A nova terceira idade e os desafios contemporâneos

De acordo com um levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),  com dados do período entre 1992 e 2012, apontou que o número de pessoas na terceira idade que vivem sozinhas vem aumentando ao longo dos últimos anos.

No início da pesquisa havia cerca de 1,1 milhão de pessoas com mais de 60 anos vivendo só, já no último levantamento esse número havia triplicado.

Essa mudança ocorreu por conta de diferente fatores, um deles está relacionado a independência. Mesmo com uma idade mais avançada, as pessoas continuam capazes de exercer as suas atividades e não querem ficar dependendo dos outros.

Outro fator que tem contribuído para o crescimento desse índice está relacionado a morte do companheiro. Muitos preferem continuar a ter o próprio canto e garantir a sua independência do que ir para a casa dos filhos.

No início a adaptação pode ser um pouco difícil, afinal se perdeu um companheiro de anos, mas com o tempo a situação muda. Alguns que desejam se manter independentes, porém, não querem ficar tão sozinhos acabam indo para residenciais voltados para terceira idade como o SBA Residencial.

O estilo de vida da nova geração da terceira idade

Essa nova geração da terceira idade está muito bem de saúde, pois se cuida e busca se manter ativa e feliz. Não é raro encontrá-las praticando atividades físicas regulares e de diferentes tipos. Existem os que preferem as de menor intensidade como a caminhada ou dança, isso porque o corpo já não possui a mesma resistência física.

Entretanto, algumas pessoas mais velhas que sempre praticaram exercícios acabam indo além: fazem musculação, lutam, entre outros exercícios que muitas vezes os jovens não dão conta. O tipo de atividade a ser realizada vai depender das condições de saúde e preferências individuais.

Outro ponto que tem chamado a atenção é que essa nova geração não gosta de ficar parada. Sentar em frente à televisão para assistir algum filme ou programa, não é mais a atividade preferida. Isso até acontece, porém, com uma intensidade baixa.  

Eles preferem interagir e realizar atividades em grupo, demonstrando que ainda são capazes e fazendo novas amizades. Apresentações musicais e teatrais, passeios e muitos outros estão na lista de preferências. No SBA Residencial existe um calendário de atividades elaborado para atender a esses desejos. Isso permite que sempre se tenha novidades e não se caia na rotina.

A preocupação com a saúde também é grande e as consultas médicas acabam ocorrendo com maior regularidade. Alinhado a isso existe a preocupação com a alimentação. Esses cuidados garantem que o corpo e a mente se mantenham saudáveis por muito mais tempo.

Os desafios da vida moderna

Quando se fala em terceira idade, logo se imagina uma pessoa acamada ou doente. O grande desafio tem sido provar para a sociedade e principalmente para os familiares que essa imagem não é real.

Por conta disso, quando a pessoa informa que vai morar sozinho existe resistência e querem que ele seja acompanhado de um cuidador. Muitas vezes isso não é necessário e acaba tirando um pouco da autonomia e privacidade da pessoa.

Porém, quando se reside em um local adequado que conta com assistência e atividades específicas, a preocupação cessa.

A nova geração da terceira idade se adaptou a vida moderna e acompanhou os seus avanços. Ela se mantém ativa e não gosta de se sentir inútil ou um peso para a família. Ela busca independência, mas não se isola do mundo. Por conta disso, as residências para terceira idade têm cada vez atraído mais pessoas que desejam manter a sua autonomia ao mesmo tempo em que formam um grupo de convivência.

Quer saber mais como funciona uma residência para terceira idade? Baixe este material especialmente criado para você conhecer melhor como o SBA Residencial funciona.

Deixe uma resposta