Categoria: Envelhecimento

Dia da Polônia é celebrado na SBA

Mais uma celebração de nacionalidade compôs o repertório de eventos comemorativos do SBA Residencial. Seguindo a tradição, o gerente de hospitalidade, Alexandre Souza, prestou uma homenagem aos moradores poloneses Bárbara Marja Sieradzka, Christine Peters e Dawid Cukier.

O dia da Polônia celebra a Constituição Polonesa de 3 de maio de 1791, considerada a primeira moderna constituição nacional codificada da Europa, assim como a segunda mais antiga no mundo. Alexandre falou um pouco sobre a história da Polônia e destacou algumas curiosidades.

Foram exibidos dois vídeos da série de reportagens da TV RBS, afiliada rede globo do Rio Grande do Sul, intitulados “Gaúchos na Polônia”, no qual uma equipe de reportagem acompanha a turnê de um grupo de dança no país europeu, mostrando um pouco da cultura polonesa, suas belezas, a história, a culinária e a percepção dos dançarinos gaúchos. O evento seguiu com a execução do hino nacional e a entrega de flores para os moradores homenageados. Parabéns, Polônia!!

Confira os vídeos aqui neste link: Gaúchos na Polônia

As fotos do evento podem ser conferidas clicando na primeira foto abaixo.

Dia da Polônia / Google Photos

Diálogos do Chá Filosófico

E lá se foram 14 edições do projeto que é um sucesso na SBA: o Chá Filosófico.

Os temas abordados nas últimas duas edições foram Frustração e Angústia.

O projeto aborda sempre questões reflexivas sobre a vida, o sentido do envelhecimento, além de questões comportamentais e sentimentais. Conduzido pela psicóloga Daniela Bernardes, a roda de conversa conta com moradores fiéis, que não perdem uma edição. Mas também, há novos integrantes do grupo que são acolhidos quando chegam, como é o caso do Sr. Antonio Paim, que participou pela primeira vez na edição de março e comentou o quanto o meio acadêmico é composto por frustrações. Sr. Paim é filósofo, historiador, foi professor universitário e já escreveu diversos livros e artigos.

Durante o chá, são exibidos alguns vídeos e são lidos poemas e textos interessantes, pertinentes aos temas escolhidos. “O intuito do projeto é promover a ressignificação de emoções e das experiências de vida”, destaca a psicóloga.

Confira algumas imagens clicando na foto abaixo.

Chá Filosófico – Frustração 27/03/17 / Google Photos

SBA Residencial na mídia – Programa Mulheres

O tema “Prevenção de Quedas na Terceira Idade” foi pauta em destaque no Programa Mulheres da TV Gazeta, onde a médica geriatra e coordenadora de saúde do SBA Residencial, Dra. Daniela Gomez, foi entrevistada por Cátia, apresentadora do programa.

Durante a entrevista, Dra. Daniela respondeu perguntas ao vivo e demonstrou através de objetos, os cuidados especiais que é preciso ter com os idosos dentro de casa, como adaptação de cômodos e utilização de sapatos anti-derrapantes.

Veja nas imagens abaixo como foi o programa e clique no link para assistí-lo 

https://www.tvgazeta.com.br/videos/saude-quedas-na-terceira-idade/

 

Entrevista Programa Mulheres – TV Gazeta 3-4-2017 / Google Photos

 

 

Festa de Moradores Aniversariantes

Que a Festa de aniversariantes já é tradição na SBA, nós já sabemos, mas é sempre possível melhorar e inovar eventos tão importantes para os nossos moradores. Pensando nisso, as voluntárias do Setor de Festividades, buscaram flores frescas para a decoração, bexigas coloridas para dar um clima, toalhas de mesa alegres para encantar e bolos ainda mais saborosos para adoçar os paladares dos aniversariantes. Tudo preparado com o carinho e o cuidado que eles merecem! Parabéns para os moradores!!

Confiram as fotos do evento clicando abaixo.

Festas dos Aniversariantes Jan/Fev/Mar/Abr / Google Photos

 

 

Precisamos falar sobre o envelhecimento, encare o envelhecimento como a melhor fase de sua vida

Precisamos falar sobre o envelhecimento, encare o envelhecimento como a melhor fase de sua vida

De acordo com o relatório Global Age Watch Index 2015 (o próximo será realizado em 2018), organizado pela Help Age International, o Brasil está no 56º lugar no ranking de melhores lugares para os idosos viverem. Em nosso País, as pessoas com idade acima de 60 anos têm, em média, 21 anos a mais pela frente, o que está compatível com a média mundial. A pesquisa leva em conta o ambiente onde os idosos vivem, sua educação, a renda e a saúde.

Entretanto, envelhecer é algo para o que poucos estão preparados ou se preocupam. As cidades, o governo e a família, não se preparam para oferecer suporte às pessoas que chegam a esta fase tão especial de suas vidas. Esta deveria ser uma fase para viver intensamente e com tranquilidade, devido ao fato de ter passado por tantas experiências.

O posicionamento brasileiro na pesquisa comprova esta incapacidade, já que brasileiros de qualquer idade são afetados por problemas, como falta de segurança, dificuldades de acesso ao transporte coletivo, insuficiência de atendimento na rede pública de saúde, entre outros.

Planejar a velhice depende de um misto de atitudes ao longo da vida, e uma série de preocupações que proporcionarão um envelhecimento com mais tranquilidade. Para não sofrer com momentos desagradáveis, o foco deve ser a prevenção de problemas diversos que afetam aspectos financeiros, familiares e sociais, entre outros.

 

Qualidade de vida

O valor como cidadão parece decair com os anos. Muitos idosos enfrentam problemas como a falta de uma ocupação saudável que ajude a mantê-los ativos, atividades de acordo com suas necessidades físicas, abandono de familiares e falta de convívio social.

Com uma programação apropriada, torna-se mais simples remediar as limitações físicas, cognitivas e intelectuais que surgem neste período. Os cuidados com pessoas idosas são especiais, pois muitas doenças que os acometem são crônicas. Para isso, a prevenção e detecção precoce das doenças evita muito sofrimento.

O idoso precisa ter seu espaço na sociedade, suas opiniões respeitadas e diversas oportunidades para continuar dando razão a sua vida. As pessoas precisam pensar na velhice e se organizar para viver com a tranquilidade que merecem, afastando os riscos de doenças de todos os tipos, como a depressão e o Alzheimer.

Há certo preconceito contra doenças mentais e muitos acham normal o idoso apresentar um quadro desses, o que não é verdade! A depressão é uma doença mental que também pode acometer os mais velhos. Os sintomas são pensamentos “ruins”, sentimento de inutilidade e falta de esperança em relação ao futuro. Esta doença tem muitas causas, como fatores biológicos e sociais.

Outros problemas podem surgir com o avanço da idade, como o Alzheimer, doença neuro-degenerativa que compromete a memória e outras funções mentais. Suas causas ainda são desconhecidas e não há cura, mas existe tratamento para atenuar algumas consequências. Para lidar com males como esses, nada melhor do que um local tranquilo para passar seus dias com acesso fácil a atendimento médico.

 

Investimento no futuro

A preparação para a velhice é mais uma necessidade real, já que houve um aumento significativo na expectativa de vida causado pelos avanços médicos e tecnológicos. O convívio social é um fator muito importante, pois ter com quem dividir alegrias e tristezas é uma vitória! Manter velhas amizades e fazer novas, é sempre bom para manter o coração e o cérebro ativos.

Para fugir dos asilos, uma opção é mudar para um condomínio residencial que ofereça infraestrutura e que incentive diversas atividades e interação entre os condôminos desta faixa etária. Em São Paulo, no bairro do Butantã, existe um local dedicado às pessoas desta faixa etária, mas com uma abordagem diferente.

Com o intuito de proporcionar maior autonomia e promover o bem-estar, a SBA (Sociedade Beneficente Alemã) criou o SBA Residencial. Neste condomínio, os idosos recebem atendimento médico quando necessário, e participam de eventos sociais e culturais para se sentirem incluídos e fazer novas amizades. O local, que ocupa 27 mil m², também conta com salão de beleza, restaurante, auditório, cafeteria, lago e trilhas que incentivam a caminhada e a prática de exercícios.

Gostaria de saber mais informações sobre como viver bem sua velhice ou quer achar um local bacana para alguém que você ama viver com alegria sua melhor fase? Então clique baixe nosso e-book A Hora de Decidir!

cta_e-book_hora_de_decidir_sba_residencial_baixe_aqui_sem_baixe_aqui

Já pensou em morar com seus amigos quando estiverem em uma idade avançada? Envelheça junto com seus amigos

Já pensou em morar com seus amigos quando estiverem em uma idade avançada?

Na infância, uma das maiores alegrias era aproveitar o tempo com os amigos, com muitas brincadeiras e diversão. A vontade de uma criança é de nunca ter que desgrudar da turma de amigos, em nenhum momento. Com o passar dos anos, muitos mudam de escola, bairro ou cidade e naturalmente, os acontecimentos da vida vão afastando uns dos outros e diminuindo o convívio.

Durante os momentos corridos da vida adulta, quando a rotina de trabalho consome quase o tempo todo, e a semana parece não ter dias suficientes, muitos acabam ficando longos períodos sem encontrar os melhores amigos. Depois da aposentadoria, com a chegada da terceira idade, é que se percebe o quanto é fundamental ter as pessoas queridas por perto.

Amizade é sinônimo de bons momentos, risadas, histórias inesquecíveis e dias de alegria, independentemente da fase da vida em que você está. Você já parou para pensar na possibilidade de morar junto e envelhecer com os seus amigos? Pois é, muitas pessoas têm optado por viver em comunidade e eliminar de vez a ideia de se sentir sozinho.

Se interessou pela ideia? Descubra agora as vantagens de morar com os seus amigos na terceira idade.

Qualidade de vida

A solidão é um dos sentimentos mais relacionados à terceira idade. São muitos os motivos que podem fazer com que os idosos se sintam sozinhos nas suas casas e isso pode trazer graves consequências.

Morar com os amigos é uma solução excelente para aqueles que não querem viver só, mas, que também não querem abrir mão da independência. Viver em comunidade estimula a realização de novas atividades, experimentar novas ideias e, claro, garante momentos de muita diversão. Afinal, não há porque não aproveitar esta fase da vida.

Conheça novas pessoas

Esqueça aquela ideia de “estou velho para isso”. Pois, a verdade é que é sempre importante conhecer novas pessoas. Ao morar com os amigos, é natural que a casa tenha sempre movimento com as visitas e atividades de cada um. Naturalmente, você vai conhecendo os amigos dos amigos e ampliando sua rede sem sequer perceber.

Apesar de ser uma questão quase óbvia, fazer novos amigos melhora o humor, ajuda a criar novas histórias e espanta a tão temida solidão.

Novas experiências

Por mais que você seja amigo de uma pessoa há anos, cada um de nós tem hábitos, gostos e estilos diferentes. Quando passamos a morar com alguém, descobrimos mais sobre a pessoa e somos apresentados a novidades interessantes.

Há quanto tempo você não experimenta um prato que nunca havia comido? Descobre um cantor fantástico? Conhece um diretor de filmes surpreendente? Morar com os amigos na terceira idade é uma das melhores maneiras de viver novas experiências.

Repúblicas para idosos

Para muitas pessoas o conceito de república está totalmente relacionado à juventude. Afinal, esta forma de viver é algo muito comum quando estamos nos últimos anos da escola ou no inesquecível período de faculdade.

Quem já viveu em república, provavelmente guarda boas lembranças e memórias deste período tão especial da vida. No entanto, na época a imaturidade podia ser um ponto negativo da experiência. Porém, na terceira idade isso já não é assim. A maturidade só tem a beneficiar a experiência de vida em comunidade.  Além disso, não é preciso seguir o modelo tradicional para viver junto com os amigos. Uma sugestão interessante é optarem por um mesmo residencial, com toda infraestrutura necessária e todo um programa de atividades que vai deixar a vida ainda mais interessante.

Viver em comunidade

A princípio a ideia de viver com os amigos pode não parecer algo positivo na terceira idade. Nesta altura da vida é normal que já tenhamos o nosso espaço, nossos hábitos e até mesmo aquelas pequenas ‘manias’. No entanto, estar cercado de pessoas queridas ajuda a evitar sentimentos como a solidão, problemas como a depressão, além de garantir mais segurança.  Estar rodeado de amigos significa se sentir sempre protegido.

Quer saber mais como viver melhor a terceira idade? Baixe agora o nosso e-book “Hora de Decidir” e tire todas as usas dúvidas e veja como é possível ter qualidade de vida na melhor idade.

Baixe agora o E-book

O que o futuro guarda para as diferentes gerações

O que o futuro guarda para as diferentes gerações

A forma como vivemos é influenciada por fatores como valores, finanças, idade, cultura, profissão, entre outros. O estilo de vida tem mudado nos últimos tempos, e o que achávamos ser comportamento de determinadas faixas etárias, hoje tem se mostrado divergente. Os mais jovens estão mais tradicionais, e as pessoas mais experientes estão se integrando mais com novidades tecnológicas.

Entretanto, algo não muda: ninguém pensa muito na velhice. Qual futuro aguarda estas gerações tão distintas? Primeiramente, vamos conhecer um pouco sobre cada uma delas:

  • Silenciosa, também conhecida como Veteranos ou Tradicionais – formada por pessoas que nasceram entre 1925 e 1945 e viveram na época da Segunda Guerra Mundial. Por terem visto grandes crises econômicas, apresentam uma postura mais rígida e aceitam regras. Valorizam, principalmente, a família, o trabalho e os bons costumes. Muitos já se encontram aposentados e preferem uma vida estável e tranquila.
  • Baby Boomers – o termo pode ser traduzido livremente como “explosão de bebês”, já que houve um aumento demográfico assim que os soldados voltaram para suas casas após a guerra. Essa geração nasceu após o fim da Segunda Guerra Mundial e atualmente seus membros estão com mais de 50 anos, e gostam de emprego fixo e estabilidade. Este grupo tem pensado mais em seu futuro, optando por moradias alternativas, onde possam viver com tranquilidade e conforto, buscando fugir da solidão ou receber cuidados especiais.
  • Geração X – Compreende os nascidos entre 1961 e 1979. Essa geração tem mais preparo acadêmico e experiências internacionais. Tem como principais características a busca por seus direitos, o consumismo e a ruptura com as gerações anteriores. As pessoas desta geração viveram eventos, como a Guerra Fria, a queda do muro de Berlim, aparecimento da AIDS e a popularização dos computadores pessoais.
  • Y ou geração Internet – é composta por quem nasceu entre 1980 e 2000 e está sempre conectado, já que cresceram em meio à era da informação e dos avanços tecnológicos. São individualistas, dinâmicos, gostam de desafios, empregam mais energia em suas tarefas e pensam mais em investir na própria qualificação.

Estilo de vida

O lugar ideal para viver já é uma preocupação dos mais jovens, conforme pesquisa realizada pela consultoria Nielsen, em que mais da metade das gerações Z e Y (52% e 54%, respectivamente) preferem morar em uma cidade grande. Entretanto, nem todos querem se afastar dos bairros residenciais, para morar em ambientes mais urbanos e acham que os bairros residenciais são o melhor lugar para se viver. Já os Veteranos preferem uma vida rural.

O estudo aponta ainda, que as gerações X e Y almejam comprar casa (21% e 22%, respectivamente), casar e ter filhos (11% e 13%, respectivamente). Cerca de metade dos mais jovens economiza dinheiro mensalmente, mas não sentem segurança sobre seu futuro financeiro. Os Veteranos, que já passaram por estas experiências, preferem focar na saúde (71%), passar mais tempo com suas famílias (50%) e viajar (36%).

Não fuja do inevitável: pense no amanhã

Mesmo que agora a velhice pareça tão distante, as gerações mais novas devem pensar nesta fase. A vida passa muito rápido, e os anos são consumidos por tantos acontecimentos que, sem perceber, as décadas passam e mudamos bastante. Os interesses e as necessidades se transformam, e nós começamos a nos despedir de entes queridos e amigos.

A doença pode chegar, ou algumas limitações físicas se instalam no corpo. Nesse momento devemos escolher um local para viver da melhor maneira. Uma opção é morar em um condomínio próprio para idosos, como o SBA Residencial, que promove eventos sociais e culturais que espantam a tristeza e proporcionam integração social.

 

Gostaria de saber mais informações sobre como viver bem sua velhice ou quer achar um local bacana para alguém que como você ama viver com alegria sua melhor fase? Baixe Agora nosso e-book, e tenha mais informações!

cta_e-book_hora_de_decidir_sba_residencial_baixe_aqui_sem_baixe_aqui

Crianças na SBA

É o terceiro ano que o Colégio Gimbernau visita os moradores do SBA Residencial com o objetivo de promover a interação entre crianças e idosos. Essa ação já se transformou em um projeto intitulado “Entre Gerações” que busca contribuir para que o aluno aprenda a ser mais solidário e cidadão, através desta troca tão rica com os mais velhos, como explica Simone, a diretora do colégio.

No dia 10 de março, os 25 alunos do ensino fundamental, com idades entre 8 e 9 anos, cantaram e interpretaram algumas canções acompanhados da professora Camila. Após essa introdução, cada aluno pegou seu kit para produzir ikebanas com os moradores. Eles explicaram o significado de cada item que compõe o arranjo, ao mesmo tempo que construíram juntos o resultado final.

“As ikebanas são flores vivas, de diferentes famílias de plantas, que servem para decorar, e também simbolizam a terra e o céu. Ah, e precisa colocar água para elas crescerem!”, conta Marco Antonio, de 8 anos. “Eu entreguei o arranjo para um morador que é escritor! Ele falou para mim que escreveu o livro Deuses da Biologia. Muito legal!”, destaca com encantamento, o aluno Lucas Benigni, de 8 anos.

Já a aluna Rafaela, se emocionou muito ao conversar com a moradora Sra. Diva. “Ela me contou que cuidou de 4 netos e que fazia bolo!”.

Para a moradora Sra. Yole, o momento de hoje foi muito especial: “Onde tem criança, tudo é perfeito, pleno. Eles preenchem o ambiente e com sabedoria pois são muito espertos! Onde há criança, há esperança”, conclui a moradora com brilho nos olhos.

Os alunos ainda visitaram os idosos mais debilitados que não puderam se locomover até o auditório.

Foi uma tarde muito agradável e cheia de emoção.

Confira as imagens deste “Encontro de Gerações”!

 

Encontro de Gerações / Google Photos
Escolha o lugar ideal para morar quando ficar idoso

Escolha o lugar ideal para morar quando ficar idoso

Com as atuais mudanças nas regras de aposentadoria, muitas pessoas começaram a pensar como será a vida quando ficarem idosas. A principal questão sobre o assunto, gira em torno de quanto tempo terá que se trabalhar para receber os benefícios do INSS , e se a pessoa terá condições de exercer uma profissão até esse momento chegar.

Isso tem motivado muitos a pensarem na vida na terceira idade. Entretanto existem diversos outros pontos que precisam ser analisados. O principal deles é onde morar quando alcançar uma idade mais avançada.

Muitos sonham em pegar a aposentadoria e mudar para uma cidade tranquila ou perto do mar para aproveitar essa fase da vida. Mas a dúvida que fica é: será que terei condições de morar sozinho ou com outro idoso?

Com a perspectiva de vida crescendo cada dia mais, é bem mais provável que as atuais e futuras gerações, comecem a desenvolver alguns problemas de saúde e não consigam se cuidar sozinhas. Pode ser que nos primeiros anos após parar de trabalhar, esteja tudo indo bem, mas o que acontecerá quando começarem os esquecimentos e a falta de controle sobre o próprio corpo?

Morar sozinho

Morar sozinho pode ser uma opção, mas para realizar as atividades diárias como limpar a casa e cozinhar, será preciso ter uma boa saúde. O idoso precisa pensar em toda a infraestrutura de apoio que necessitará para seguir com a sua rotina.

Mesmo que opte por morar com a esposa ou marido, ainda assim, as tarefas parecem ir ficando mais difíceis a cada dia. Mesmo com essas implicações, muita gente ainda pretende morar sozinho para garantir que terá mais liberdade.

Ficar na casa dos filhos

Quem tem ou pretende ter filhos, quando ficar idoso terá a possibilidade de ir morar com eles, entretanto, essa pode não ser a melhor opção. O que observamos é que as gerações têm cada vez menos tempo para dedicar-se à família.

Isso acontece porque hoje, não são apenas os homens que trabalham fora, mas também as mulheres, e assim sobra pouco tempo. Enquanto a geração “Baby Boomers” tinha um grande apego com a família, isso foi se perdendo com as gerações X e Y. Esses últimos são desapegados de relações e não fazem a mesma coisa por muito tempo, como cuidar dos pais.

Para quem faz parte dessas gerações, morar com os filhos não é uma opção, pois se buscou a independência e possivelmente os seus descendentes farão o mesmo e serão ainda mais despreocupados com a família. Sem falar na perda de privacidade de ambos os lados.

Residência para idosos

Quando se fala em residência para idosos automaticamente é feita a associação com asilos, o que causa repulsa na maioria das pessoas. Os asilos são associados com a imagem de que os idosos não recebem atenção e ficam em péssimas condições, abrigados em uma casa porque a família não quis mais cuidar deles. A verdade é que essa imagem está distorcida e é preciso quebrar esse paradigma cultural que existe na sociedade brasileira de que moradia para idosos é sinônimo de abandono e exclusão. Pelo contrário, as instituições hoje tratam muito bem as pessoas idosas, oferecendo serviços assistenciais completos.

Ainda assim, a maioria das pessoas não querem perder a sua liberdade indo para casas de repouso, e isso não precisa acontecer. Hoje, existem residências para idosos que oferecem todo o conforto e privacidade que se precisa e ainda contam com um suporte médico.

Essa tem se mostrado uma alternativa muito boa para quem já está na terceira idade e provavelmente vai continuar agradando as futuras gerações. Nas residências para idosos é possível ter o seu quarto, casa ou apartamento individual e total liberdade. Esses locais inclusive já vêm sendo chamados de “repúblicas”, fazendo uma associação com as moradias universitárias por conta da interação humana.

Nesses espaços, para quem já está na velhice, permite ter contato com outras pessoas de sua geração que moram no mesmo local, permitindo o convívio e evitando a solidão, comum da idade avançada. As residências para idosos costumam promover atividades para manter as pessoas ocupadas e entretidas e possuem infraestrutura completa para acompanhar e tratar diversas enfermidades.

A residência para idosos tem se mostrado uma boa opção para quem já está planejando o futuro após a aposentadoria, por garantir liberdade e todos os cuidados e atenção que se precisa nessa fase da vida. Quem ainda não pensou sobre o assunto deve começar a refletir antes que a velhice chegue.

Quer saber um pouco mais sobre como funciona a residência para idosos? Então conheça o SBA Residencial.

Criatividade nos Trabalhos Manuais

A Terapia Ocupacional realiza um trabalho muito importante com os idosos, pois estimula os moradores a terem mais envolvimento, tanto uns com os outros, quanto com as atividades propostas pela terapeuta ocupacional, Melina. “No momento da atividade, os moradores aproveitam para contar histórias, ao mesmo tempo que ocupam sua mente, o que faz com que se sintam muito bem”, destaca a terapeuta.

A atividade de Trabalhos Manuais integra a Agenda Fixa do Morador do SBA Residencial para idosos, e busca estimular a interação social, além de promover a concentração e a criatividade.

Nos últimos meses, foram realizadas oficinas de criação de mandalas com linhas coloridas, cachepôs de mosaicos, calendários com mensagens positivas, além de máscaras carnavalescas que fizeram sucesso no baile de carnaval. O grupo de Trabalhos Manuais é realizado toda quinta feira às 15:00, e é sucesso entre os moradores!

Veja algumas fotos das ações realizadas.

Terapia Ocupacional – Fevereiro 2017 / Google Photos