrina, veio ao SBA Residencial celebrar uma tarde agradável de Sábado com os moradores. Além da generosidade de nos trazer a música, os integrantes interagiram ao final da apresentação, espalhando abraços, sorrisos e mensagens positivas.

O repertório contemplou MPB e músicas antigas, que antes de serem cantadas pelo grupo, eram explicadas pela Maestrina que contou as histórias e respondeu às perguntas dos moradores que se interessavam pelos relatos.

O morador Sr. Paulo, se interessou pela letra e história da canção Caju Cajuína de Caetano Veloso. Leia abaixo mais informações sobre a música.

Reiteramos nossos agradecimentos a Sra. Gudrun e ao Coral Canto Encanto por sua generosidade em celebrar conosco.

Letra de Caju Cajuína

Caetano Veloso

Existirmos: a que será que se destina?
Pois quando tu me deste a rosa pequenina
Vi que és um homem lindo e que se acaso a sina
Do menino infeliz não se nos ilumina
Tampouco turva-se a lágrima nordestina
Apenas a matéria vida era tão fina
E éramos olharmo-nos intacta retina
A cajuína cristalina em Teresina

 

Caetano conta a história de ‘Cajuína’ no Altas Horas e relembra Torquato

A história não é segredo, mas ainda são poucos os que sabem da verdadeira história da música Cajuína, composição de Caetano Veloso. E instigado pelo apresentador Serginho Groisman, o cantor acabou contando como surgiu a letra da composição, uma das mais lindas de Caetano.

A letra foi escrita após a morte do poeta piauiense Torquato Neto. Caetano conta que rodava o Brasil em turnê, e ao passar por Teresina, algum tempo depois que Torquato tirou a própria vida, recebeu a visita do pai do poeta piauiense, Dr. Heli da Rocha.

“Torquato era muito meu amigo e parceiro, letrista do Tropicalismo. Estava até com Chico Buarque em Salvador, fazendo um show que virou disco, no dia da morte de Torquarto. Ele também era muito amigo de Chico, ficaram muito próximos no período pré-Tropicalista. A gente ficou abalado, triste, mas eu não chorei no dia”, conta Caetano. Ele relata ainda, que anos depois da morte de Torquato, ao ver o pai de Torquato, desabou em choro. “Ele me levou para a casa dele, onde estava sozinho. Torquato era filho único e a mulher dele (Dona Heli), estava hospitalizada. A casa era cheia de fotografias de Torquato nas paredes. Ficamos os dois sozinhos, ele me consolando. Ele pegou na geladeira uma cajuína, botou em dois copos e não falamos nada. Ficamos os dois chorando. Ele foi no jardim, colheu uma rosa menina e me trouxe. E cada coisa que ele fazia eu chorava. Fui para outra cidade do Nordeste, e no hotel escrevi essa música”.

Confira as fotos do evento clicando na primeira imagem abaixo.

https://photos.app.goo.gl/fLIqHFToLIqIA7vs2

Passeios da Hospitalidade – Templo Zu Lai

A apenas 20 minutos de carro da sede da SBA, está o tranquilo Templo Budista Zu Lai, na cidade de Cotia, um dos destinos favoritos dos moradores que participam dos Passeios promovidos  pela equipe de Hospitalidade do SBA Residencial. O Templo é o maior santuário da religião oriental na América Latina e sua arquitetura lembra muito os clássicos palácios chineses, cercado por um jardim com esculturas em pedra sabão, fonte d´água e lindas arvores cerejeiras que compõem o paisagismo do local.

Logo na entrada, os visitantes se deparam com uma enorme estátua sorridente de Buda, que também aparece adornado no salão principal. Aos domingos, a partir das 10h, é possível acompanhar uma cerimônia com mantras (palavras sagradas) em chinês e o Templo atrai também os não-budistas que visitam para saborear pratos vegetarianos do restaurante, ou para conhecer o Museu de arte oriental, a cafeteria, a livraria ou realizar alguns dos cursos oferecidos como ikebana, tai chi chuan, chinês, culinária vegetariana e meditação.

No último dia 20 de julho, a Assistente Social da SBA, a Malu, acompanhou o grupo e relatou o quanto a visita foi especial para o morador Sr. Alberto. “Foi muito gratificante proporcionar essa alegria para o Seu Alberto, em especial, pois ele ficou encantado com a grandiosidade do Templo, e ele não acreditava que estava diante de algo tão majestoso, e essa vivência despertou nele um sentimento muito positivo, porque ele disse que momentos como este fazem a vida valer a pena”, destaca Malu emocionada.

A Assistente Social também destacou que todos prestaram muita atenção na visita guiada e fizeram os pedidos diante do altar. “Acompanhar o grupo e percebê-los maravilhados é muito satisfatório, e além disso tudo, incentivá-los a se voltarem para si, e para o lado espiritual, também é muito importante”, ressalta Malu.

Os passeios da Hospitalidade são realizados a cada 15 dias e mais informações podem ser obtidas pelo telefone: (11) 3724-9770/9771

https://photos.app.goo.gl/3rAJuLMqTqB6CKkF3

 

Voluntariado realiza atividades manuais

Confira as ações do Setor de Visitação do Departamento de Voluntariado do SBA Residencial.

Foram realizadas atividades de artesanato pela voluntária Silvana.

Veja as fotos! Tem origami, porta-retrato, vasos e muito mais!

Artesanato – Origami 19/06/2017 / Google Photos

 

 

VASOS

Artesanato – Depto Voluntariado Abril/Maio de 2017 / Google Photos

PORTA RETRATOS

Artesanato Voluntariado 23/05/2017 / Google Photos

A importância da terceira idade na família e na sociedade

Só quem viveu a experiência sabe o quão bom é crescer com a presença dos avós por perto. Criar esta ligação entre as crianças e quem está na terceira idade é algo que beneficia os dois lados da relação. Os mais experientes têm um papel muito importante na família e para toda a sociedade. Mas, muitas vezes, isso acaba ficando de lado.

Com o avanço da idade, muitas pessoas preferem se recolher em casa evitar o convívio com a família e vizinhos. No entanto, é muito importante que os mais próximos, sejam os amigos ou próprios familiares, ajudem a combater a solidão. Esta atitude pode ser feita de maneira simples e delicada. Um bom exemplo é convidando o avô ou a avó para ajudar nos cuidados com os netos.

Independente da idade, quando participamos de alguma atividade que promove o contato com outras pessoas, sentimos alegria, satisfação e ficamos estimulados a viver, cada vez mais, momentos felizes como os que passamos juntos aos outros. Consequente, a autoestima melhora, assim como o bem-estar e a vontade de nos mantermos ativos.

A relevância da terceira idade para as demais gerações

Se existe uma certeza é a de que a experiência e maturidade só aumentam com o passar do tempo. A terceira idade é a parcela da população que tem uma visão mais ampla da vida, devido a sua enorme bagagem, e que já presenciou diversos acontecimentos no mundo que transformaram a forma de viver das outras gerações.

Manter esta geração ativa na sociedade é garantir a transmissão do conhecimento para os mais jovens, é permitir que os ensinamentos sejam passados entre as gerações e, claro, garantir que a cultura não se perca.

No ambiente familiar isso ganha ainda mais importância, pois é com os avós que os netos aprendem sobre as histórias, as tradições e até mesmo as receitas da família. Sem falar, nos momentos de diversão que ficam gravados para sempre na memória dos dois.

Outro enorme benefício é capacidade da pessoa mais experiente transmitir conhecimentos profissionais para demais gerações. Dessa forma, ele faz um mentoring, ou seja, torna-se um mentor que apoiará o desenvolvimento profissional para os mais jovens.

O SBA Residencial promove essa técnica e convida os alunos do SBA Girassol Pro para que eles conheçam a história profissional dos moradores mais experientes do condomínioA troca entre as gerações faz bem muito bem! Ao transmitir seus conhecimentos e a história de sua carreira, o residente mantém viva a memória e compartilha valores, técnicas e conceitos importantes para quem deseja alcançar o sucesso na profissão que escolheu.

Os benefícios da participação dos avós na vida dos netos

“Avós são pais duas vezes” e “avós são pais com açúcar” são apenas algumas das expressões que deixam bem claro o quanto é grande o carinho e o afeto dos parentes mais velhos com os mais jovens da família. Quem conviveu com os avós na infância sabe a importância dos momentos vividos e o quanto é divertida esta troca entre os pequenos e os avós.

Muitos são os benefícios da participação dos avós na vida dos netos, de acordo com um estudo feito pelo Boston College, nos Estados Unidos, e publicado no site da Revista Crescer, os dois lados deste relacionamento são beneficiados. Para os avós, esta conexão permite o contato com uma geração mais nova, com mais abertura e a descoberta de novas ideias. Já para os netos, os idosos são fonte de conhecimento e sabedoria para toda a vida. Além disso, os pesquisadores também perceberam benefícios para a saúde mental. Dos dois lados, notou-se uma diminuição nos sentimentos de depressão.

Há outros benefícios que também podem ser destacados nesta relação:

  • Cuidar dos netos ajuda aos que estão na terceira idade a terem mais paciência em atividades do simples do cotidiano. O contato com as crianças também os deixam mais afetuosos.
  • Estimula o lado da comunicação emocional entre as duas partes.
  • Ajudam os pais a terem outras visões em relação ao comportamento dos pequenos. Afinal, a experiência dos avós é dobrada quando o assunto é o cuidado dos netos.
  • Os avós são menos críticos que os pais, por isso ajudam a reforçar os pontos positivos das crianças.
  • Os avós são apoios emocionais indispensáveis para os netos, o que pode ser muito importante em momentos de crise entre os pais, por exemplo.

A participação da terceira idade na vida das crianças só tem pontos positivos. Cuidar dos netos também garante aos avós mais vitalidade. Afinal, as crianças em alguns momentos exigem bastante fisicamente e isso é muito positivo para os idosos. Isso significa que a relação pode beneficiar a saúde dos mais velhos diretamente, tanto no aspecto físico quanto nas questões psicológicas.

Garantir a saúde dos mais velhos é muito importante. Porém, mantê-los ativos na sociedade, num ambiente dinâmico e totalmente integrado é fundamental.

Para o SBA Residencial manter o contato entre gerações é indispensável para combater a solidão. Por isso, mantém uma programação repleta de eventos que trazem seus familiares e jovens que buscam orientação profissional dos moradores. Confira mais artigos sobre estes encontros em nosso blog.

Conheça o SBA Residencial, um conceito de moradia ideal para as pessoas da terceira que querem ter o apoio necessário, mas, sem abrir mão da liberdade.

Baixe gratuitamente nosso E-book a hora de decidir!

 

 

Dificuldades enfrentadas pela terceira idade para encontrar uma moradia ideal

O envelhecimento da população brasileira é uma realidade. De acordo com estudos, estima-se que em 2020, o Brasil será o sexto país com no ranking mundial em quantidade de pessoas na terceira idade, com aproximadamente 30 milhões de indivíduos.

Se por um lado isso é um bom sinal, pois significa que as pessoas estão cada vez vivendo por mais tempo, por outro levanta questionamentos importantes em relação à qualidade de vida na terceira idade.

Uma das formas de proporcionar qualidade de vida e bem-estar para a terceira idade é a questão da moradia assistida. Um tema que deve ser levado em consideração, pois é importante que esta geração viva em um local para garantir uma moradia digna e com qualidade.

 

As dificuldades da terceira idade em relação a moradia

 

Cada fase da vida pede determinadas adaptações na forma de viver. Mas, um dos primeiros problemas enfrentados por quem está com a idade avançada em relação à moradia é a perda de autonomia que pode ocasionar dificuldades no dia a dia.

De acordo com estatística do IBGE de 2010, na região Sul do Brasil, 52% dos membros da terceira idade vivem sozinhos. Já na região Sudeste este número é de 50%.

No entanto, ainda hoje, familiares e amigos não veem com bons olhos esta opção de moradia assistida, talvez por falta de informação sobre o quão benéfico pode ser para ambos os envolvidos.

Mesmo existindo um certo desconforto em relação a uma possível mudança, é importante ponderar algumas questões como o fato de quem está na terceira idade não ter mais capacidade de levar uma vida independente.

Os dois pensamentos são equivocados e acabam por ser uma grande dificuldade para a população da terceira idade no que se refere a decisão de onde morar.

A não ser que a pessoa que está na terceira idade esteja passando por um problema grave de saúde, não há porque achar que ele não é capaz de levar uma vida normal. Mesmo quando há necessidade fazer pequenas adaptações para facilitar as tarefas do cotidiano.

Algo bastante comum é convidar – seja o pai, mãe, avó ou avô – para viver com os familiares. Assim como, muitos filhos voltam para casa com o intuito de ficarem mais próximos aos pais.

Esta atitude pode e tem muito valor, contanto que seja algo decidido por todos e que não haja aquele ar de “cuidado”. É fundamental que seja mantido o respeito a autonomia de quem está na terceira idade em relação ao tipo de moradia que ele deseja ter, pois isso afeta diretamente na qualidade de vida de cada indivíduo.

 

Casos de cuidados especiais

 

Algumas doenças e quadros clínicos crônicos fazem com que a terceira idade não possa ser vivida na sua plenitude. Isso significa que em alguns casos quem está na terceira idade necessita de cuidados especiais e que, talvez, não esteja tão apto a levar uma vida completamente independente.

 

Nesta fase existem muitas soluções que garantem uma moradia digna, porém sem abrir mão destes cuidados. Do atendimento e adaptações em casa aos residenciais com assistência completa, é possível encontrar soluções diversas e interessantes para o momento vivido. Mais uma vez, é importante ressaltar que isso não significa abandono ou solidão, mas sim, uma forma de viver a vida com total qualidade, independente das limitações físicas.

 

A importância do convívio social

 

Com a chegada da terceira idade é muito comum que as pessoas se sintam deslocadas ou distantes da realidade dos que estão à volta. Contudo, o convívio social é parte fundamental da qualidade de vida e do bem-estar dos seres humanos, independente da idade.

 

Morar sozinho é uma forma de se mostrar capaz de levar a vida normalmente, mas também exige um esforço para fazer contatos pessoais e convívios. A participação em grupos, cursos e eventos voltados para a terceira idade são apenas algumas das formas de driblar a sensação de solidão.

 

Outra maneira interessante é a de optar por viver em residenciais que garantem uma vida independente, porém sempre perto de pessoas que estão na mesma etapa da vida. Um ambiente como o SBA Residencial é um grande diferencial para aliar uma moradia digna com qualidade de vida.

Neste local, os moradores participam de ,festas com moda de viola onde dançam, socializam e se divertem. Para proporcionar atividades acadêmicas e culturais de modo adaptado, o residencial criou o Programa Maturar – “A faculdade para a terceira idade da SBA”.

Além disso, para atender as necessidades terapêuticas, conta com a visita dos “Patas Therapeutas”, animais que fazem parte da IAA (Interações Assistidas por Animais). O objetivo é trazer momentos felizes que o convívio com cães propicia.

Gostaria de saber mais sobre a vida num residencial com opções modernas de moradia? Então acesse e conheça mais sobre o SBA Residencial e tire todas as suas dúvidas.

 

Baixe aqui nosso E-book a hora de decidir!

Pet Terapia – como o contato com animais transforma o cotidiano dos idosos

Conviver com um animal de estimação nos torna tão felizes e ativos que ele pode contribuir, e muito, para a melhoria da nossa rotina diária, inclusive em relação à qualidade de vida na terceira idade. Afinal de contas, quem não gostaria de ter um companheiro leal, carinhoso e protetor ao seu lado durante a vida.

Pois saiba que a terapia com animais já é utilizada ao redor do mundo e no post de hoje você conhecerá mais sobre ela e quais os benefícios para a saúde física e mental dos idosos. Acompanhe.

 

Pet Terapia em idosos

A terapia com a utilização de animais já existe há algum tempo no Brasil. Nos anos 1950, a psiquiatra brasileira Nise da Silveira já relatava todos os benefícios da interação entre os pacientes esquizofrênicos e os gatos e cães adotados pela instituição em que trabalhava, servindo como um complemento ao tratamento oferecido.

Na prática, a chamada TAA (Terapia Assistida por Animais) é realizada por profissionais especializados e trata-se de um método que utiliza interações entre animais e humanos nas sessões, através de cuidados e brincadeiras, tanto para fins de lazer, descontração e até no auxílio em tratamentos de saúde.

De um modo geral, todos os idosos podem se beneficiar desse tipo de terapia, com algumas exceções, como alergia a pelo de animais, problemas respiratórios ou fobia de bichos ‒, mas nesse último caso, existe um tratamento específico utilizando os animais para trabalhar esse medo em idosos e trazer resultados satisfatórios.

 

O animal ideal para Pet Terapia

Os animais mais comuns que são utilizados em sessões de pet terapia são os cães e os cavalos, por apresentarem um comportamento mais dócil. Ainda assim, peixes, coelhos, aves, gatos e jabutis também podem ser utilizados.

Quanto aos cães, eles precisam apresentar algumas características, tais como:

  • Personalidade leal e nobre;
  • Atléticos, com força e energia para o trabalho;
  • Que saibam obedecer às ordens rapidamente;
  • Afetuosos;
  • Que não sejam extremamente independentes.

Nesse sentido, algumas raças se destacam, como Collie, Retriever e algumas variedades de cães pastores. Isso porque eles conseguem se adaptar a uma vida caseira e, ao mesmo tempo, serem ativos e dispostos. Todos os animais passam por um treinamento específico antes do convívio com os idosos.

 

Benefícios da terapia com animais na qualidade de vida na terceira idade

 

Conheça a seguir as principais vantagens da Pet Terapia em idosos:

 

Benefícios sociais

  • Motivação.
  • Segurança.
  • Socialização.
  • Alívio do tédio.
  • Convivência.
  • Comunicação.
  • Sentimento de utilidade.

Benefícios físicos

  • Aumento da mobilidade causado pelos exercícios e estímulos variados.
  • Bem-estar generalizado.
  • Melhoria das funções físicas e da fala.
  • Reduz o estado de dor.

Benefícios no tratamento de doenças

  • Estudos indicam que a Pet Terapia diminui os impactos do Mal de Alzheimer, por conta do alívio do stress que a interação entre o idoso e o animal pode causar.
  • Diminuição das dores, do desconforto e do desgaste emocional em pacientes em tratamento de câncer.
  • Pesquisas indicam que a Pet Terapia ajuda na redução das taxas de colesterol e triglicérides, diminuindo, dessa forma, os riscos de doenças cardíacas.
  • Melhora o quadro de depressão em idosos.
  • Auxilia no tratamento de paralisias, como na reabilitação de idosos vítimas de derrames, acidentes ou portadores de paralisia cerebral. A interação com os animais pode auxiliar no tratamento fisioterápico, tanto na parte motora quanto emocional.

Benefícios mentais e emocionais

  • Estimula a memória por causa dos exercícios e práticas de cuidado, alimentação e higiene dos animais.
  • Sentimento de amor incondicional, alegria e espontaneidade.
  • Reduz o sentimento de solidão e ansiedade.
  • Causa relaxamento e troca de afeto.
  • Estabelece vínculo e aumento de confiança com o próprio ser humano, através da convivência com os participantes da terapia.

 

Mesmo que os idosos que fazem parte da sua família estejam saudáveis, considerem juntos a realização da terapia com animais por todos os benefícios citados. Afinal, a vida na terceira idade deve ser igualmente feliz e realizada, e a convivência com os animais pode ser essencial para essa trajetória.

Clique aqui e baixe o nosso E-book hora de dicidir!

 

 

razões para ir para um refúgio na velhice

Refúgio para a velhice: razões para escolher onde morar nesta fase da vida

Chega um tempo em que precisamos tomar decisões importantes em relação ao futuro da nossa família, seja mantendo ou aumentando a qualidade de vida dos familiares, principalmente em relação à vida na terceira idade.

O Estatuto do Idoso é bastante claro em relação a isso, mais precisamente em seu artigo 3º: “É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária”.

Sendo assim, a moradia mais adequada para a terceira idade deve levar em conta alguns fatores. Neste post, listamos alguns deles:

 

  1. Convivência com pessoas da mesma idade

É claro que os idosos também precisam conviver com pessoas de diferentes idades, mas o fato é que estar próximo de pessoas da mesma geração também é muito importante, pois permite a troca de experiências e a construção de laços de amizade e apoio entre eles.

 

  1. Convívio familiar

Mesmo que o idoso decida viver sozinho em casa ou em um lugar específico de acolhimento de pessoas da terceira idade, o fato é que o convívio familiar continua sendo muito importante para o envelhecimento saudável.

Afinal de contas, mesmo quando uma nova família se forma, com a presença de filhos, netos e bisnetos, o idoso nunca deixa de fazer parte dela ‒ e estar presente durante essa fase da chegada de novos integrantes na família faz com que o idoso não tenha o sentimento de abandono.

 

  1. Assistência

Infelizmente, vez ou outra deparamo-nos com notícias terríveis na mídia envolvendo casos de maus tratos e abandono de idosos.

Esse é um alerta para que a família, em comum acordo com o idoso ‒ caso ele opte por morar em outro ambiente ‒ escolha um lugar seguro, de boa reputação e que preste a devida assistência a ele, seja médica, psicológica, nutricional e o que mais for necessário.

 

  1. Autossuficiência – auto -suficiência

A menos que o idoso não tenha condições de saúde para tal, ele precisa residir em um ambiente que valorize e incentive a sua autonomia, ou seja, a capacidade de tomar decisões e de gerenciar-se. Com isso, ele terá maior independência para realizar suas atividades diárias, sem depender tanto da ajuda de terceiros.

Portanto, pesquisem juntos um local que tenha essa característica, seja na casa de parentes, morando sozinho ou residindo em condomínios para a terceira idade

 

  1. Atividades de lazer

Residir em um local que ofereça ou que tenha atividades de lazer nas proximidades é uma característica que deve ser levada em consideração ao escolher um condomínio residencial para se viver na terceira idade.

Lugares verdes que propiciam a realização de atividades físicas ao ar livre, como caminhada, corrida e yoga, por exemplo, são excelentes não só para a saúde física, mas também para a saúde mental, diminuindo o risco do aparecimento ou do agravamento de doenças.

Considere, ainda, lugares que contam com outras atividades de lazer e estímulo à criatividade e ao raciocínio, como os que oferecem cursos e festividades em geral.

 

  1. Acesso ao conhecimento

Escolher um local que não proporcione um sentimento de isolamento em relação ao mundo também é importante para a qualidade de vida na terceira idade.

O ideal é que ele continue tendo acesso a livros, revistas, televisão, rádio, internet, ou seja, ferramentas que ele mais tenha afinidade e interesse para continuar informado sobre o mundo em que vive. Também considere o acesso à arte, à música e à cultura.

Continuar informado sobre o mundo o ajudará em muitos sentidos, inclusive, em suas relações sociais e pessoais.

 

  1. Segurança

Não adianta levar em consideração todos os fatores acima citados se o condomínio onde o idoso for residir não oferecer segurança, tanto interna quanto externa. Por isso, é importante escolher um lugar tranquilo, com boa vizinhança e assegurar que a própria moradia também ofereça segurança e acessibilidade ao idoso.

Na terceira idade deve-se manter os padrões de qualidade de vida que todos nós precisamos. Por isso, leve em consideração todos esses fatores e avalie bem se o idoso terá um envelhecimento feliz convivendo com sua família e, acima de tudo, com a presença e a convivência das pessoas queridas.

 

Clique aqui e baixe nosso E-book Hora de decidir idosos e qualidade de vida!

cta_e-book_hora_de_decidir_sba_residencial_baixe_aqui_sem_baixe_aqui

Mês das Mães tem início com homenagens ao som de Beatles

O mês das mães começou de forma muito especial para os moradores do SBA Residencial. Uma surpresa foi preparada com muito carinho pela equipe de Hospitalidade, que decorou o auditório com discos, posters e muitos corações. As canções mais famosas da banda Beatles foram tocadas pelo filho da moradora Sra. Silvia, o carismático Carlos, que interpretou Paul McCartney, e por um amigo que representou “John Lennon”. Ao final do evento todas as moradoras tiraram fotos em um cenário diferente e degustaram de deliciosos quitutes.

Confira o álbum de fotos clicando na foto abaixo!

Dia das Mães 2017 – Especial Beatles / Google Photos